Qual a contribuição da Agricultura Familiar na qualidade dos cardápios da alimentação escolar?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v27i0.8659289

Palavras-chave:

Alimentação escolar, Agricultura familiar, Cardápio

Resumo

Objetivo: Avaliar a qualidade do cardápio do Programa Nacional de Alimentação Escolar de municípios do estado de São Paulo, segundo o percentual de aquisição de produtos da Agricultura Familiar. Método: Os municípios foram classificados, de acordo com o percentual de aquisição de gêneros alimentícios oriundos da Agricultura Familiar (AF). Trata-se de um estudo transversal, em que a partir de questionário com descrição do cardápio de uma semana, teve-se a avaliação pelo Indicador de Qualidade de Cardápios da Alimentação Escolar, frequência de ocorrência de grupos de alimentos e valor energético e de macro e micronutrientes. Todas as variáveis foram avaliadas segundo o percentual de aquisição da AF. Os dados foram expressos em mediana, valor mínimo e máximo e para verificar a diferença entre os grupos foi utilizado o teste Kruskal-Wallis e o Qui-Quadrado (para ambos foi considerada p<0,05). Resultados: Foram avaliados os cardápios de 52 municípios. Encontrou-se diferença significativa apenas para carboidrato. Com relação aos grupos de alimentos, não foi identificada diferença estatiscamente significativa. Encontrou-se elevada presença de alimentos processados e ultraprocessados nos cardápios. Conclusão: Não foi possível identificar diferenças entre a frequência de oferta dos grupos de alimentos segundo o percentual de aquisição de AF, assim como, quanto as características quantitativas da maioria dos nutrientes. No entanto, os dados mostram haver tendência a menor oferta de frutas nos municípios que estão comprando menos da AF. De modo geral, foram encontrados cardápios em desacordo com a base legal do PNAE.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Laura Benevenuto de Amorim, Universidade Federal de São Paulo

Pós graduanda pelo Programa Interdisciplinar em Ciências da Saúde na Universidade Federal de São Paulo.

Semiramis Martins Álvares Domene, Universidade Federal de São Paulo

Livre-docência pela Universidade Federal de São Paulo. Docente do Curso de Nutrição pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) – Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva.

Daniel Henrique Bandoni, Universidade Federal de São Paulo

Doutorado em Nutrição em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública. Docente do Curso de Nutrição pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) – Departamento de Saúde, Clínica e Instituições.

Referências

Brasil. Lei no 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola. Diário Oficial da União. 2009 17 jun. p. 2.

Peixinho AML. A trajetória do Programa Nacional de Alimentação Escolar no período de 2003-2010: relato do gestor nacional. Ciência e Saúde Coletiva [Internet]. 2013 [acesso em 2018 set 15];18(4):909-916. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000400002.

Peixinho A, Balaban D, Rinkus L, Schwartzman F, Galante AP. Alimentação Escolar no Brasil e Estados Unidos. O Mundo da Saúde. 2011; 35(2):128-136.

Abreu ES, Spinelli MGN, De Souza Pinto AM. Gestão de unidades de alimentação e nutrição. 7. ed. São Paulo: Editora Metha; 2019.

Brasil. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, FNDE/MEC 2013. Resolução CD/FNDE no 26, de 17 de junho de 2013. Brasília: FNDE/MEC; 2013.

Teo CRPA, Monteiro CA. Marco legal do Programa Nacional de Alimentação Escolar: uma releitura para alinhar propósitos e práticas na aquisição de alimentos. Revista de Nutrição [Internet]. 2012 [acesso em 2017 out 10]; 25(5):657-668. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1415-52732012000500010.

Toyoyoshi JY, Oliveira R, SantoS MSN, Galisa MS, Galante AP. Avaliação da aquisição de gêneros alimentícios provenientes da agricultura familiar para a alimentação escolar. O Mundo da Saúde. 2013; 37(3):329-335.

Gonçalves HVB, Da Cunha DT, Stedefeldt E, De Rosso VV. Family farming products on menus in school feeding: a partnership for promoting healthy eating. Ciência Rural [Internet]. 2015 [acesso em 2017 out 15];45(12):2267-2273. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0103-8478cr20150214.

Amorim ALB, De Rosso VV, Bandoni DH. Acquisition of family farm foods for school meals: Analysis of public procurements within rural family farming published by the cities of São Paulo state Revista de Nutrição [Internet]. 2016 [acesso em 2018 jan 12];29(2):297-306. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1678-98652016000200012.

Triches RM, Barbosa LP, Silvestri F. Agricultura Familiar e Alimentação Escolar no Estado do Paraná: uma análise das chamadas públicas. Revista Paranaense de Desenvolvimento. 2016; 37(130):29-43.

Ferigollo D, Kirsten VR, Heckler D, Figueiredo OAT, Perez-Cassarino J, Triches RM. Aquisição de produtos da agricultura familiar para alimentação escolar em municípios do Rio Grande do Sul. Revista de Saúde Pública [Internet]. 2017 [acesso em 2018 fev 2];51(6). Disponível em: https://doi.org/10.1590/s1518-8787.2017051006648.

Teo CRPA, Baccarin G, Triches RM, Lutinski JA, Tagliett RL. Aquisição de alimentos da agricultura familiar para a alimentação escolar em Santa Catarina. Revista Grifos [Internet]. 2019 [acesso em 2020 abr 9];47. Disponível em: http://dx.doi.org/10.22295/grifos.v28i47.4653.

