Banner Portal
Planejamento de atividades de campo
PDF
Informação Suplementar

Palavras-chave

Base Nacional Comum Curricular
Trilhas interpretativas
Anos iniciais do ensino fundamental
Educação básica

Como Citar

NEGREIROS, Ana Raquel Alves de; AMARAL, Ricardo Farias do; SILVA, Cláudia Patrícia Araújo e. Planejamento de atividades de campo: ciclo da água no ensino contextualizado das Geociências. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 19, n. 00, p. e023028, 2023. DOI: 10.20396/td.v19i00.8673730. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8673730. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Introdução. As Geociências possuem grande importância no ensino e aprendizagem nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, podendo corroborar na preservação dos espaços verdes remanescentes. Objetivo e Metodologia. A possibilidade de aplicar o conteúdo das Geociências nessa etapa de ensino pode ser aumentada a partir da identificação e correlação de conteúdos propostos na BNCC. Resultados. Partindo da análise dos espaços para atividades pedagógicas em campo e dos conteúdos regimentadas pela BNCC, a categoria “ciclo da água” foi escolhida como eixo central de ensino em de Parnamirim (RN), sendo identificadas 30 habilidades relacionadas à categoria. Constatou-se que 45% das escolas no município estão a até 1 km próximas de canais fluviais, com maior número localizado próximo ao Riacho Água Vermelha, escolhido para elaboração de exemplo de trilha interpretativa com ênfase em nova habilidades regimentadas pela BNCC, como exemplo de proposta de ensino em espaço para atividades pedagógicas. Conclusão. São necessárias, porém, adaptações nesses espaços para que sejam ainda mais adequados ao ensino e aprendizagem.

https://doi.org/10.20396/td.v19i00.8673730
PDF
Informação Suplementar

Referências

Amaral, R. F. do, Ovigli, D. F. B., & Colombo Jr., P. D. (2020). Aprendendo com a natureza: Geodiversidade, atividades audiovisuais e trilhas interpretativas no ensino das Ciências da Terra. Terræ Didatica, 16, 1-5, e020021. doi: 10.20396/td.v16i0.8658702.

Bacci, D. L. C., Oliveira, L. A. S. de, & Pommer, C. P. (2009). Contribuição da abordagem geocientífica no Ensino Fundamental: tempo Geológico, origem do petróleo e mudanças ambientais. Enseñanza de las Ciencias: Revista de Investigación y Experiencias Didácticas, 8, 3459-3463. URL: https://raco.cat/index.php/Ensenanza/article/view/294705. Acesso 09.10.2023.

Bacci, D. L. C.; & Boggiani, P. C. (2015). O currículo do curso de Licenciatura em Geociências e Educação Ambiental (LiGEA-USP): formação de professores com visão sistêmica do planeta Terra. In: Bacci, D. L. C. (org.). Geociências e educação ambiental [livro eletrônico]. Curitiba: Ponto Vital Ed. URL: http://www.igc.usp.br/fileadmin/files/biblioteca/Pdfs/geociencias_ebook.pdf. Acesso 09.10.2023.

Brasil. Ministério da Educação. (2017). Base Nacional Comum Curricular. Brasília, MEC. URL: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso 09.10.2023.

Carneiro, C. R., Toledo, M. C. M., & Almeida, F. F. M. (2004). Dez motivos para a inclusão de temas de Geologia na educação básica. Revista Brasileira de Geociências, 34(4), 553-560. doi: 10.25249/0375-7536.2004344553560.

Compiani, M. (2005). Geologia/Geociências no Ensino Fundamental e a Formação de Professores. Geol. USP Publ. Espec, 3, 13-30. doi: 10.11606/issn.2316-9087.v3i0p13-30.

Compiani, M. (2015). Por uma pedagogia crítica do lugar/ambiente no ensino de Geociências e na Educação Ambiental. In: Bacci, D. C. (org.). Geociências e Educação Ambiental. Curitiba: Ponto Vital. URL: http://www.igc.usp.br/fileadmin/files/biblioteca/Pdfs/geociencias_ebook.pdf. Acesso 09.10.2023.

