Banner Portal
Integração entre geografia acadêmica e escolar na educação básica
PDF

Palavras-chave

Práticas pedagógicas
Geografia escolar
Geografia física

Como Citar

RANGEL, Luana de Almeida; ALLOCHIO, Maria Vitoria Gomes; GUERRA, Antonio Jose Teixeira. Integração entre geografia acadêmica e escolar na educação básica: educa solos. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 19, n. 00, p. e023003, 2023. DOI: 10.20396/td.v19i00.8671643. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8671643. Acesso em: 15 abr. 2024.

Resumo

Introdução. A Geografia, na condição de disciplina científico-escolar permite, entre outros aspectos, que os estudantes aprendam sobre a importância dos solos. Entretanto, em virtude da ausência de recursos pedagógicos adequados para o ensino da temática, muitos estudantes não compreendem tal importância. Objetivo e Metodologia. Assim, estimular a participação discente em práticas científicas no ensino básico, como por exemplo análise de solos, é essencial para despertar o interesse pela ciência. O objetivo desta pesquisa é aproximar estudantes do ensino básico de práticas científicas, a partir da criação do primeiro Laboratório de Análises de Solos em uma escola pública do município do Rio de Janeiro. Resultados e Conclusão. Para tanto, após a implementação do laboratório na escola Municipal Marília de Dirceu, alguns alunos foram capacitados para realizar análises de solos e, como monitores do laboratório, apresentaram as práticas para outros estudantes. Concluiu-se que, a partir das atividades realizadas, o conteúdo de Geografia Física foi mais bem assimilado e ocorreu aprendizagem significativa.

https://doi.org/10.20396/td.v19i00.8671643
PDF

Referências

Afonso, A. E. (2015). Perspectivas e possibilidades do ensino e da aprendizagem em Geografia Física na formação de professores. 236 f. Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio de Janeiro. (Tese Dout., Geografia). URL: http://objdig.ufrj.br/16/teses/826981.pdf. Acesso 19.12.2022.

Beck, U., Giddens, A., Lash, S. (1994). Reflexive Modernization: politics, traditions aesthetics in the modern social order. Cambridge: Cambridge Univ. Press.

Bertolini, W. Z. (2010). O ensino do relevo: noções e propostas para uma didática da geomorfologia. Minas Gerais. 2010. 194f. Belo Horizonte. Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais. (Dissert. Mestrado). URL: http://hdl.handle.net/1843/MPBB-86JKC3. Acesso 19.12.2022.

Bertolini W. Z., & Valadão R. C. A (2009). Abordagem do relevo pela Geografia: uma análise a partir dos livros didáticos. Campinas, Terræ Didatica, 5(1), 27-41. doi: 10.20396/td.v5i1.8637500.

Brasil. Ministério da Educação. (2016). Base Nacional Comum Curricular. Proposta preliminar, segunda versão, revista. Brasília: MEC/SEF, 2016. URL: www.basenacionalcomum.mec.br. Acesso 10.09.2022.

Brasil. Ministério da Educação. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Educação é a Base. Brasília: MEC. URL: www.basenacionalcomum.mec.br. Acesso 19.12.2022.

Carvalho, A. L. P. (2004). Necessidades na produção acadêmica em Geomorfologia Escolar. In: Simpósio Nacional de Geomorfologia, 2004, São Luís, MA. Universidade Federal do Maranhão, v. 2, p. 1-4.

Cavalcanti, L. S. (2010). Geografia, escola e construção de conhecimentos. 16 ed. Campinas: Papirus.

Cavalcanti, L. S. (2011). O lugar como espacialidade na formação do professor de Geografia: breves considerações sobre práticas curriculares. Rio de Janeiro, Revista Brasileira de Educação em Geografia, 1(2), 01-18. URL: http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/21144. Acesso 30.12.2022.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Embrapa. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. (2011) Manual de métodos de análise de solo. Rio de Janeiro: Embrapa-CNPS. 212p. (Documentos).

Freitas, L. E. de, & Coelho Netto, A. L. (2016). Reger córrego Dantas: uma ação coletiva para enfrentamento de ameaças naturais e redução de desastres socioambientais. Ciência & Trópico. Rio de Janeiro, Ed. Massangana. p. 165-190.

Freitas, A. L. F., Vital, A. F. M., Nascimento, B. M. S., Lustosa, A. F. S., Souza, M. P., & Ramos, G. G. R. (2018). Percepções sobre a importância do solo: Estudo de caso em uma escola de Itapetim, PE. Agropecuária científica no semiárido, 14(1), 42-49. doi: 10.30969/acsa.v14i1.932.

Hollman, V., & Lois, C. (2015) Geo-Grafías: imágenes e instrucción visual en la Geografía Escolar. Buenos Aires: Paidós, Cuestiones de Educación.

Jorge, M. C. O. (2021). Solos: conhecendo sua história. São Paulo, SP: Oficina de Textos.

