Estudo das percepções de estudantes de engenharia sobre tecnologia social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v17i00.8666328

Palavras-chave:

Inclusão social, Meio ambiente, Questionário

Resumo

A Tecnologia Social (TS) desempenha um importante papel ao adotar diferentes alternativas em prol do meio ambiente e do desenvolvimento científico e tecnológico. Além disso, ela promove a inclusão social e a participação ativa da população. Deste modo, é importante reforçar o papel e a compreensão dos diferentes atores sociais sobre TS. Este estudo buscou investigar a percepção de estudantes de cursos de Engenharia de instituições públicas e privadas do Estado do Rio de Janeiro sobre o conceito de TS. Para isto, foi aplicado um questionário online para 399 estudantes e os dados foram analisados à luz da Análise de Conteúdo. Os resultados indicaram que grande parte dos estudantes compreendem as aplicações da TS, porém não apresentam práticas sustentáveis em seu cotidiano. Concluiu-se que a compreensão sobre TS para o futuro engenheiro é necessária, pois proporcionará uma melhor decisão na aplicação em causas relacionadas à inclusão social e sustentabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Brenda dos Santos Costa, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Sukow da Fonseca

Graduanda em Engenharia Ambiental pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ) do Rio de Janeiro e voluntária do Laboratório de Divulgação Científica e Ensino de Ciências (LABDEC).

Bruna Sarpa Miceli, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Sukow da Fonseca

Doutoranda em Ciência, Tecnologia e Educação pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Sukow da Fonseca (CEFET/RJ).

Pedro Miguel Marques da Costa, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Sukow da Fonseca

Doutorando em Ciência, Tecnologia e Educação pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ).

Marcelo Borges Rocha, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Sukow da Fonseca

Docente no Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET/RJ).

Referências

Adams, T. (2007). Educação e economia (popular) solidária: mediações pedagógicas do trabalho associado na Associação dos Recicladores de Dois Irmãos, 1994-2006. Universidade do Vale do Unisinos, São Leopoldo (Tese, Doutorado).

Archanjo Junior, M. G. & Gehlen, S. T. (2020). A Tecnologia Social e sua Contribuição para a Educação em Ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 20, 345-374. doi: 10.28976/1984-2686rbpec2020u345374.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Brasil. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano. (2010). Manual para Implantação de Compostagem e de Coleta Seletiva no Âmbito de Consórcios Públicos. Brasília, DF.

Bauer, M. W., & Gaskell, G. (2017). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes.

Câmara, R. H. (2013). Análise de conteúdo: da teoria à prática em pesquisas sociais aplicadas às organizações. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 6(2), 179-191. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/gerais/v6n2/v6n2a03.pdf. Acesso em: 06. 05. 2021.

Coelho, M. (2008). Coleta seletiva na escola no condomínio na empresa na comunidade no município. Secretaria do Meio Ambiente, São Paulo. Disponível em: https://www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br/cea/2008/08/coleta-seletiva-escola-condominio-empresa-comunidade-municipio/. Acesso em: 23.05.2021.

Coelho, Q. M. & Gonçalves, A. C. (2011). Avaliação de projetos sociais: a perspectiva da comunidade. Revista Alcance, 18 (4), 436-447. doi: 10.14210/alcance.v18n4.p436-447.

Costa, C. C. D., & Guilhoto, J. J. M. (2014). Saneamento rural no Brasil: impacto da fossa séptica biodigestora. Engenharia Sanitária e Ambiental, 19, 51-60. doi: 10.1590/S1413-41522014019010000171.

Dagnino, R., Gomes, E., Costa, G., & Stefanuto, G. (2002). Gestão estratégica da inovação: metodologias para análise e implementação. Taubaté: Cabral Universitária.

Dagnino, R. (2004). A tecnologia social e seus desafios. Tecnologia social: uma estratégia para o desenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundação Banco do Brasil. p. 187-209.

Dagnino, R., Brandão, F. C., & Novaes, H. T. (2004). Sobre o marco analítico-conceitual da tecnologia social. Tecnologia social: uma estratégia para o desenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundação Banco do Brasil. p. 65-81.

Dagnino, R., & Novaes, H.T. (2008). O papel do engenheiro na sociedade. Revista tecnologia e sociedade, 4(6), 95-112.

Franzoni, G. & Silva, T. (2016). Inovação Social e Tecnologia Social: o caso da Cadeia Curta de Agricultores Familiares e a Alimentação Escolar em Porto Alegre/RS. Desenvolvimento em questão, 14(37), 353-386. doi: 10.21527/2237-6453.2016.37.353-386.

