Percepção dos visitantes do museu da geodiversidade sobre o patrimônio geológico ex situ em exposição

Autores

  • Renan Gomes Paiva da Silva Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Aline Rocha de Souza Ferreira de Castro Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Kátia Leite Mansur Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v17i00.8666422

Palavras-chave:

Divulgação científica, Questionário, Público, Museu, Patrimônio geológico

Resumo

Apesar do avanço da discussão sobre geodiversidade e patrimônio geológico, desde 1990, a falta de produção sobre o patrimônio geológico ex situ ainda é considerada baixa. Esse patrimônio pode estar inserido no contexto de museus de ciências. Assim, para entender a relação entre o público que visitam esses espaços e o patrimônio geológico salvaguardado é preciso realizar pesquisa de opinião, no intuito de incluir a população nas elaborações e ações dos museus, principalmente em suas estratégias de divulgação científica. O artigo apresenta dados gerados a partir da elaboração e aplicação de questionários, a serem preenchidos pelo público de visitantes do MGeo a partir do 6º ano do ensino fundamental. Esses dados analisam 3 aspectos do público: quem são, experiência no MGeo e percepção e apropriação dos temas geodiversidade e patrimônio geológico. O MGeo cumpre seu papel de instituição que promove divulgação geocientífica, mas o aprimoramento desse papel pode ser enriquecido com mais pesquisas sobre o público que o visita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renan Gomes Paiva da Silva, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorando em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Aline Rocha de Souza Ferreira de Castro, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Especialista em acessibilidade cultural pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Museóloga e vice-diretora do Museu da Geodiversidade.

Kátia Leite Mansur, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professora do Instituto de Geociências pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Diretora do Museu da Geodiversidade.

Referências

Aracri, E.M.R.P. 2013. Professores no Museu da Geodiversidade: o capital cultural nas percepções e expectativas da relação museu x escola. Departamento de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. (Dissertação Mestrado), 160 f.

ASGMI. 2018. Metodología de valoración del patrimonio geológico. 1er Taller de Patrimonio de la ASGMI

Borges, K. R. 2008. Experimentos interativos: preferências de alunos segundo faixa etária. In: Borges, R.M.R.; Mancuso, R., Lima, V.M.R. (Org.). Museu interativo: fonte de inspiração para a escola. 2ªed. Porto Alegre: ediPUCRS, cap. 2, p. 21-26.

Brilha J. 2016. Inventory and quantitative assessment of geosites and geodiversity sites: a review. Geoheritage, 8: 119-134

Castro, A.R.S.F.; Greco, P.D.; Mansur, K.L.; Pereira, E.M. R.; Diogo, M.C.; Carvalho, I.S. A. 2012. Museografia como ferramenta para a divulgação das Geociências: a experiência do Museu da Geodiversidade (MGEO/ IGEO/UFRJ). In: HENRIQUES, M. H. et al. (Org.). Para Aprender com a Terra: memórias e notícias de geociências no espaço lusófono. Coimbra: Universidade de Coimbra, v. 2, p. 185-193.

Castro, A. R. S. F.; Mansur, K. L. E Carvalho, I. S. 2015. Diagnóstico da relação da comunidade com o patrimônio geológico por meio de instrumento de coleta de dados. Terrae Didática, 11(3): 162-172.

Diogo, M.C. E Silva, R.G.P. 2018. Visitas mediadas no Museu da Geodiversidade: um roteiro sobre patrimônio geológico. In: LIMA, J.C.P. (Org.) Identidade e Pertencimento: a cidade como construção de sociabilidades. São Paulo. Pontocom, p. 25-38.

García-Cortés A, Carcavilla Urquí LC. 2013. Documento Metodológico para la elaboracion del inventario espanñol de lugares de interés geológico (IELIG). Madrid: Instituto Geológico y Minero de España

Gil A.C. 1995. Métodos e técnicas de pesquisa social. 4. ed. São Paulo: Atlas. 200p.

Gray M. 2013. Geodiversity: valuing and conserving abiotic nature. John Wiley and Sons

Hooper-Greenhill, E. 2006. Studying visitors. In: MACDONALD S. A Companion to Museum Studies. 1ªed. West Sussex: Blackwell, p.362-376.

IPEA. 2010. Sistema de Indicadores de Percepção Social – Cultura. 17p. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=24426&catid=120&Itemid=2. Acesso em: 10/07/2018.

IPHAN. 2018. Lista de bens tombados e Processos em andamento (1938-2018). 2018. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Lista%20de%20Processos%20de%20Tombamento.pdf. Acesso em: 10/07/2018

ICOM. 2007. Definition of museum. Disponível em: https://icom.museum/en/activities/standards-guidelines/museum-definition/. Acesso em: 18/11/2018

Leiva, J. E Meirelles, R. 2018. Cultura nas capitais: como 33 milhões de brasileiros consome diversão e arte. Rio de Janeiro: 17 Street Produção Editorial, 196 p.

Mano, S.; Cazelli, S.; Costa, A. F.; Damico, J. S.; Silva, L. C.; Curz, W. S. E Guimarães, V. F. 2017. Museus de ciências e seus visitantes: estudo longitudinal – 2005, 2009, 2013. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz / Casa Oswaldo Cruz / Museu de Vida, 56p.

Mano, S. M. F. E Damico, J. S (Org.). 2017. Viajando com o Ciência Móvel. Caderno Museu da Vida, 6. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz / Casa Oswaldo Cruz / Museu de Vida, 52p.

Mansur, K.L. 2009. Projetos educacionais para popularização das geociências e para a geoconservação. Geol. USP, pulbi. espec., São Paulo, 5: 63-74

Paula, L.M.; Ruizb, A.S.; Pereira, G.R.; Andrade, V.A.; Coutinho-Silva, R.; Kurtenbach, E. 2014. Um sábado de grandes descobertas: um olhar acerca dos Sábados da Ciência do Espaço Ciência Viva no Rio de Janeiro. Lantin American Jornal of Science Education, 1: 22011-1 – 22011-14

Schobbenhaus, C. E Silva, C. R. 2012. Geoparques do Brasil: propostas. Rio de Janeiro: CPRM, 758p.

Silva G.P.S. 2020. Patrimônio geológico ex situ e estudo do seu potencial de divulgação cienífica no Museu da Geodiversidade (MGeo/IGEO/UFRJ). Rio de Janeiro: Instituto de Geociências UFRJ (Dissertação de Mestrado).

Van Geert F. 2020. Entre <> et meséologie géopatrimoniale: enjuex théoriques pour um futur muséal. ICOFOM Study Series, 48(1): 193-206

Downloads

Publicado

2021-12-24

Como Citar

SILVA, R. G. P. da; CASTRO, A. R. de S. F. de; MANSUR, K. L. Percepção dos visitantes do museu da geodiversidade sobre o patrimônio geológico ex situ em exposição. Terræ Didatica, Campinas, SP, v. 17, n. 00, p. e021055, 2021. DOI: 10.20396/td.v17i00.8666422. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8666422. Acesso em: 8 dez. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)