Banner Portal
A formação de professores nos cursos de Ciências Naturais (LCN) no Brasil no século XXI:
Entrada monumental da Gruta do Lago Azul, ricamente ornamentada por estalactites e estalagmites, situada no município de Bonito, a E da Serra da Bodoquena e a sudoeste do município de Miranda. A região serrana foi edificada em unidades carbonáticas dos grupos Cuiabá e Corumbá, de idade Neoproterozoica. Fotografia: Adriano Gambarini.
PDF

Palavras-chave

Currículos
Interdisciplinaridade
Geociências
Ensino

Como Citar

IMBERNON, Rosely Aparecida Liguori; GUIMARÃES, Eliane Mendes; GALVÃO, Rozana de Medeiros Sousa; LIMA, Aldeniza Cardoso de; SANTIAGO, Lucídia Fonseca; JANNUZZI, Célia Maria Lira; CALIXTO, Tiago. A formação de professores nos cursos de Ciências Naturais (LCN) no Brasil no século XXI: : perspectiva de alunos e professores. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 16, p. e020030, 2020. DOI: 10.20396/td.v16i0.8659017. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8659017. Acesso em: 23 maio. 2024.

Resumo

Em 2008, na Universidade de Brasília, Campus de Planaltina (UnB-Planaltina), no 1º Seminário Brasileiro de Integração das Licenciaturas em Ciências Naturais (LCN), estiveram presentes coordenadores e/ou representantes de cursos de Licenciatura em Ciências Naturais de SP (Universidade de São Paulo), PA (Universidade Estadual do Pará e Universidade Federal do Pará), do Amazonas (Universidade Federal do Amazonas), BA (Universidade Estadual da Bahia), AC (Universidade Federal do Acre), MT (Universidade Federal do Mato Grosso), RJ (Universidade Federal Fluminense) e MG (Universidade Federal de Minas Gerais). O Seminário objetivou aproximar as universidades envolvidas na formação de professores de Ciências Naturais, de modo a formar uma rede de conhecimento. A reunião foi sucedida por outras, que promoveram debates e trocas de experiência sobre formação de professores de Ciências Naturais, envolvendo coordenadores de cursos, professores e alunos de cursos LCN. Os temas discutidos envolvem diretrizes curriculares nacionais e campos de atuação dos egressos.

https://doi.org/10.20396/td.v16i0.8659017
PDF

Referências

Brasil. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria da Educação Fundamental. (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. Brasília: MEC/SEF.

Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. (1999). Referenciais para formação de professores. Brasília: MEC/SEF.

Conselho Nacional de Educação (CNE). (2019). Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica. Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Resolução CNE/CP n. 2, de 20 de dezembro de 2019. Brasília-DF: CNE. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=135951-rcp002-19&category_slug=dezembro-2019-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 08. 06. 2020.

Chaves, A., & Shellard, R. C. (2005). Física para o Brasil: pensando o futuro. São Paulo: Sociedade Brasileira de Física, 2005. Disponível em: http://www.sbfisica.org.br/v1/arquivos_diversos/publicacoes/FisicaBrasil_Dez05.pdf. Acesso em: 23. 03. 2019.

Compiani, M. (2005). Geologia/Geociências no Ensino Fundamental e a Formação de Professores. Revista IG-USP, 3, 13-30.

Gil-Pérez, D., Carrascosa, J., Furió, C., & Martínez-Torregrosa, J (1991) La enseñanza de las ciencias en la educación secundaria. Barcelona, Horsori.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). (2019). Relatório Brasil no PISA 2018. Versão Preliminar. Coords. Nascimento, C. D’L. & Borges, V. M. Brasília-DF: Inep/MEC. 160p. Disponível em: http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/pisa/documentos/2019/relatorio_PISA_2018_preliminar.pdf. Acesso em: 15. 05. 2020.

Krasilchik, M. (1980). Inovação no ensino de ciências. In: Garcia, Walter. (Coord.) (1980). Inovação educacional no Brasil: problemas e perspectivas. São Paulo: Cortez Autores Associados.

Krasilchik, M. (1987) O professor e o currículo das ciências. São Paulo: EPU/EDUSP.

Nardi, R. (2005) Memórias da educação em ciências no Brasil: a pesquisa em ensino de física. Investigações em Ensino de Ciências, 10(1), 63-101.

Neto, J. M. (2014). Parecer analítico sobre a BNCC-Ciências da Natureza. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/relatorios-analiticos/Parecer_8_CI_Jorge_Megid_Neto.pdf. Acesso em: 09. 06. 2020.

Oliveira, J. F.; Imbernon, R. A. L. (2014). Avaliação dos Projetos Políticos Pedagógicos (PPP) de cursos de Licenciatura em Ciências Naturais (LCN) no Brasil. Conferência In: 3º Seminário Brasileiro de Integração das Licenciaturas em Ciências Naturais. Faculdade UnB Planaltina (FUP), Universidade de Brasília (UnB).

Pierson, A. H. C., & Neves, M. R. (2000). Interdisciplinaridade na formação de professores de ciências: conhecendo obstáculos. Porto Alegre, Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 1(2), 120-131.

Pontuschka, N. N. A. (1994). A formação pedagógica do professor de geografia e as práticas interdisciplinares. Tese (Doutorado em Educação). São Paulo, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo.

Razuck, R. C. S. R., & Rotta, J. C. G. (2014). O curso de licenciatura em Ciências Naturais e a organização de seus estágios supervisionados. Ciênc. Educ., Bauru, 20(3), 739-750. doi: 10.1590/1516-73132014000300014.

Reis, R. C., & Mortimer, E. F. (2020). Um estudo sobre Licenciaturas em Ciências da Natureza no Brasil. EDUR Educação em Revista, 36, 1-13. doi: 10.1590/0102-4698205692.

Ristoff, D. (2012). A tríplice crise na formação de professores. GEA-ES, FLACSO-Brasil, Fundação Ford.

Saviani, D. (2006) A nova lei da educação: LDB trajetória, limites e perspectivas. Campinas: Autores Associados.

Soares, S. S. D., & Nascimento, P. A. M. M. (2012) Evolução do desempenho cognitivo dos jovens brasileiros no Pisa. Cadernos de Pesquisa 42(145), 68-87. Doi: 10.1590/S0100-15742012000100006.

Souza, R. T. Y. B., Souza, L. O., Oliveira, S. R., & Takahashi, E. L. H.(2019) Formação continuada de professores de ciências utilizando a Aquaponia como ferramenta didática. Ciência & Educação 25(2), 395-410. doi: 10.1590/1516-731320190020008.

Villani, A., Pacca, J. L. A., & Freitas, D. (2002). Formação do Professor de Ciências no Brasil: Tarefa Impossível? Atas do VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Física. São Paulo: Sociedade Brasileira de Física. v. único. p. 1-20.

UNESCO (2003). A ciência para o século XXI: uma nova visão e uma base de ação. Brasília: UNESCO, ABIPTI, 2003. 72p. Texto baseado na Conferência Mundial sobre Ciência, Santo Domingo, 10-12 mar, 1999 e na Declaração sobre Ciências e a Utilização do Conhecimento Científico, Budapeste, 1999. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ue000207.pdf. Acesso em: 09. 06. 2020.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Terrae Didatica

Downloads

Não há dados estatísticos.