Segurança alimentar em comunidades quilombolas de São Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v23i1.8646390

Palavras-chave:

Segurança alimentar. Quilombos. Sociodiversidade

Resumo

O presente trabalho trata da segurança alimentar de famílias quilombolas residentes na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Quilombos do Turvo, no Estado de São Paulo. Apesar das drásticas transformações socioeconômicas e culturais ocorridas na região, essas famílias têm mantido suas práticas agrícolas voltadas à produção de alimentos e de modo a preservar a biodiversidade em área remanescente da Mata Atlântica. Defende-se que a produção para o autoconsumo, onde a qualidade da alimentação é gestada dentro da unidade familiar, torna-se estratégia determinante de segurança alimentar. As práticas agroextrativistas, além de ser uma estratégia de resistência com relação à permanência no território, também se constituem em resistência à homogeneização dos modos de produção propostos pelas instituições governamentais. Continuam sendo elemento essencial para a reprodução das famílias quilombolas do Vale do Ribeira, como fonte de alimentos, fonte eventual de renda e conservação da sociodiversidade. Defende-se a implantação efetiva de uma política para assistência técnica de caráter interdisciplinar, que possa proporcionar o reconhecimento e a valorização dessas atividades, tornando-as mais atrativas aos jovens, e revertendo seu fluxo migratório.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Katia Maria Pacheco dos Santos, Universidade de Brasília - Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária

Engenheira Agrônoma (1999) de formação, Mestre em Ecologia de Agroecossistemas pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz /USP (2005) e Doutora em Ciências, com Área de concentração em Ecologia Aplicada. Tese de Doutorado em Segurança Alimentar. Docente na UNB na Disciplina de Extensão Rural e Administração Rural e Comercialização Agrícola (2016).

Maria Elisa de Paula Eduardo Garavello, Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

É Professora Associada 2 na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo e é Vice-Coordenadora do Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ecologia Aplicada - ESALQ/CENA. Na pesquisa atua e orienta na área de Ambiente e Sociedade, tendo como foco a alteridade e o diálogo de saberes, no contexto dos seguintes temas: ambiente, desenvolvimento e políticas públicas, antropologia da alimentação, comunidades locais e etnociência. Desenvolve trabalho de extensão junto a comunidades rurais, com a utilização de recursos locais visando alternativas de ocupação e renda.

Referências

Stucchi D. Laudo Antropológico: comunidades negras de Ivaporunduva, São Pedro, Pedro Cubas, Sapatu, Nhunguara, André Lopes, Maria Rosa e Pilões. São Paulo: Ministério Público Federal; 1998.

Instituto de Terras do Estado de São Paulo. Relatório Técnico Científico sobre a comunidade de quilombo do Sapatu, no município de Eldorado, no Vale do Ribeira – SP. São Paulo; 2000.

Santos KMP, Tatto N. Agenda Socioambiental de comunidades quilombolas do Vale do Ribeira. São Paulo: Instituto Socioambiental; 2008.

Associação Brasileira de Antropologia – ABA. Documento do Grupo de Trabalho sobre Comunidades Negras Rurais. Rio de Janeiro; 1994.

Colchester M. Resgatando a natureza: comunidades tradicionais e áreas protegidas. In: Diegues AC. Etnoconservação: novos rumos para a proteção da natureza nos trópicos. São Paulo: HUCITEC; 2000. p.101-123.

Diegues AC. O mito moderno da natureza intocada. 3.ed. São Paulo: HUCITEC; 2001.

Thrupp LA. Cultivating biodiversity: agrobiodiversity for food security. Washington DC: World Resources Institute; 1998.

Menasche R. A agricultura familiar à mesa: saberes e práticas da alimentação no Vale do Taquari. Porto Alegre: UFRGS; 2007.

Leite SP. Autoconsumo y sustentabilidad em la agricultura familiar: uma aproximación a la experiência Brasilenã. In: Belik W. Politícas de seguridad alimentar y nutrición em América Latina. São Paulo: Hucitec; 2004. p.123-28.

Ramos MO. A comida da roça ontem e hoje: um estudo etnográfico dos saberes e práticas alimentares de Maquiné (RS) [dissertação]. Porto Alegre: Faculdade de Ciências Econômicas – Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2007.

Gazolla M. Agricultura familiar, segurança alimentar e políticas públicas: uma análise a partir da produção para autoconsumo no território do Alto Uruguai [dissertação]. Porto Alegre: Faculdade de Ciências Econômicas – Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2004.

Santos IP, Ferrante VLSB. Da terra nua ao prato cheio: produção para o consumo familiar nos assentamentos rurais do Estado de São Paulo. Araraquara: Fundação ITESP; 2003.

Mintz SW. Comida e antropologia: uma breve revisão. Rev. Brasil. Ci. Soc. 2001;16(47):31-41.

Brandão CR. Tempos e espaços nos mundos rurais do Brasil. RURIS. 2007;1(1):37-64.

Santos KMP. Práticas agroalimentares em unidades de conservação de uso sustentável sob a ótica da segurança alimentar [tese]. Piracicaba: Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – Universidade de São Paulo; 2015.

Carneiro MJ, Maluf RS. Para além da produção: multifuncionalidade e agricultura familiar. Rio de Janeiro: MAUAD; 2004.

Adams C. As florestas virgens manejadas. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. 1994;10(1):03-20.

Posey DA. Manejo da floresta secundária, capoeiras, campos e cerrados (Kayapó). In: Ribeiro D. Suma etnológica brasileira. Petrópolis: Vozes; 1987. p.173-185.

Altieri MA. Agroecologia: as bases científicas da agricultura alternativa. Rio de Janeiro: FASE; 1989.

Emperaire L. O manejo do espaço agrícola. In: Instituto Socioambiental. Almanaque Brasil Socioambiental: uma nova perspectiva para entender o país e melhorar nossa qualidade de vida. São Paulo: ISA; 2008. p. 421.

Santilli JA. Povos indígenas, quilombolas e populações tradicionais: a construção de novas categorias jurídicas. In: Ricardo F. Terras Indígenas e Unidades de Conservação da Natureza: o desafio das sobreposições. São Paulo: Instituto Socioambiental; 2004.

Fórum Brasileiro de Segurança Alimentar e Nutricional. Carta da Cidade de São Paulo. São Paulo; 2003.

Certeau M, Giard L, Mayol P. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes; 1996.

Pollan E. Em defesa da comida: um manifesto. Rio de Janeiro: Intrínseca; 2008.

Cambuy AOS. Perfil alimentar da comunidade quilombola João Surá: um estudo etnográfico. Curitiba: Universidade Federal do Paraná; 2006. Trabalho de Conclusão de Curso.

Downloads

Publicado

2016-10-18

Como Citar

1.
Santos KMP dos, Garavello ME de PE. Segurança alimentar em comunidades quilombolas de São Paulo. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 18º de outubro de 2016 [citado 3º de dezembro de 2021];23(1):786-94. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8646390

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)