Elementos da História e Filosofia das ciências em livros didáticos de Geologia: uma análise temporal

Palavras-chave: Ensino de geociências. História e filosofia das ciências. Geologia introdutória. Análise de livros didáticos.

Resumo

Neste trabalho buscou-se evidenciar conteúdos de História e Filosofia da Ciência (HFC) em livros didáticos de geologia. Particularmente procurou-se averiguar a continência de tópicos da HFC em obras já utilizadas em cursos de Geologia Introdutória e que ainda estão em uso. Para o estudo foram selecionadas obras publicadas em décadas diferentes, com o intuito de construir a trajetória da abordagem da HFC nos livros didáticos de geologia com o decorrer dos anos, bem como, observar o aumento ou redução da importância destes assuntos. A investigação dos materiais seguiu três caminhos: 1) a análise de conteúdo, com a observação de menções implícitas e explícitas; 2) a contextualização com conhecimentos científicos da época de publicação da obra e 3) o método de triangulação, que permitiu a confluência e discordância nos materiais analisados. O estudo revelou que a abordagem dos conteúdos de Geologia, nos livros didáticos analisados, tem enfoque nos processos e produtos geológicos, ou seja, a estrutura retórica presente nos textos é apresentada de maneira descontextualizada da Histórica e Filosofia da Ciência. A linguagem é dominantemente técnica, enfraquecendo o elo entre a Geologia e o contexto histórico e filosófico existente na época das descobertas geológicas discutidas nos livros. Este trabalho compõe parte de pesquisa maior, com mais obras e análises distintas. Não cabe classificar a qualidade das obras, já que foram publicadas em contextos e momentos diferentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudio Marinho, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha
Professor assistente da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Atua no curso de Especialização em Ensino de Geografia - Vales do Jequitinhonha e Mucuri.
Gisele Francelino Miguel, Universidade Estadual de Campinas
Graduação em Geologia pela Universidade Estadual de Campinas e mestrado em Ensino e História de Ciências da Terra pela Universidade Estadual de Campinas.
Joemes de Lima Simas, Universidade Federal do Amazonas
Graduação em Geologia pela Universidade Federal do Amazonas e mestrado em Geociências pela Universidade Federal do Amazonas. Professora no curso de Engenharia de Petróleo e Gás na Universidade Federal do Amazonas.
Pedro Wagner Gonçalves, Universidade Estadual de Campinas
Graduado em Geologia pela Universidade de São Paulo, Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, Doutor em Filosofia pela mesma. Livre Docente pelo Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

Almeida, C. N., Araújo C., & Mello E. F. (2015). Geologia nas Escolas de Ensino Básico: Experiência do Departamento de Geologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Terræ Didatica, 11(3), 150-161. doi: 10.20396/td.v11i3.8643643.

Amaral, I.A. (2014). Ensino de geologia introdutória: raízes e desdobramentos da mudança curricular em 1973 na USP. Terræ Didatica. 10(3), 161-170. doi: 10.20396/td.v10i3.8637311.

Amaral, I.A. (1981). O conteúdo e o enfoque dos livros de geologia introdutória. (Dissertação de Mestrado). Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil. Recuperado de: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44131/tde-15072015-151724/pt-br.php.

Anastasiou, L. G. C., & Alves, L. P. (2015). Estratégias de ensinagem. In Anastasiou L.G.C., Alves L.P. (Org.) Processos de ensinagem na universidade: Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Ed.Univille, pp. 67-100, Joinville, SC, 2015.

Ausubel, D. P. (1963). The psychology of meaningful verbal learning. New York: Grune and Stratton.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa. Portugal: Edições 70.

Batista, I. L. (2004). The teaching of physics theories in a historical-philosophical structure. Ciênc. educ. 10(3), 461-476. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132004000300010.

Biggs, J. B. (2006). Calidad del aprendizaje universitario. Madrid, España: Narcea AS de Ediciones.

Bloom, B. S. (1972). Innocence in Education. The School Review. 80(3), 333-352. Recuperado de: https://www.journals.uchicago.edu/doi/10.1086/443036.

Branner, J. C. (1915). Geologia Elementar: com referência especial aos estudantes brazileiros e a Geologia do Brazil. (2º ed). Rio de Janeiro: Francisco Alves & Cia.

