Alfabetização científica e Climatologia

proposta de um livro a partir dos princípios do Desenho Universal de Aprendizagem (DUA)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v17i00.8664831

Palavras-chave:

Materiais didáticos, Educação, Nuvens

Resumo

Buscando integrar alunos em sala de aula e facilitar o trabalho do professor, este trabalho explorou possibilidades de relacionamento entre os princípios do Desenho Universal de Aprendizagem (DUA) e o ensino de Climatologia para elaboração de materiais didáticos. Produziu-se um modelo de livro em formato físico e de e-book sobre a temática das “Nuvens” e questões sobre ciclo hidrológico e estrutura da atmosfera. No e-book, os temas foram relacionados à questão das Mudanças Climáticas. A temática climatológica justifica-se por ser um assunto presente no cotidiano de todos; os conceitos, no entanto, não são compreendidos por toda a população. Conclui-se que, quando os princípios do DUA são utilizados desde a concepção do projeto, como no presente caso, é possível explorar, de maneira global, metodologias e ferramentas que ampliem as oportunidades de aprendizagem de pessoas que podem compor, ou não, o público-alvo da Educação Especial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica Patricia Oliveira, Universidade Estadual de Campinas

Graduada em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas e Mestranda do Programa de Pós Graduação em Ensino e História das Ciências da Terra.

Larissa Vieira Zezzo, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Ensino e História das Ciências da Terra pela Universidade Estadual de Campinas. Mestre em Geociências e Meio Ambiente pela Universidade Estadual Paulista. Graduada em Ciências Ambientais pela Universidade Federal de São Paulo.

Priscila Pereira Coltri, Universidade Estadual de Campinas

Pesquisadora e Diretora do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri), Unicamp. Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino e História das Ciências da Terra, Instituto de Geociências, Unicamp.

Referências

Abreu, B.M. (2020). Inclusão e acessibilidade em tempos de pandemia. Belo Horizonte, Pedagogia em Ação, 13(1), 155-165.

Allocca, R., & Fialho, E. S. (2021). Uma experiência no ensino de Climatologia escolar. Revista Brasileira de Climatologia, 28. doi: 10.5380/rbclima.v28i0.76300.

Bertoldi, A. (2020). Alfabetização científica versus letramento científico: um problema de denominação ou uma diferença conceitual? Rio de Janeiro, Revista Brasileira de Educação, 25, e250036. doi: 10.1590/s1413-24782020250036.

Branco, A. B. G., Branco, E. P., Fávaro L.A. I., & Akiko L. N. (2018). Alfabetização e letramento científico na BNCC e os desafios para uma educação científica e tecnológica. Revista Valore, 3, 702-713.

Brasil. Senado Federal. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Centro Gráfico. 48p.

Brasil. (2009). Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Dispõe sobre a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Brasília, DF. URL: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm. Acesso 25.10.2020.

Brasil. (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394. URL. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso 18.10.2020.

Brasil, MEC/SEB. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Brasília. MEC/SEB. URL. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinalsite.pdf. Acesso 20.10.2020.

Brasil. (2008). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial (SEESP). Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP.

Brasil. (2009). Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Dispõe sobre a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Brasília, DF. URL: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm. Acesso 25.10.2020.

Cavalcanti, L. (2010). Ensino de Geografia e Diversidade Construção de Conceitos Geográficos Escolares e Atribuição de Significados pelos Diversos Sujeitos de Ensino, In: Castellar, S. (2010). Educação Geográfica: teorias e práticas docentes. São Paulo: Contexto. p. 66-78.

Center for Applied Special Technology. CAST. (2018). Universal Design for Learning Guidelines version 2.2. URL: http://udlguidelines.cast.org/. Acesso 18.10.2020.

Center for Applied Special Technology. CAST. (2020). AEM-Accessible Education Material. URL: https://aem.cast.org/creating/designing-for-accessibility-pour.html. Acesso 28.10.2020.

