Determinação do indivíduo referência de um restaurante universitário da cidade do Salvador – Bahia

Autores

  • Elane Barbosa Santos Universidade Federal da Bahia https://orcid.org/0000-0003-1576-8939
  • Maria da Conceição Pereira da Fonseca Universidade Federal da Bahia
  • Lisanah Rufino da Silva Universidade Federal da Bahia
  • Bruno Santos de Assis Universidade Federal da Bahia
  • Carlos Rodrigo Nascimento de Lira Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v27i0.8653157

Palavras-chave:

Alimentação coletiva, Planejamento alimentar, Estado nutricional.

Resumo

O trabalho visa a definição do indivíduo referência e as necessidades nutricionais de calorias e macronutrientes de estudantes de uma universidade pública federal. Trata-se de estudo transversal realizado com 67 (8,4%) estudantes de ambos os sexos sorteados considerando um universo de 800 usuários, bolsistas, com mais de 18 anos que frequentavam ao menos três vezes por semana o Restaurante Universitário. A coleta dos dados foi realizada entre os meses fevereiro e março de 2016, por meio de aplicação de questionário estruturado para obtenção de informações socioeconômicas, estilo de vida e atividade física; e avaliação antropométrica do estado nutricional com aferições das medidas: peso, altura, pregas cutâneas e circunferência da cintura e cálculo do Índice de Massa Corporal, com adoção dos critérios de classificação proposto da Organização Mundial da Saúde. Foram elaboradas análises de frequência, média, t-teste e Qui-quadrado. Constatou-se que o indivíduo referência do estudo são adultos jovens com massa corporal classificada como normal e insuficientemente ativos, com hábitos alimentares inadequados. A recomendação de valor energético total foi de 2.181 calorias, sendo 436,20 calorias para desjejum, 763,35 calorias para almoço e 654,30 calorias para jantar, em ambos os sexos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elane Barbosa Santos, Universidade Federal da Bahia

Nutricionista pela Universidade Federal da Bahia - UFBA.

Maria da Conceição Pereira da Fonseca, Universidade Federal da Bahia

Professora do Departamento de Ciências de Alimentos, da Escola de nutrição da Universidade Federal da Bahia, Doutora em Alimentos e Nutrição pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP.

Lisanah Rufino da Silva, Universidade Federal da Bahia

Nutricionista pela Universidade Federal da Bahia.

Bruno Santos de Assis, Universidade Federal da Bahia

Mestre em Alimentos e Nutrição pela Universidade Federal da Bahia.

Carlos Rodrigo Nascimento de Lira, Universidade Federal da Bahia

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Alimentos, Nutrição e Saúde pela Escola de Nutrição da Universidade Federal da Bahia

Referências

Teixeira SMFG et al. Administração aplicada às unidades de alimentação e nutrição. Rio de Janeiro: Atheneu; 2010.

Instituto Nacional de Pesquisa Anísio Teixeira – INEP. Censo da Educação Superior [Internet] 2017 [acesso em 09 out 2018]. Disponível em: http://download.inep.gov.br.

Marconato MSF, Silva GMM, Frasson TZ. Hábito alimentar de universitários iniciantes e concluintes do curso de nutrição de uma universidade do interior paulista. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. 2016;10(58):180-188.

Loureiro MP. Estado nutricional e hábitos alimentares de universitários. Segur. Aliment. Nutr. 2016;23(2):955-972.

Benvindo JLS, Pinto MAS, Bandoni DH. Qualidade nutricional de cardápios planejados para restaurantes universitários de universidades federais do Brasil. Demetra: alimentação, nutrição & saúde. 2017;12(2):447-464.

Matsudo S, Araújo T, Matsudo V, Andrade D, Andrade E, Oliveira LC, et al. Questionário Internacional de Atividade Física – IPAC: estudo de validade e reprodutividade no Brasil. Rev. Bras. Ativ. Saúde. 2001;10:05-18.

Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição. Como está sua alimentação? [internet] 2007 [acesso em 11 abr 2016]. Disponível em: http://nutricao.saude.gov.br/teste_alimentacao.php.

Lohman TG, Roche AF, Martorell R. Anthropometric Standardisation Reference Manual. Champaign, IL: Human Kinetics Books; 1988.

World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report of a World Health Organization Consultation. Geneva: World Health Organization, 2000. p.256. WHO Obesity Technical Report Series, n. 284.

Durnin JVGA, Womersley J. Body fat assessed from the total body density and its estimation from skinfold thickness: measurements on 481 men and women aged from 16 to 72 years. British Journal of Nutrition. 1974;32:77-97.

Costa MC, Lessa I, Viana SV. Práticas alimentares e perfil lipídico indesejável em trabalhadores petroquímicos, Camaçari – Bahia – Brasil. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional. 2003;28:105-106.

Institute of Medicine – IOM. Dietary reference intakes for energy, carbohydrate, fiber, fat, fatty acids, cholesterol, protein, and amino acids. Washington, DC: National Academies Press; 2005.

Instituto Data Popular – IDP. Universitários são da nova classe média [Internet] 2014 [acesso em 02 mai 2016]. Disponível em: http://www.ebc.com.br/instituto-data-popular.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira [Internet] 2018 [acesso em 31 mar 2019]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/sociais/trabalho.html.

Andrade SP, Lima CR, Orange LG, Medeiros TB, Santos REA, Santos, HCM, et al. Estado nutricional de pacientes alcoolistas de uma instituição hospitalar do Nordeste Brasileiro. Nutr. Clín. Diet. Hosp. 2016;36(2):63-73.