Carneiro, C. D. R., Toledo M. C. M. de, & Almeida F. F. M. de. (2004). Dez motivos para a inclusão de temas de Geologia na Educação Básica. Rev. Bras. Geoc., 34(4), 553-560. Recuperado de: http://ppegeo.igc.usp.br/index.php/rbg/article/view/9787/9135.

Carneiro, M.H.S., & Gastal, M.L. (2005). History and Philosophy of Science in Biology Teaching. Ciênc. educ. 11(1), 33-39. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132005000100003.

Casini, P. (1977). Naturaleza. Barcelona, Spaña: Ed. Labor. Cavalari, R. M. F. (2009). Las concepciones sobre la naturaleza en el ideario educacional de Brasil durante las decadas de 1920 y 1930. Utopía y Praxis Latioamericana. 14 (44), 53-67. Recuperado de: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=2985668.

Cunha, C. A. L. S. (1986). Geologia nos livros didáticos no Brasil: um estudo da coerência interna dos textos através do conceito de geossinclinal. (Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, Brasil) Recuperado de: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/253359.

Dewey, J. (1979). Experiência e educação. São Paulo: Cia. Edit. Nacional.

Duarte, T. (2009). A possibilidade da investigação a 3: reflexões sobre triangulação (metodológica). Centro de Investigação de Estudos de Sociologia (CIES) [e-Working Papers, n. 60]. Recuperado de: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=27911649005.

Duschl, R. A. (1994). Research on the History and Philosophy of Science In: D.L. Gabel (ed.), Handbook of Research on Science Teaching (MacMillan, pp. 443-465, New York).

El-Hani, C. N. (2006). Notas sobre o ensino de história e filosofia da ciência na educação científica de nível superior: Subsídios para aplicação no ensino. São Paulo: Livraria da Física.

Figuerôa, S. F. M. (1994). Charles Frederic Hartt and the “Geological Commission of Brazil” (1875-1877). Earth Science History, 13(2), 168-173. doi: https://doi.org/10.17704/eshi.13.2.c5141486210264g4.

Franco, M.L.P.B. (2005). Análise de Conteúdo. Série pesquisa em educação. Brasília: Líber Livro.

Freire Jr., O. (2002). A relevância da filosofia e da história das ciências para a formação dos professores de ciência In: Silva Filho, V. J. (Org). Epistemologia e ensino de ciências. Salvador, BA: Arcádia, pp. 13-30.

Freire, P. (1967). Educação como prática da liberdade. Ed. Paz e Terra.

Freire, P. (1968). Pedagogia do oprimido. Ed. Paz e Terra.

Frodeman, R. (1995). Geological reasoning: Geology as an interpretative and historical science. GSA Bull., 107(8), 960-968. doi: https://doi.org/10.1130/0016-7606(1995)107%3C0960:GRGAAI%3E2.3.CO,2.

Frodeman, R. (2010). O raciocínio geológico: A geologia como uma ciência interpretativa e histórica. (Trad. L. M. Fantinel & E. V. D. Santos). Terræ Didatica, 6(2), 85-99. (Artigo original publicada em 1995). doi: https://doi.org/10.20396/td.v6i2.8637460.

Godoy, A. S. (1995). Pesquisa qualitativa: Tipos fundamentais. Rev. Adm. Emp. 35(4), 65-71. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-75901995000300004.

Gonçalves, P. W. (2005). Indicadores da presença de conteúdos de História e Filosofia da Ciência em livro de texto de Geologia Introdutória. Ciênc. educ.11(1), 41-52. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132005000100004.

Gonçalves, P. W., & Sicca, N. A. L. (2015, novembro 24-27). História da Ciência veiculada por meio de livros textos de Ciências da Terra. Anais do X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências [X ENPEC]. Águas de Lindóia, São Paulo, Brasil. Recuperado de: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/x-enpec/anais2015/busca.htm?query=Hist%F3ria+da+Ci%EAncia+veiculada+por+meio+de+livros+textos+de+Ci%EAncias+da+Terra.

Gonçalves, P.W. (2016). Espaços dos estudos da natureza e invenção do tempo geológico. Disciplina EH003- Filosofia e Ensino de Ciências. [Texto apresentado na disciplina do curso de Pós-Graduação em Ensino e História de Ciência da Terra] (Inédito).

Gray, R. (2014). The Distinction between Experimental and Historical Sciences as a Framework for Improving Classroom Inquiry). Science Education. 98(2), 327–341. doi: https://doi.org/10.1002/sce.21098.

