Banner Portal
Percepções sobre a Geodiversidade em trilhas de montanha
Entrada monumental da Gruta do Lago Azul, ricamente ornamentada por estalactites e estalagmites, situada no município de Bonito, a E da Serra da Bodoquena e a sudoeste do município de Miranda. A região serrana foi edificada em unidades carbonáticas dos grupos Cuiabá e Corumbá, de idade Neoproterozoica. Fotografia: Adriano Gambarini.
PDF

Palavras-chave

Geoturismo
Unidades de Conservação
Geodiversidade

Como Citar

PESSOA, F. A. .; BRITO, A. F. S. .; PACHECO, F. F.; PEIXOTO, M. N. de O.; MANSUR, K. L. Percepções sobre a Geodiversidade em trilhas de montanha: Travessia Petrópolis-Teresópolis, Parque Nacional da Serra dos Órgãos, RJ. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 16, p. e020036, 2020. DOI: 10.20396/td.v16i0.8660148. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8660148. Acesso em: 26 fev. 2024.

Resumo

O conceito de Geodiversidade – que enfatiza uma visão integrada dos elementos e processos abióticos e bióticos, com características, funções e serviços ecossistêmicos associados – ainda é pouco conhecido e, consequentemente, pouco divulgado, apesar de ser apropriado na prática em inúmeras atividades, como por exemplo o montanhismo em unidades de conservação. O presente artigo tem como objetivo promover uma melhor compreensão da percepção dos visitantes sobre a Geodiversidade em trilhas, a partir do estudo de caso da Travessia Petrópolis-Teresópolis. Para isso, foi elaborado um questionário que, após divulgação em diversos meios, alcançou um diversificado público. Os resultados indicam a necessidade de se avançar no tema para se obter a elaboração de roteiros geoturísticos e geodidáticos com uma inserção mais adequada no território onde são propostos, além de reforçarem a necessidade de uma abordagem multi-escalar e geossistêmica para esses estudos, o que pode favorecer um entendimento mais amplo acerca da Geodiversidade.

https://doi.org/10.20396/td.v16i0.8660148
PDF

Referências

Faria, A. P. (2006). Montanhismo Brasileiro. Paixão e Aventura. Rio de Janeiro: Publit, Selo Montanhar. 262p.

Gray, M. (2013). Geodiversity. Valuing and Conserving Abiotic Nature. 2 ed. Londres: Wiley-Blackwell. 508p.

Hartwig, M. E. (2006). Tectônica rúptil mesozóico-cenozóica na região da Serra dos Órgãos, RJ. (Dissertação Mestrado). São Paulo: Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-15032007-085200/pt-br.php. Acesso em: 27.08.2020.

Heilbron, M. da C. P. L., Pedrosa-Soares, A. C., Campos-Neto, M. C., Silva, L. C. da, Trouw, R. A. J., & Janasi, V. de A. (2004). Província Mantiqueira. In: Mantesso-Neto, V., Bartorelli, A., Carneiro, C. D. R., & Brito-Neves, B. B. de (Orgs.). 2004. Geologia do continente Sul-Americano: evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. São Paulo: Beca. p. 203-234.

ICMBio/Parnaso. Parque Nacional da Serra dos Órgãos. (2016). Caminhos da Serra do Mar. ICMBio. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/parnaserradosorgaos/destaques/167-caminhos-da-serra-do-mar.html. Acesso em: 27.08.2020.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2012). Manual técnico da vegetação brasileira. Sistema fitogeográfico, inventário das formações florestais e campestres, técnicas e manejo de coleções botânicas, procedimentos para mapeamentos. 2 ed. Rio de janeiro: IBGE/Diretoria de Geociências. 272p.

Instituto Estadual do Ambiente (INEA). (2013). Resolução CERHI-RJ Nº 107 de 22 de maio de 2013. Disponível em: http://www.inea.rj.gov.br/Portal/Agendas/GESTAODEAGUAS/InstrumentosdeGestodeRecHid/PlanodeRecursosHidricos. Acesso em: 27.08.2020.

Lucena, W. M. (2008). História do Montanhismo no Rio de Janeiro. Dos primórdios aos anos 1940. 2ª ed. Rio de janeiro: Publit, Selo Montanhar. 264p.

Oliveira, S. N. de, Carvalho Júnior, O. A. de, Martins, E. de S., Silva, T. M. da, Gomes, R. A. T., & Guimarães, R. F. (2007). Identificação de Unidades de Paisagem e sua implicação para o ecoturismo no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Geomorfologia, 8(1), 87-107. doi: 10.20502/rbg.v8i1.88.

Pessoa, F. A., Brito, A. F. S., Pacheco, F. F., Peixoto, M. N. de O., & Mansur, K. L. (2019). Patrimônio geomorfológico e interpretação ambiental em trilhas de montanha (Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Rio de Janeiro, Brasil). Physis Terrae. Revista Ibero-Afro-Americana de Geografia Física e Ambiente, 1(2), 121-138. doi: 10.21814/physisterrae.2217.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Terrae Didatica

Downloads

Não há dados estatísticos.