D’Aquino, C. de A., & Bonetti, J. (2015). Estratégias para o acompanhamento e avaliação de atividades práticas e saídas de campo em Geociências. Terræ Didatica, 11(2), 78–87. doi: 10.20396/td.v11i2.8640710.

Eastman, J. R. (2009). Decision Support: Decision Strategy Analysis. In: IDRISI Taiga Guide to GIS and Image Processing. Clark Labs, Clark University, URL: https://web.pdx.edu/~nauna/resources/TaigaManual.pdf Acesso 09.10.2023.

Google. (2022). Google Earth software. Google, Inc.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2022). Malha Municipal do RN. IBGE. URL: https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do-territorio/malhas-territoriais/15774-malhas.html?=&t=acesso-ao-produto. Acesso 16.10.2023.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2021). Panorama geral de cidades: Parnamirim. IBGE. URL: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rn/parnamirim/panorama. Acesso 20.10.2023.

Louv, R. (2016). Vitamin N: The Essential Guide to a Nature-Rich Life. New York: Algonquin Paperbacks. 277p.

MacKerron G., & Mourato S. (2013). Happiness is greater in natural environments. Global Environmental Change, 23(5), 992-1000. doi: 10.1016/j.gloenvcha.2013.03.010.

Marselle, M.R., Bowler, D.E., Watzema, J., Eichenberg, D., Kirsten, T., & Bonn, A. (2020). Urban street tree biodiversity and antidepressant prescriptions. Sci Rep. 10 (22445), 1-11. doi: 10.1038/s41598-020-79924-5

Martin, C. (2013). A interação rio-cidade e a revitalização urbana: experiências europeias e perspectivas para a América Latina. Confins, 18. doi: 10.4000/confins.8384.

Mello, F. T., Mello, L. H. C., & Torello, M. B. F. (2005). A Paleontologia na Educação Infantil: alfabetizando e construindo o conhecimento. Ciênc. educ. (Bauru), 11 (3), 395-410. doi: 10.1590/S1516-73132005000300005.

Morsch, M. R. S., Mascaró, J. J., & Pandolfo, A. (2017). Sustentabilidade urbana: recuperação dos rios como um dos princípios da infraestrutura verde. Ambient. constr. 17(4), 305-321. doi: 10.1590/s1678-86212017000400199.

Piranha, J. M., & Carneiro, C. D. R. (2009). O ensino de geologia como instrumento formador de uma cultura de sustentabilidade. Revista Brasileira de Geociências, 39, 129-137. doi: 10.25249/0375-7536.2009391129137.

Porath, S. L. (2004). A Paisagem dos rios urbanos: a presença do Rio Itajaí-Açu na cidade de Blumenau. Centro tecnológico, Universidade Federal de Santa Catarina. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo). URL: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/88115. Acesso 09.10.2023.

Portz, L. C., Manzolli, R. P., Rosa, M. L. C. C., Gruber, N. S., Barboza, E. G., & Tomazelli, L. J. (2018). Práticas em Geociências: roteiro de campo para compreender a evolução costeira no Rio Grande do Sul, Brasil. Terræ Didatica, 14(2), 119-133. doi: 10.20396/td.v14i2.8651854.

QEdu (Projeto). Fundação Lemann. (2020). Lista de escolas, cidades e estados. Fund. Lemann. URL: https://qedu.org.br/municipio/2403251-parnamirim/busca Acesso 18.10.2022.

QGIS Development Team (2022). QGIS Geographic Information System. Open-Source Geospatial Foundation Project. URL: http://qgis.osgeo.org. Acesso 09.10.2023.

Salvador, L. A., & Bacci, D. L. C. (2018). Abordagens geocientíficas em estudos do meio no Ensino Fundamental I: construindo pontes para o ensino interdisciplinar. Terræ Didatica, 14(1), 27–38. doi: 10.20396/td.v14i1.8652043.