Fuhr AL, Triches RM. Qualidade da alimentação escolar a partir da aquisição de produtos da agricultura familiar. Segurança Alimentar e Nutricional [Internet]. 2017 [acesso em 2018 mar 13];24(2):113-124. Disponível em: https://doi.org/10.20396/san.v24i2.8650514.

Alvarez DB, Villar BS. Efeito da Lei do Programa Nacional de Alimentação Escolar na qualidade nutricional dos cardápios escolares. Segurança Alimentar e Nutricional [Internet]. 2019 [acesso em 2020 abr 4];26:1-13. e019030. Disponível em: http://dx.doi.org/10.20396/san.v26i0.8655583.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Consulta Classes de tamanho da população dos municípios [Internet]. Rio de Janeiro; 2018 [acesso em 2018 abr 24]. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao.

Belik W, Domene SMA. Experiências de programas combinados de Alimentação Escolar e desenvolvimento local em São Paulo – Brasil. Agroalimentaria [Internet]. 2012 [acesso em 2016 nov 10];18(34):57-72. Disponível em: http://www.saber.ula.ve/bitstream/123456789/35379/1/art4.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira [Internet]. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2014 [acesso em 2016 nov 12]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf.

Monteiro CA, Cannon G, Levy R et al. NOVA. The star shines bright. World Nutr [Internet]. 2016 [acesso em 2016 nov 10];7:28-38. Disponível em: https://worldnutritionjournal.org/index.php/wn/article/view/5.

Brasil. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE/MEC. Nota Técnica no 004/2013 – CGPAE/DIRAE/FNDE – Inclusão de pescado na alimentação escolar, de 11 de julho de 2013. Brasília: FNDE/MEC; 2013.

Camargo RGM, Caivano S, Bandoni DH, Domene SMA. Healthy eating at school: consensus among experts. Rev. Nutr [Internet]. 2016 [acesso em 2020 jul 22];29:(6). Disponível em: https://doi.org/10.1590/1678-98652016000600006.

NEPA/UNICAMP. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. 4. ed. Campinas: NEPA/UNICAMP; 2011.

United States Department of Agriculture. National Nutrient Database for Standard Reference [Internet]. 2004 [acesso em 2017 jan 12]. Disponível em: http://ndb.nal.usda.gov.

Brasil. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, FNDE/MEC 2020. Resolução CD/FNDE no 06, de 08 de maio de 2020. Brasília: FNDE/MEC; 2020.

Castellani ANA, Trentini T, Nishida W, Rossi CE, Costa LCF, Vasconcellos FAG. Purchase of family farm and organic foods by the Brazilian School Food Program in Santa Catarina state, Brazil. Revista de Nutrição [Internet]. 2017 [acesso em 2018 mar 15];30(5):651-662. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1678-98652017000500010.

Sousa AA, Silva APF, Azevedo E, Ramos MO. Cardápios e sustentabilidade: ensaio sobre as diretrizes do Programa Nacional de Alimentação Escolar. Revista de Nutrição [Internet]. 2015 [acesso em 2018 abr 11];28(2):217-229. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1415-52732015000200010.

Veiros MB, Martinelli SS. Avaliação qualitativa das preparações do cardápio escolar – AQPC Escola. Nutrição em Pauta. 2012;20(2):12.

Locatelli NT, Canella DS, Bandoni DH. Fatores associados ao consumo da alimentação escolar por adolescentes no Brasil: resultados da PeNSE 2012. Cadernos de Saúde Pública [Internet]. 2017 [acesso em 2020 mar 30];33(4):e00183615. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311x00183615.

Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – CECANE UFRGS. Resumo executivo – Composição nutricional da alimentação escolar no Brasil: uma análise a partir de uma amostra de cardápios. Porto Alegre: CECANE UFRGS; 2011.

Vidal GM, Veiros MB, Sousa AA. School menus in Santa Catarina: Evaluation with respect to the National School Food Program regulations. Revista de Nutrição [Internet]. 2015 [acesso em 2019 nov 07];28(3):277-287. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1415-52732015000300005.

Gabriel CG, Costa LCF, Calvo MCM, Vasconcelos FAG. Planejamento de cardápios para escolas públicas municipais: reflexão e ilustração desse processo em duas capitais brasileiras. Revista de Nutrição [Internet]. 2012 [acesso em 2019 abr 20]:25(3):363-372. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1415-52732012000300006.

Brasil. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, FNDE/MEC 2015. Resolução CD/FNDE no 04, de 02 de abril de 2015. Brasília: FNDE/MEC; 2015.

Issa RC, Moraes LF, Francisco RRJ, Santos LC, Anjos AFV, Pereira SCL. Alimentação escolar: planejamento, produção, distribuição e adequação. Revista Panamericana Salud Publica [Internet]. 2014 [acesso em 2019 abr 12];35(2):96–103. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rpsp/2014.v35n2/96-103.

Teo CRPA. The partnership between the Brazilian School Feeding Program and family farming: a way for reducing ultra-processed foods in school meals. Public Health Nutricion [Internet]. 2018 [acesso em 2020 abr 09];21(1):230-237. Disponível em: https://doi.org/10.1017/S1368980017002117.

Downloads

Publicado

2020-11-05

Como Citar

1.
Amorim ALB de, Domene SM Álvares, Bandoni DH. Qual a contribuição da Agricultura Familiar na qualidade dos cardápios da alimentação escolar?. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 5º de novembro de 2020 [citado 20º de outubro de 2021];27:e020029. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8659289

Edição

Seção

Artigos Originais