Chassot, A. (2003). Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, (22), 89-100. doi: 10.1590/S1413-24782003000100009.

Dupigny‐Giroux, L-A. L. (2010). Exploring the challenges of Climate Science Literacy: lessons from students, teachers and lifelong learners. Geography Compass, 4(9), 1203-1217. doi: 10.1111/j.1749-8198.2010.00368.x.

Dutra, G., Oliveira, E., & Del Pino, J. (2017). Alfabetização científica e tecnológica na formação do cidadão. Revista Signos, 38(2), 56-62. doi: 10.22410/issn.1983-0378.v38i2a2017.1375.

Fialho, N. N. (2007). Jogos no Ensino de Química e Biologia. Curitiba: Intersaberes. 220p.

Fialho, E. S. (2013). Climatologia: ensino e emprego de geotecnologias. Curitiba, Revista Brasileira de Climatologia, 9(13), 30-50.

Fialho, I. (2008). Promover a educação ambiental no Jardim-de-Infância. Algumas propostas. In: 5º Encontro de Educadores de Infância e Professores do 1.º Ciclo do Ensino Básico. Casa Diocesana de Vilar, Porto: Areal Editores. URL: http://rdpc.uevora.pt/handle/10174/5087. Acesso 02.10.2020.

Fernandes, L. A. & Fialho, E. S. (2018). Papel dos saberes vernaculares, com ênfase nos ditos populares, para a aprendizagem significativa da climatologia no Ensino médio: uma proposição. In: Simpósio Brasileiro de Climatologia Geográfica, Juiz de Fora, MG. p. 1023-1032.

Freire. P. (2020). Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra. 143p.

Glat, R., & Fernandes, E. M. (2005). Da Educação segregada à educação inclusiva: uma breve reflexão sobre os paradigmas educacionais no contexto da educação especial brasileira. Brasília, Revista Inclusão, 1(1), 35-39.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). (2019). Resumo Técnico. Censo Escolar 2019. Brasília, DF: INEP. URL: https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/pesquisas-estatisticas-e-indicadores/censo-escolar/resultados.

International Cloud Atlas (2017). Manual on the Observation of Clouds and Other Meteors. URL: https://library.wmo.int/index.php?lvl=notice_display&id=5357#.YHRaehJv9H4. Acesso 10.04.2021.

Kingsbury, C. G., Sibert, E. C., Killingback, Z. & Atchison, C. L. (2020) “Nothing about us without us:” The perspectives of autistic geoscientists on inclusive instructional practices in geoscience education. Journal of Geoscience Education, 68(4), 302-310, doi: 10.1080/10899995.2020.1768017.

King-Sears, M. (2009). Universal Design for Learning: Technology and Pedagogy. Learning Disability Quarterly, 32(4), 199-201. doi: 10.2307/27740372.

Moreira, L. C., Baumel, R. C. & Rocha de C. (2001). Currículo em educação especial: tendências e debates. Educar em Revista, 17, 125-137. doi: 10.1590/0104-4060.224.

Maia, D. C. (2012). Mídia escrita e o ensino de climatologia no Ensino da Climatologia no Ensino Fundamental. Boa Vista. Revista Acta Geográfica, (Ed. Especial Climatologia Geográfica), 137-148.

Martí, M. A. S. (1998). Aplicaciones prácticas de la didáctica multisensorial de las ciencias: un paso más en la atención a la diversidad. Alambique, 16, 55-59.

Mendonça, F. & Danni-Oliveira, I. M. (2007). Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. São Paulo: Oficina de Textos. 206p.

Nardim, A. C. de, & Menezes, E. C. P. (2008). Representações docentes: o olhar para o aluno com necessidades educacionais especiais. Revista Educação Especial (UFSM), 31, 63-74.

Nunes, M. & Madureira, I. (2015). Desenho Universal para a Aprendizagem: Construindo práticas pedagógicas inclusivas. Da Investigação às Práticas, 5(2), 126 -143.