Santos, M. C., Flores, M. D., & Zanin, E. M. (2011). Trilhas Interpretativas como Instrumento de Interpretação, Sensibilização e Educação Ambiental na APAE de Erechim/RS. Vivências, 7(13), 189-197. URL: https://docplayer.com.br/5970740-Trilhas-interpretativas-como-instrumento-de-interpretacao-sensibilizacao-e-educacao-ambiental-na-apae-de-erechim-rs.html Acesso 09.10.2023.

Santos, S. S., Pedrosa, K. M., Andrade, E. S., Silva, J. S., Rodrigues, E. F., & Xavier, W. J. F. (2020). Trilhas interpretativas utilizadas como recurso pedagógico: formação e informação no ensino básico. Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 7, (16), 749-769. doi: 10.21438/rbgas(2020)071621.

Santos, V. M. N., & Jacobi, P. R. (2017). Educação, ambiente e aprendizagem social: metodologias participativas para geoconservação e sustentabilidade. Rev. Bras. Estud. Pedagog, 98 (249), 522-529. doi: 10.24109/2176-6681.rbep.98i249.2758.

Scortegagna, A., & Negrão, O. B. M. (2005). Trabalhos de campo na disciplina de Geologia Introdutória: a saída autônoma e seu papel didático. Terræ Didatica, 1(1), 36-43. doi: 10.20396/td.v1i1.8637443.

Silva, C. P. A., Souza, R. F. (2020). Conteúdo de Geociências em Livros Didáticos de Ciências do Ensino Fundamental I: identificando a presença e os temas abordados. Ciênc. Educ. (Bauru), 26(8), 1-15. doi: 10.1590/1516-731320200055.

Silverman, B.W. (1986). Density Estimation for Statistics and Data Analysis. Chapman & Hall, London. doi: 10.1007/978-1-4899-3324-9.

Souza Jr, C. M., Shimbo, J. Z., Rosa, M. R., Parente, L. L., Alencar, A. A., Rudorff, B. F. T., Hasenack, H., (...) Azevedo, T. (2020). Reconstructing Three Decades of Land Use and Land Cover Changes in Brazilian Biomes with Landsat Archive and Earth Engine. Remote Sens, 12(17), 1-27. doi: 10.3390/rs12172735.

Tracana, R. B., Lopes, A., Farinha, A. M., & Ferreira, M. E. (2018). À descoberta de recursos naturais: uma atividade de outdoor com alunos do ensino primário. Campinas, SP, Terræ Didatica, 14(4), 477-486. doi: 10.20396/td.v14i4.8649282.

Viveiro, A. A. As atividades de campo no ensino de ciências: reflexões a partir das perspectivas de um grupo de professores. In: Nardi, R. (Org.) (2009). Ensino de ciências e matemática, I: temas sobre a formação de professores [online]. São Paulo: Ed. UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica. 258p. URL: http://books.scielo.org/id/g5q2h/pdf/nardi-9788579830044-03.pdf. Acesso 19.10.2023.

Viveiro, A. A., & Diniz, R. E. S. (2009). Atividades de campo no ensino das ciências e na educação ambiental: refletindo sobre as potencialidades desta estratégia na prática escolar. Ciência em Tela, 2 (1), 1-12. URL: http://www.cienciaemtela.nutes.ufrj.br/artigos/0109viveiro.pdf Acesso 09.10.2023.

White, M. P., Alcock, I., Grellier, J., Wheeler, B. W., Hartig, T., Warber, S. L., Bone, A., ... & Fleming, L. E. (2019). Spending at least 120 minutes a week in nature is associated with good health and wellbeing. Sci. Rep., 9(7730), 1-11. doi: 10.1038/s41598-019-44097-3.

White, M. P., Elliott, L. R., Grellier, J. Economou, T., Bell, S., Bratman, G. N., Cirach, M., ... & Fleming, L. E. (2021). Associations between green/blue spaces and mental health across 18 countries. Sci. Rep., 11(8903), 1-12. doi: 10.1038/s41598-021-87675-0.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Ana Raquel Alves de Negreiros, Ricardo Farias do Amaral, Cláudia Patrícia Araújo e Silva

Downloads

Não há dados estatísticos.