Mendonça AKRH, Jesus CVF, Lima SO. Fatores associados ao consumo alcoólico de risco entre universitários da área da saúde. Revista Brasileira de Educação Médica. 2018;42(1):205-213.

Scholz A, Navarrete-Muñoz EM, Hera MG, Gimenez-Monzo D, Gonzalez-Palaciosa S, Valera-Grana D, et al. Alcohol consumption and Mediterranean Diet adherence among health science students in Spain: The DiSA-UMH Study. Gac Sanit. 2016;30(2):126-132.

Haberman S, Luffey D. Weighing in college students’ diet and exercise behaviors. J Am Coll Health. 1998;46(4):189-191. DOI https://doi.org/10.1080/07448489809595610.

World Health Organization (WHO). Global status report 2014. Health statistics and information systems [Internet] 2014 [acesso em 15 out 2017]. Disponível em: http://www.who.int/healthinfo/global_burden_disease/estimates/en/index1.html.

Malta DC, Silva MMA, Moura L, Neto OLM. Implantação do Sistema de Vigilância de Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil, 2003 a 2015: alcances e desafios. Rev Bras Epidemiol. 2017;20(4):661-675.

Rombaldi AJ, Silva MC, Dumith SLC, Hallal VRX, Hallal PCI. Fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis em estudantes de educação física ingressantes e formandos. Rev. Bras. Ciênc. Esporte [Internet] 2014 [acesso em 02 mai 2016];36(1):13-27. Disponível em: http://revista.cbce.org.br.

Dare C, Viebig RF, Batista NSP. Avaliação da composição corporal e dos componentes da dieta mediterrânea em universitários brasileiros e europeus. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. 2017;11(67):557-566.

Oliveira MCOC, Oselame GB, Dutra DA, Oselame C, Neves EB. Fatores de risco cardiovascular em universitários. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. 2017;11(63):179-186.

Martins MCC, Ricarte IF, Rocha CHL, Maia RB, Silva VB, Veras AB, et al. Pressão arterial, excesso de peso e nível de atividade física em estudantes de universidade pública [Internet] 2010 [acesso em 02 mai 2016]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abc/2010nahead/aop06810.

Cafure F, Schmidt J, Duré LS, Furbeta PH, Moraes R, Arruda R, Gaban S. Prevalência de excesso de peso e obesidade central em acadêmicos do curso de medicina da universidade UNIDERP. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. 2018;12(69):94-100.

Queiroz LF, Peixoto DB, Guimarães MM, Pereira LZ, Cabral FD, Silva RCD. Relação entre as dobras cutâneas triciptal e subescapular com o nível de atividade física de adolescentes escolares. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. 2017;11(63):145-152.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Vigitel Brasil 2017: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde; 2018.

Santos LR, Brito ECC, Neto JCGL, Alves LEP, Alves LRA, Freitas RWJF. Análise do sedentarismo em estudantes universitários. Rev. Enferm. UERJ. 2014;22(3):416-421.

Lupi S, Bagordo F, Stefanati A, Grassi T, Piccinni L, Bergamini M, Donno A. Assessment of lifestyle and eating habits among undergraduate students in northern Italy. Ann Ist Super Sanità. 2015;51(2):154-161.

Alsunni AA, Badar A. Fruit and vegetable consumption and its determinants among Saudi university students. Journal of Taibah University Medical Sciences. 2015;10(2):201-207.

Teleman AA, Waure C, Soffiani V, Poscia A, Pietro MLD. Nutritional habits in Italian university students. Ann Ist Super Sanità. 2015;51(2):99-105.

AL-Otaibi HH. The Pattern of Fruit and Vegetable Consumption among Saudi University Students. Global Journal of Health Science. 2014;6(2):155-162.

Hartmann Y, Botelho RBA, Akutsu RCCA, Zandonadi RP. Consumption of fruits and vegetables by low-income brazilian undergraduate students: a cross-sectional study. Nutrients. 2018;10(1121):01-11.

Kowalcze K, Turyk Z, Drywień M. Nutrition of students from dietetics profile education in the Siedlce University of natural sciences and humanities compared with students from other academic centres. Rocz Panstw Zakl Hig. 2016;67(1):51-58.

Bernardes LE, Vieira EES, Lima LHO, Carvalho GCN, Silva ARV. Fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis em universitários. Cienc. Cuid. Saúde. 2015;14(2):1122-1128.

World Health Organization – WHO. Fruit and Vegetable Promotion Initiative – A Meeting Report. WHO: Geneva; 2003.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Fausto MA, Ansaloni JÁ, Silva ME, Júnior JG, Dehn AA, César TB. Determinação do perfil dos usuários e da composição química e nutricional da alimentação oferecida no restaurante universitário da Universidade Estadual Paulista, Araraquara, Brasil. Rev. Nutr. 2001;14(3):171-176.

Avegliano RP. Custos de refeições em unidades de alimentação e nutrição: uma aplicação para a divisão de alimentação COSEAS/USP, em 1997 [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 1999.

Vieira MNCM, Japur CC, Vannucchi H. Gestão de qualidade na produção de refeições. São Paulo: Guanabara; 2012.

Downloads

Publicado

2019-12-10

Como Citar

1.
Santos EB, Fonseca M da CP da, Silva LR da, Assis BS de, Lira CRN de. Determinação do indivíduo referência de um restaurante universitário da cidade do Salvador – Bahia. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 10º de dezembro de 2019 [citado 20º de outubro de 2021];27:e020012. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8653157

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)