Carcinicultura paraense

processamento e agregação de valor

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v28i00.8657959

Palavras-chave:

Amazônia, Aquicultura, Carcinicultura, Beneficiamento, Produtos manufaturados

Resumo

Este estudo objetivou avaliar a implantação de unidade de processamento de camarão como alternativa para agregação de valor. De janeiro a agosto de 2018, foram realizadas visitas técnicas à propriedades produtoras de camarão cinza Litopenaeus vannamei em Curuçá – PA e unidade de beneficiamento de pescado em Castanhal – PA, além de entrevistas com proprietários e técnicos responsáveis para definir a localização, o produto, o layout do empreendimento e a capacidade produtiva. Curuçá – PA foi o município selecionado para sediar a unidade processadora. A área total do estabelecimento foi projetada em 66,02 m2. Definiu-se o produto como camarão inteiro pré-cozido e salgado (peso acima de 10g) e produção diária de 150kg. O Custo de implantação foi estimado em R$150.300,00, o Custo Operacional Total em R$798.966,40 e o Custo Operacional Total por kg em R$40,97. A Taxa Interna de Retorno foi de 122,0% e o Período de Retorno do Capital de 1,9 anos. A unidade de beneficiamento de camarão em Curuçá – PA mostrou-se rentável para a escala de produtos artesanais comestíveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Gabriel Araújo Afonso, Universidade Federal do Pará

Bacharel em Engenharia Pesca

Kaio Diego das Neves Barros, Universidade Federal Rural da Amazônia

Mestre em Aquicultura e Recursos Aquáticos Tropicais

Francisco Alex Lima Barros, Universidade Federal do Pará

Mestre em Ciência Animal

Carlos Alberto Martins Cordeiro, Universidade Federal do Pará

Doutor em Produção Vegetal e Docente

Galileu Crovatto Veras, Universidade Federal do Pará

Doutor em Produção e Nutrição de Não Ruminantes e Docente

Marcos Ferreira Brabo, Universidade Federal do Pará

Doutor em Ciência Animal e Docente

Referências

Camargo SGO, Pouey JLOF. Aquicultura – um mercado em expansão. Revista Brasileira de Agrociência. 2005;11:393-396.

FAO. The state of world fisheries and aquaculture. Roma: FAO; 2020.

Brasil. Boletim estatístico da pesca e aquicultura. Brasília: Ministério da Pesca e Aquicultura; 2013.

Rocha IP. Uma análise da importância da aquicultura e de forma especial, da carcinicultura, para o fortalecimento do setor pesqueiro e da socioeconomia primária brasileira. Revista da Associação Brasileira de Criadores de Camarão. 2014; 16:22-28.

IBGE. Produção da Pecuária Municipal: produção da aquicultura, por tipo de produto [Internet]. 2019 [acesso em 2019 dez 18]. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/tabela/3940.

Brabo MF, Pereira LFS, Ferreira LA, Costa JWP, Campelo DAV, Veras GC. A cadeia produtiva da aquicultura no Nordeste paraense, Amazônia, Brasil. Informações econômicas. 2016; 46:16-26.

Pará. Lei Estadual no 7.565, de 25 de outubro de 2011. Dispõe sobre normas para licenciamento de estabelecimentos processadores, registro e comercialização de produtos artesanais comestíveis de origem animal e vegetal no Estado do Pará, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Pará; 2011.

Pará. Decreto no 1.380, de 3 de setembro de 2015. Regulamenta a Lei no 7.565, de 25 de outubro de 2011, que dispõe sobre as normas para licenciamento de estabelecimentos processadores, registro e comercialização de produtos artesanais comestíveis de origem animal e vegetal no Estado do Pará e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Pará; 2015.

Brasil. Decreto no 9.013, de 29 de março de 2017. Regulamenta a Lei no 1.283, de 18 de dezembro de 1950, e a Lei no 7.889, de 23 de novembro de 1989, que dispõem sobre a inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal. Diário Oficial da União; 2017.

Brasil. Decreto no 30.691, de 29 de março de 1952. Aprova o novo Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal. Diário Oficial da União; 1952.

Pará. Lei no 7.565, de 25 de outubro de 2011. Dispõe sobre normas para licenciamento de estabelecimentos processadores, registro e comercialização de produtos artesanais comestíveis de origem animal e vegetal no Estado do Pará, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Pará; 2011

.

Pará. Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará – ADEPARÁ. Portaria no 2.275, de 14 de junho de 2013. Estabelece o Regulamento Técnico de Produção do Camarão Pré-cozido e Salgado e da outras providências. Diário Oficial do Estado do Pará; 2013.

Matsunaga M, Bemelmans PF, Toledo PEN. Metodologia de custo de producao utilizada pelo IEA. Agricultura em São Paulo. 1976; 23:123-139.

Martin NB, Serra R, Oliveira MDM, Ângelo JA, Okawa H. Sistema integrado de custos agropecuários (CUSTAGRI). Informações Econômicas. 1998; 28:07-28.

Downloads

Publicado

2021-04-26

Como Citar

1.
Afonso AGA, Barros KD das N, Barros FAL, Cordeiro CAM, Veras GC, Brabo MF. Carcinicultura paraense: processamento e agregação de valor. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 26º de abril de 2021 [citado 20º de setembro de 2021];28(00):e021021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8657959

Edição

Seção

Relatos de Experiência