Finnveden, G., Hauschild, M. Z., Ekvall, T., Guinée, J., Heijungs, R., Hellweg, S., Koehler, A., Pennington, D., & Suh, S. (2009). Recent developments in Life Cycle Assessment. Journal of Environmental Management, 91(1), 1-21. doi: 10.1016/j.jenvman.2009.06.018.

Gil, A. C (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas.

Jayal, A.D, Badurdeen, O.W, Dillon Jr., O.W. & Jawahir, I.S. (2010). Sustainable Manufacturing: Modeling and Optimization of Indicators for Sustainable Manufacturing. Cirp Journal of Manufacturing Science and Technology, 2, 144-152.

Horst, L. V. M., & Freitas, C. C. G. (2016). Desenvolvimento sustentável e inovação social: a reciclagem sob a perspectiva da tecnologia social. Revista Tecnologia e Sociedade, 12(26), 20-41. doi: 10.3895/rts.v12n26.3787.

Lima, F. D. P. A., Varella, C. V. S., Oliveira, F. G. D., Parreiras, G., & Rutkowski, J. (2011). Tecnologias sociais da reciclagem: efetivando políticas de coleta seletiva com catadores. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, 4(SPE), 131-146. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/gerais/v4nspe/v4nspea04.pdf. Acesso em: 21.05.2021.

Lombardi, M. R. (2005). Perseverança e resistência: a engenharia como profissão feminina. Campinas, Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação. 286p. Tese (doutorado).

Martins, E. F. (2008). Extensão como componente curricular: oportunidade de formação integral e de solidariedade. Ciências & Cognição, 13(2), 201-209. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/232/131. Acesso em: 10.06.2021.

Moghimi, M., Emadi, M., Akbarpoor, A. M., & Mollaei, M. (2018). Energy and exergy investigation of a combined cooling, heating, power generation, and seawater desalination system. Applied Thermal Engineering, 140, 814-827. doi: 10.1016/j.applthermaleng.2018.05.092.

Novaes, H. T., & Dias, R. (2009). Contribuições ao marco analítico-conceitual da tecnologia social. In: Dagnino, R.T. Tecnologias sociais: ferramenta para construir outra sociedade. Campinas: Unicamp, 17-53.

Paludo, A. (2013). Administração Pública. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

Otterloo, A. (2009). Tecnologias Sociais: Caminhos para a sustentabilidade. Brasília: Gráfica Brasil.

Oliveira, E de, Ens, R. T, Freire Andrade, D. B. S & Mussis, C. R. (2003). Análise de conteúdo e pesquisa na área da educação. Revista Diálogo Educacional, 4(9), 1-17. doi: 10.7213/rde.v4i9.6479.

Pereira, J. M. (2008) Políticas públicas de educação no Brasil: a utilização da EAD como instrumento de inclusão social. Journal Technology Management & Innovation, 3(1), 44-55. Disponível em: https://repositorio.uahurtado.cl/handle/11242/2121. Acesso em: 04.06.2021.

Rodrigues, I. & Barbieri, C. J. (2008). A emergência da tecnologia social: revisitando o movimento da tecnologia apropriada como estratégia de desenvolvimento sustentável. Revista de administração Pública, 42(6), 1069-1094. doi: 10.1590/S0034-76122008000600003.

RTS. Rede de Tecnologia Social (2009). Tecnologias Sociais: Caminhos para a sustentabilidade. Brasília: Gráfica Brasil.

Shuaib, M., Seevers, D., Zhang, X., Badurdeen, F., Rouch, K. E & Jawahir, I. S. (2014). Product sustainability index: a metrics-based framework to evaluate the total life cycle sustainability of manufactures products. Journal of Industrial Ecology. 18(4), 491-501. doi: 10.1111/jiec.12179.

Tachizawa, T. (2005). Gestão Ambiental e Responsabilidade Social Corporativa: Estratégia de Negócios Focados na Realidade Brasileira. São Paulo: Atlas.

Withers, P. J. A, Jarvie, H. P & Stoate, C. (2011). Quantifying the impact of septic tank systems on eutrophication risk in rural headwaters. Environment International, 37(3), 644-653. doi: 10.1016/j.envint.2011.01.002.

Downloads

Publicado

2021-10-19

Como Citar

COSTA, B. dos S.; MICELI, B. S.; COSTA, P. M. M. da; ROCHA, M. B. Estudo das percepções de estudantes de engenharia sobre tecnologia social . Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 17, n. 00, p. e021033, 2021. DOI: 10.20396/td.v17i00.8666328. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8666328. Acesso em: 6 dez. 2021.