Habermas, J. (1987). The theory of communicative action. (Vol. 2) Lifeworld and system: A critique of functionalist reason (Trans. T. McCarthy). Boston: Beacon Press (Publicação original de Theorie des kommunikativen Handelns, Band 2: Zur Kritik der funktionalistischen Vernunft, 1981).

Hodson, D. (1988). Towards a Philosophically More Valid Science Curriculum. Science Education 72, 19-40.

Lajolo, M. (1996). Livro didático: um (quase) manual de usuário. Em Aberto. 16(69), 3-8. doi: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.16i69.2061.

Leinz, V., & Amaral, S.E. (1980). Geologia Geral. São Paulo: Ed. Nacional.

Marcondes, N. A. V., & Brisola, E. M. A. (2014). Análise por triangulação de métodos: Um referencial para pesquisas qualitativas. Rev. Univap. 20(35), 201-208. doi: http://dx.doi.org/10.18066/revunivap.v20i35.228.

Martins, A. F. P (2007). História e Filosofia da Ciência no ensino: Há muitas pedras nesse caminho.... Cad. Bras. Ensino de Física. 24(1), 112-131.doi: https://doi.org/10.5007/%25x.

Matthews, M. R. (1990). History, Philosophy and Science Teaching: what can be done in an undergraduate course? Studies in Philosophy and Education. 10(1), 93-97. doi: https://doi.org/10.1007/BF00367690

Matthews, M. R. (1994). Science teaching: The role of history and philosophy of science. New York: Routledge.

Matthews, M. R. (1995). História, filosofia e ensino de ciências: a tendência atual de reaproximação. Cad. Catarinense de Ensino de Física. 12(3), 164-214. Recuperado de: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5165906.

Minayo, M. C. S. (2014). O desafio do conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. São Paulo: Hucitec.

Minayo, M. C. S., Assis, S. G., Souza, E. R. (2010). Avaliação por triangulação de métodos: Abordagem de Programas Sociais. Rio de Janeiro: Fiocruz.

Oliver, G. S., & Figuerôa, S. F. M. (2006). Características da institucionalização das ciências agrícolas no Brasil. Rev. SBHC.4(2), 105-115. Recuperado de: https://www.sbhc.org.br/arquivo/download?ID_ARQUIVO=111.

Oki, M. C. M., & Moradillo, E. F. (2008). The teaching of History of Chemistry: improving the knowledge about the nature of science. Ciênc. Educ. 14(1), 67-88. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132008000100005.

Piaget, J. (1967). Biologia e conhecimento: Ensaio sobre as relações entre as regulações orgânicas e os processos cognoscitivos. Ed. Vozes.

Robinson, J. (1965). Science Teaching and the Nature of Science. J. Res. Sci. Teaching, 3, 37-50. doi: https://doi.org/10.1002/tea.3660030107.

Teixeira, W., Fairchild, T. R., Toledo, M. C. M.de, & Taioli, F. (2000). Decifrando a Terra. [Brochura]. São Paulo, SP, Brasil: Oficina de Textos.

Teixeira, W., Fairchild, T. R., Toledo, M. C. M.de, & Taioli, F. (2008). Decifrando a terra. [Brochura]. São Paulo, SP, Brasil: Cia Ed. Nacional.

Santos, S. B., Odetti, H. S., Ocampo, E. M., Ortolani, A. E., Junior, B. B. N., Santos, B. F., & Ribeiro, M. A. P. (2014). La disciplina de la história de la ciencia y de la técnica: Contribuciones para la enseñanza y la formación de profesores de Química. Educ. quím,. 25(1), 71-81. Recuperado de: http://www.revistas.unam.mx/index.php/req/article/download/64355/56488.

Vergara, M. R. (2009). Ciência e território em uma revista literária nos primeiros anos da república. Rev. Tempos Históricos. 13(2), 119-137. Recuperado de: http://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/4358/3326.

Wincander, R., Monroe, J. S. (2009). Fundamentos de Geologia. São Paulo, Brasil: Cengage Learning.

Publicado
2019-02-14
Como Citar
Marinho, C., Miguel, G. F., Simas, J. de L., & Gonçalves, P. W. (2019). Elementos da História e Filosofia das ciências em livros didáticos de Geologia: uma análise temporal. Terrae Didatica, 15, e019008. https://doi.org/10.20396/td.v15i1.8654663

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 > >>