Banner Portal
Pagamento por Serviços Ambientais (PSA)
Entrada monumental da Gruta do Lago Azul, ricamente ornamentada por estalactites e estalagmites, situada no município de Bonito, a E da Serra da Bodoquena e a sudoeste do município de Miranda. A região serrana foi edificada em unidades carbonáticas dos grupos Cuiabá e Corumbá, de idade Neoproterozoica. Fotografia: Adriano Gambarini.
PDF

Palavras-chave

Educação Geocientífica
Mapeamento Socioambiental
Geoética

Como Citar

PENKAITIS, Gabriela; IMBERNON, Rosely Aparecida Liguori; VASCONCELOS, Clara Maria da Silva de. Pagamento por Serviços Ambientais (PSA): o papel do conhecimento geocientífico no protagonismo social. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 16, p. e020025, 2020. DOI: 10.20396/td.v16i0.8659281. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8659281. Acesso em: 27 maio. 2024.

Resumo

O Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) é uma política implantada a partir do Código Florestal de 2012, como incentivo à manutenção da vegetação e/ou recuperação de áreas de proteção permanente em áreas rurais. O Programa “Produtor de Água” é uma parceria entre atores da gestão pública federal, estadual e municipal, entidades não governamentais, produtores rurais e iniciativa privada, na proteção hídrica no país, para conservação do solo e água, redução da erosão e assoreamento dos mananciais nas áreas rurais, mediante adoção de práticas e manejos sustentáveis. A avaliação do conhecimento geocientífico dos atores envolvidos adotou referencial metodológico qualitativo, em estudo de caso do Programa em Salesópolis, São Paulo. Os resultados de entrevistas semiestruturadas e oficina de mapeamento socioambiental apontaram a pouca (ou nenhuma) noção dos agentes acerca de boas práticas de uso do solo e recuperação das áreas degradadas, preservação de solos e outros temas relacionados ao conhecimento geocientífico.

https://doi.org/10.20396/td.v16i0.8659281
PDF

Referências

Agência Nacional de Águas (ANA). (2019). Website do Programa Produtor de Água. Brasília, DF. Disponível em: http://produtordeagua.ana.gov.br. Acesso em: 20.11.2019.

Bacci, D. D. L. C., Jacobi, P. R. & Santos, V. M. N. (2013). Aprendizagem Social nas Práticas Colaborativas; exemplos de ferramentas participativas envolvendo diferentes atores sociais. Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 6(3), 227-243. ISSN 1982-5153. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/38160/29101. Acesso em: 02.09.2019.

Beck, U. (1994). The Reinvention of Politics: Towards a Theory of Reflexive Modernization. In: Beck, U., Giddens, A., & Lash, S. eds. (1994). Reflexive Modernization. Politics, Tradition and Aesthetics in the Modern Social Order. p. 1-55. Polity Press, Cambridge. ISBN: 9780804724722.

Conservador da Mantiqueira. (2020). Programa Conservador da Mantiqueira. Extrema, MG, Prefeitura Municipal de Extrema. Disponível em: https://conservadordamantiqueira.org/plano/. Acesso em: 20.03.2020.

Daily, G.C. (1997). Introduction: What are ecosystem services? In: Daily, G. C. ed. (1997). Nature’s Services: Societal Dependence on Natural Ecosystems. Washington, DC, Island Press. p. 1-10.

Diamond, J. (2005). Collapse. How Societies Choose to Fail or Survive. London: Allen Lane. 590p.

Favretto, D. (2012). Análise do sistema de pagamento por serviços ambientais no âmbito internacional. Anais do Universitas e Direito, PUC-PR. p. 134-151.

Gerhardt, T. E., & Silveira, D. T. (Orgs.). (2009). Métodos de pesquisa. Universidade Aberta do Brasil (UAB/UFRGS) e Curso de graduação tecnológica, planejamento e gestão para o desenvolvimento rural da SEAD/UFRGS. Porto Alegre: Ed. UFRGS. 120p.

Gjorup, A.F., Fidalgo, E. C. C., Prado, R. B., & Schuler, A. E. (2016). Análise de procedimentos de seleção de áreas prioritárias em programas de pagamentos por serviços ambientais hídricos. Taubaté, Revista Ambiente & Água [on line], 1, 225-238. doi: 10.4136/ambi-agua.1782.

Millenium Ecossystem Assessment (MEA). (2003). Ecosystems and human well-being: a framework for assessment. Washington, DC, Island Press. Disponível em: http://www.millenniumassessment.org/en/Framework.html. Acesso em: 27.09.2019.

Prado, R. B., Fidalgo, E. C. C., Ferreira, J. N., Campanha, M. M., Vargas, L. M. P., Mattos, L. M. de, Pedreira, B. C. C. G., Monteiro, J. M. G., ..., & Coutinho, H. L. C. (2015). Pesquisas em serviços ecossistêmicos e ambientais na paisagem rural do Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física, 8(n. esp.), 610-622. (IV SMUD). doi: 10.26848/rbgf.v8.0.p610-622.

Prefeitura de Salesópolis. (2013). Plano Municipal de Saneamento da Estância Turística de Salesópolis. Salesópolis, SP.

Santos, V. M. N., & Jacobi, P. R. (2017). Educação, ambiente e aprendizagem social: metodologias participativas para geoconservação e sustentabilidade. Brasília, DF, Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 98(249), 522-539. doi: 10.24109/2176-6681.rbep.98i249.2758.

Shiki, S.; Shiki S.F.N (2011). Os desafios de uma Política Nacional de Pagamentos por Serviços Ambientais: lições a partir do caso do Proambiente. Sustentabilidade em Debate, 2(1), 99-118. doi: 10.18472/SustDeb.v2n1.2011.3909.

Sparovek, G., Barretto, A., Klug, I., Papp, L., Lino, J. (2019). A revisão do Código Florestal brasileiro. Novos Estudos CEBRAP, 89, 111-135.

Stake, R. E. (2011). Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Trad. Karla Reis; Rev. Técn. Nilda Jacks. Porto Alegre: Penso Ed. 263p.

Steiner, A. (2011). O uso de estudos de caso em pesquisas sobre política ambiental: vantagens e limitações. Curitiba, Revista de Sociologia Política, 19(38), 141-158. doi: 10.1590/S0104-44782011000100009.

Vandenabeele, J., & Goorden, L. (2009). Participatory planning in protected areas: exploring the social-science contribution. In: Arjen E.J. Wals ed. Social learning towards a sustainable world: Principles, perspectives, and praxis. p. 197-208.

Wildemeersch, D. (2009). Social learning revisited: Lessons learned from North and South. In: Arjen E. J. Wals ed. (2009 2nd ed.) Social Learning towards a sustainable world. Principles, perspectives and praxis. Cap. 4. p. 99-116. The Netherlands: Wageningen Academic Publishers. ISBN: 978-90-8686-031-9. doi: 10.3920/978-90-8686-594-9.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Terrae Didatica

Downloads

Não há dados estatísticos.