Banner Portal
Tradução em geociências e além
PDF

Palavras-chave

Comunicação
Ensino
Material didático
Formação de professores

Como Citar

MATOS , Suzana dos Santos; FRANCISCO , Ana Paula da Silva; CAVACIC , Denis; GONÇALVES , Ulisses dos Santos. Tradução em geociências e além: entrevista com Rualdo Menegat. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 18, n. 00, p. e022036, 2022. DOI: 10.20396/td.v18i00.8671638. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8671638. Acesso em: 25 jul. 2024.

Resumo

Professor Associado do Departamento de Paleontologia e Estratigrafia do Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Doutor em Ecologia da Paisagem, Mestre em Geociências e Geólogo pela mesma instituição, Rualdo Menegat é ainda Doutor Honoris Causa pela Universidade Ada Byron (Peru) e Professor da Cátedra UNESCO/Rede UniTwin de Desenvolvimento Sustentável/FLACAM (La Plata, Argentina). Seus mais de 30 anos de vida acadêmica, entre pesquisa e ensino, também foram marcados pelas traduções dos mais famosos manuais de Geologia por meio dos quais estudantes e sociedade conhecem Mineralogia, Sedimentologia e outras áreas das Geociências. De forma muito solícita e entusiasmada o professor, cientista e tradutor Rualdo Menegat concedeu entre novembro de 2021 e janeiro de 2022 a entrevista que segue, na qual relata com leveza um pouco da experiência de traduzir tão vasto material, constrói um panorama da evolução do ensino de Geologia no Brasil e tabula uma ampla e interessante discussão científica.

https://doi.org/10.20396/td.v18i00.8671638
PDF

Referências

Branco, P. M. (2014). Dicionário de Mineralogia e Gemologia. São Paulo: Oficina de Textos. 608p.

Branner, J. C. (1906). Geologia Elementar: preparada com referência especial aos estudantes brazileiros. Rio de Janeiro: Laemmert C.

Campos, H. (2004). Galáxias. São Paulo: Editora 34. 128p.

Carvalho, I. S. (Ed.) (2010). Paleontologia. Rio de Janeiro: Interciência. 4v.

Dana, J. D. (1969). Manual de Mineralogia. Revisão: Cornelius S. Hurlbut Jr. Trad. Rui Ribeiro Franco. Rio de Janeiro: Ao livro técnico.

Darwin, C. (1859). Origin of Species. London: John Murray, Albemarle Street. URL: https://www.gutenberg.org/files/1228/1228-h/1228-h.htm. Acesso 30.11.2022.

Derby, O. A. (1898). Investigações Geológicas do Brasil. In: Lapparent, A. A. C. (1920). Resumo de geologia. Trad. Benjamin Franklin Ramiz Galvão. Rio de Janeiro: Garnier.

Durant, W. (1996). A História da Filosofia. Nova Cultural. 480p.

Gradstein, F. M., Ogg, J. G., Schmitz, M. D., & Ogg, G. M. (2012). The Geologic Time Scale. Elsevier. 1144p.

Greimas, A. J. & Courtés, J. (1992). Dicionário de semiótica. São Paulo: Ed. Cultrix.

Greimas, A. J. (1976). Semiótica do discurso científico. Da modalidade. Ed. Difel. 86p.

Grotzinger, J. & Jordan, T. (2006). Para Entender a Terra. Trad. Iuri Duquia Abreu, revisão: Rualdo Menegat. Porto Alegre: Bookman. 738p.

Hasui, Y., Carneiro, C. D. R., Almeida, F. F. M. & Bartorelli, A. (Orgs.) (2012). Geologia do Brasil. São Paulo: Beca. 900p.

Humboldt, A. (1845). Kosmos. Berlim. URL: https://www.projekt-gutenberg.org/humbolda/kosmos/kosmos.html. Acesso 30.11.2022.

Jerram, D. & Petford, N. (2014). Descrição de rochas ígneas: guia geológico de campo. Trad. Rualdo Menegat. Porto Alegre: Bookman. 280p.

Klein, C. & Dutrow, B. (2012). Manual de ciência dos minerais. Trad. Rualdo Menegat. Porto Alegre: Bookman. 716p.

Leinz, V. & Amaral, S. E. (1978). Geologia Geral. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

Lisle, R. J., Brabham, P. & Barnes, J. (2014). Mapeamento geológico básico: guia geológico de campo. Trad. Rualdo Menegat. Porto Alegre: Bookman. 248p.

Lyell, C. (1853). Principles of Geology. New York: D. Appleton & Co. 817p. URL: https://www.gutenberg.org/files/33224/33224-h/33224-h.htm. Acesso 30.11.2022.

Mantesso-Neto, V., Bartorelli, A., Carneiro, C. D. R. & Brito-Beves, B. B. (Orgs.) (2004). Geologia do Continente Sul-Americano: evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. São Paulo: Becca. 570p.

Mendes, J. C. (1984). Elementos de Estratigrafia. São Paulo: Ed. USP. 566p.

Miall, A. D. (2016). Stratigraphy: a modern synthesis. Springer Cham. 454p.

Pomerol, C., Lagabrielle, Y., Rernard, M., & Guillot, S. (2013). Princípios de Geologia: técnicas, modelos e teorias. Trad. Maria Lidia Vignol Lelarge, revisão: Rualdo Menegat. Porto Alegre: Bookman. 1052p.

Popp, J. H. (1979, 1981, 1984, 1987, 1998, 2001, 2010, 2012, 2017). Geologia Geral. Rio de Janeiro: LTC. 376p.

Press, F., & Siever, R. (1965, 1991). Understanding Earth. W. H. Freeman. 568p.

Rudwick, M. J. S. (2008). Worlds Before Adam: the reconstruction of Geohistory in the Age of Reform. Chicago: The University of Chicago Press. 648p.

Sgarbi, G. N. C. (Org.) (2007). Petrografia macroscópica das rochas ígneas, sedimentares e metamórficas. Belo Horizonte: Ed. UFMG. 559p.

Suess, E. (1892). Das Antlitz der Erde. URL: https://archive.org/details/dasantlitzderer02suesgoog/page/n5/mode/2up. Acesso 30.11.2022.

Suguio, K. (1973). Introdução à sedimentologia. São Paulo: Edgard Blücher.

Suguio, K. (1998). Dicionário de Geologia Sedimentar e Áreas Afins. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 1222p.

Teixeira, W., Toledo, M. C. M., Fairchild, T. R., & Taioli, F. (Orgs.) (2000). Decifrando a Terra. São Paulo: Oficina de Textos. 568p.

Tucker, M. E. (2014). Rochas sedimentares: guia geológico de campo. Trad. Rualdo Menegat. Porto Alegre: Bookman. 324p.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Terrae Didatica

Downloads

Não há dados estatísticos.