Nunes, R. C. & Dutra, C. M. (2020). Desafios da inclusão no ensino de ciências: Uruguaiana/RS. Brazilian Journal of Development. 6(6), 38.768-38.785. doi: 10.34117/bjdv6n6-426.

Ochaíta, E. & Rosa, A. (1995). Percepção, ação e conhecimento em crianças cegas. In: Coll, C.; Marchesi A. & Palacios, J. 1995). Desenvolvimento psicológico e educação: necessidades educativas especiais e aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artes Médicas. p. 183-197.

Oliveira Neto, V. P., Carmo, J. S. & Peretto, A. (2015). Climograma lúdico: Proposta de recurso didático para o ensino do clima nas aulas de Geografia. União da Vitória, Revista Multidisciplinar de Licenciatura e Formação docente. Ensino e Pesquisa, 13(1), 213-226.

Orsati, F. T. (2013). Acomodações, modificações e práticas efetivas para a sala de aula inclusiva. Temas sobre Desenvolvimento, 19(107), 213-22.

Pessôa, K., & Favalli, L. (2017). Novo Pitanguá: Ciências. São Paulo: Moderna.

Pisha, B. & Coyne, P. (2001). Smart from the start: the promise of Universal Design for Learning. Remedial and Special Education, 22(4), 197-203. doi: 10.1177/074193250102200402.

Razuck, R. C. S. R. (2011). A pessoa surda e suas possibilidades no processo de aprendizagem e escolarização. Brasília: Universidade de Brasília. 266p. (Tese Dout.).

Reis, G. A., Cavalcante, L. V. S., & Oliveira, E. C. (2020). O conceito de Alfabetização Científica e a possibilidade de interações entre cinco competências gerais da Base Nacional Comum Curricular BNCC. Research, Society and Development, 9(8), e831986507.

Rodrigues, P. (2020). Um desafio para a Base Nacional Comum Curricular: o diálogo entre a alfabetização científica e tecnológica e a inclusão escolar. Horizontes. Revista de Educação, 8(15), 150-160. doi: 10.30612/hre.v8i15.12285.

Sasseron, L. H. & Carvalho, A. M. P. (2011). Alfabetização Científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências, 16(1), 59-77.

Steinke, E. T. (2012). Climatologia fácil. São Paulo: Oficina de textos. 144p.

Steinke, E. T., & Fialho, E. (2017). Projeto Coletivo sobre avaliação dos conteúdos de Climatologia nos livros didáticos de geografia dos 5º E 6º anos do ensino fundamental. Revista Brasileira de Climatologia, (20). doi: 10.5380/abclima.v20i0.45829.

Vidal, L. A., Cintra, E. M. D. & Tavares, A. S. (2019). Interdisciplinaridade no Ensino Médio através do Ensino de Meteorologia. Experiências em Ensino de Ciências, 14(3), 486-501.

Zerbato, A. P. & Mendes, E. G. (2018). Desenho universal para a aprendizagem como estratégia de inclusão escola Educação. Educação Unisinos, 22(2), 147-155. doi: 10.4013/edu.2018.222.04.

Zezzo, L. V., Oliveira, J. P. de, & Coltri, P. P. (2020). Clima em jogo: uma ferramenta pedagógica para aprendizagem de conceitos em Geociências, com ênfase na Climatologia. Terræ Didatica, 16(Publ. Contínua), e020003. doi: 10.20396/td.v16i0.8656203.

Downloads

Publicado

2021-05-13

Como Citar

OLIVEIRA, J. P.; ZEZZO, L. V.; COLTRI, P. P. Alfabetização científica e Climatologia: proposta de um livro a partir dos princípios do Desenho Universal de Aprendizagem (DUA). Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 17, n. 00, p. e021019, 2021. DOI: 10.20396/td.v17i00.8664831. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8664831. Acesso em: 23 out. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)