Mendes, O. S. (2017). O solo no Ensino de Geografia e sua importância para a formação cidadã na Educação Básica. Goiânia: Universidade Federal de Goiás, Instituto de Estudos Socioambientais (IESA), Programa de Pós-Graduação em Geografia. (Dissert. Mestrado). URL: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/8187. Acesso 30.12.2022.

Morais, E. M. B. O ensino das temáticas físico-naturais na Geografia Escolar (2011) São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade de São Paulo. (Tese Dout., Geografia). URL: https://repositorio.usp.br/item/002282559. Acesso 28.12.2022.

Muggler, C. C., Araújo F. P. S., Azevedo V. M. (2006). Educação em solos: princípios, teoria e métodos. Viçosa, Revista Brasileira de Ciência do Solo, 30(4), 25-37.

Nunes, M. S., Azevedo, R. J. G., & Silva, P. E. A. B. da. (2016). A abordagem de conteúdos relativos à ciência dos solos em livros didáticos de geografia para o ensino médio. Revista de Geografia-PPGEO-UFJF, v. 6, n. 3, URL: https://periodicos.ufjf.br/index.php/geografia/article/view/18031. Acesso 28.12.2022.

Oliveira, J. J. A., & Cardoso, C. (2020). O currículo dos cursos de licenciatura em Geografia e a inserção da temáticos do risco socioambiental. In: Cardoso, C., Silva, M. S., & Guerra, A. J. T. (Orgs.). (2020). Geografia e os riscos socioambientais. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. p. 97-126.

Orion N., & Trend R. (2009). Thinking and learning in the Geosciences (editorial). Journal of Geoscience Education, 57(4), 222-223. doi: https://doi.org/10.5408/1.3544273.

Portela, M. O. B. (2018). A BNCC para o ensino de Geografia: a proposta das Ciências Humanas e da interdisciplinaridade. Revista OKARA: Geografia em debate, 12(1), 48-68. doi: 0.22478/ufpb.1982-3878.2018v12n1.38216.

Rangel, L. A. (2022). Geografia física no ensino fundamental II: análise da Base Nacional Comum Curricular e do currículo municipal do Rio de Janeiro. Revista Giramundo, 9(17). (no prelo).

Rangel, L. A., & Silva, A. C. (2020). Atividade prática para aprendizagem geográfica: ensino de solos na educação básica. Terræ Didatica, 16(Publ. Contínua), 1-8, e020014. doi: 10.20396/td.v16i0.8658877.

Rangel, L., Jorge, M., Allochio, M. V., & Guerra, A. (2022). Geodiversity in elementary school: knowing the rocks and soils to recognize the Geoheritage in Rio de Janeiro City, Brazil, In: 10th International Conference on Geomorphology, Coimbra, Portugal, 12-16 Sep 2022, ICG2022-108. doi: 10.5194/icg2022-108.

Rodrigues, A. M. (2020). Geodiversidade como instrumento para a conservação dos solos e educação ambiental: Sítio PROMATA, localizado na bacia hidrográfica do rio Escuro, Ubatuba, SP. Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio de Janeiro. (Tese Dout., Geografia). URL: https://minerva.ufrj.br/F/?func=direct&doc_number=000908932&local_base=UFR01. Acesso 30.12.2022.

Santos, V. M. N., & Jacobi, P. R. (2011). Formação de professores e cidadania: projetos escolares no estudo do ambiente. São Paulo, Educação e Pesquisa, 37(2), 263-278. doi: 10.1590/S1517-97022011000200004

Santos, J. D. dos, & Catuzzo, H. (2020). O chão que você pisa: práticas itinerantes para o ensino de solos. Terræ Didatica, 16(Publ. Contínua), 1-14, e20004. doi: https://doi.org/10.20396/td.v16i0.8657202.

Silva, A. C., Rangel, L. A. (2020). Potencialidades e dificuldades da abordagem de conteúdos geomorfológicos no Ensino Básico. In: Cardoso, C., Silva, M. S., Guerra, A. J. T. (Org.). Geografia e os riscos socioambientais. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. p. 79-96.

Torres, E. C., & Santana, C. D. (2009). Geomorfologia no ensino fundamental conteúdos geográficos e instrumentos lúdico-pedagógicos. Geografia, Londrina, v. 18, n. 1, p. 233-264. URL: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/geografia. Acesso 12.12.2022.

Tuesta, R. F., Digiampietri, L.A., Delgado, K. V., & Martins, N. F. A. (2019). Análise da participação das mulheres na ciência: um estudo de caso da área de Ciências Exatas e da Terra no Brasil. Porto Alegre, Em Questão, 25(1), 37-62. doi: 10.19132/1808-5245251.37-62.

Veyret, Y., & Richemond, N. M. (2007). O risco, os riscos. In: Veyret, Y. (Eds.). (2007). Os Riscos. O homem como agressor e vítima do meio ambiente. São Paulo: Contexto. p. 23-47.

Vilela, C. L. (2018). Conhecimento escolar em Geografia: explorando discursos em disputa na definição de fronteiras entre as disciplinas nos currículos. Educação e filosofia, 32(64), 135-156. doi: 10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v32n64a2018-07.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Terrae Didatica

Downloads

Não há dados estatísticos.