Divulgação geocientífica inclusiva: a audiodescrição de vídeos educativos

la audiodescrição de videos educativos

  • Juliana Pontin Universidade de São Paulo
  • Rosely Aparecida Liguori Imbernon Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Audiodescrição, Educação inclusiva, Educação em geociências.

Resumo

O Brasil apresenta um contingente de mais de 6,5 milhões de pessoas com deficiências visuais, sendo 582 mil cegas e 6 milhões com baixa visão. Neste universo, poucas iniciativas educacionais em geociências são identificadas, e, em geral, não fazem uso de vídeos educativos. O presente estudo tem como objetivo a apropriação do recurso da audiodescrição em vídeos educativos, com foco no ensino de ciências, especificamente, conteúdos relativos às geociências e meio ambiente. A produção de materiais de divulgação científica para deficientes visuais, com foco na educação básica, carece de recursos didáticos, tal como a audiodescrição, que auxiliem ao professor e propiciem ao aluno com deficiência visual acesso a vídeos encontrados no YouTube. A audiodescrição (AD) baseia-se em técnicas de transformação do visual em verbal, abrindo-se um leque de possibilidades de acesso à cultura e à informação, promovendo a inclusão social, cultural e escolar de indivíduos com deficiências visuais, e pode ser aplicada em espaços formais e não formais de educação. A audiodescrição, por se tratar de uma temática muito recente no campo social e científico, e que envolve a educação inclusiva, necessita de pesquisas sistemáticas, para que se possa desenvolver normas de audiodescrição que uniformizem a técnica em diferentes países em que a AD é aplicada. Assim, as atividades que permearam esse estudo foram efetivadas no âmbito do projeto “Cinco Pedrinhas”, componente do Programa Espaço Ciência Cultura Educação (ECCE), da Escola de Artes, Ciências Humanidades (EACH-USP). A audiodescrição foi desenvolvida para ser incorpora ao vídeo em stop motion publicado no YouTube, “Cinco pedrinhas saem em aventura”, propiciando assim uma narração descritiva em áudio. Para compor essa audiodescrição foram utilizadas referências nacionais e internacionais de técnicas que permitiram o desenvolvimento dos textos, além do acompanhamento de um audiodescritor para correção e direcionamento do trabalho, e estudos de campo por meio do acompanhamento de peças teatrais e musicais nas quais a audiodescrição estava disponível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Pontin, Universidade de São Paulo

Curso de Licenciatura em Ciências da Natureza, Escola de Artes, Ciências Humanidades (EACH-USP).

Rosely Aparecida Liguori Imbernon, Universidade Estadual de Campinas

 Professor Associado MS-5.2 da Escola de Artes, Ciências e Humanidades - EACH da Universidade de São Paulo. 

Referências

Audio Description Coalition. (2008). The Áudio Description Coalition Standards for Audio Description and Code of Professional Conduct for Describers. US, 2008.

Franco, E. P. C.; Silva, Carvalho, M. C. C. C. (2010). Audiodescrição: Breve passeio histórico. In: Mot¬ta, L. M. V. M. M.; & Romeu Filho, P. (Orgs.) (2010). Audiodescrição: Transformando imagens em pa¬lavras. São Paulo: Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo.

Franco, E. P. C. (2010). A importância da pesquisa acadêmi¬ca para o estabelecimento de normas da audiodescrição no Brasil [online]. Visitado em 30/04/2019. Disponível em: http://audiodescriptionworldwide.com/rbtv/ importancia-da-pesquisa-academica-para-o-esta-belecimento-de-normas-da-audiodescricao-no¬-brasil/.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Visitado em 30/04/2019 https://www.ibge. gov.br/estatisticas/multidominio/ciencia-tecno¬logia-e-inovacao/9662-censo-demografico-2010. html?=&t=o-que-e.

Imbernon, R. A. L.; Toledo, M. C. M. de; Cubero, J.; Pioker-Hara, F. C.; Pimenta, R.; Faht, C. E.; Pi¬nheiro, E.; & Cavalcanto, C. F. (2018). “Cinco Pe¬drinhas Saem em Aventura”: Educação em Geoci¬ências por meio da linguagem teatral. Experiências em Ensino de Ciências, 13(3), 68-76.

ITC (2000). Guidance on Standards for Audiodescription, Audetel,

UNE 153020. (2005). Audiodescripción para personas com discapacidad visual. Requisitos para la audiodescripción y elaboración de audioguías. Madrid: AENOR, 2005.

Publicado
2019-11-23
Como Citar
Pontin, J., & Imbernon, R. A. L. (2019). Divulgação geocientífica inclusiva: a audiodescrição de vídeos educativos. Terrae Didatica, 15, e019052. https://doi.org/10.20396/td.v15i0.8657612