Audiodescrição simultânea: propostas metodológicas e práticas

Autores

  • Soraya Ferreira Alves Universidade de Brasília
  • Veryanne Couto Teles Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal

Palavras-chave:

Tradução. Audiodescrição simultânea. Acessibilidade.

Resumo

As mudanças que a sociedade brasileira vem sofrendo nas últimas décadas ajudaram a aumentar a conscientização sobre a importância da inclusão de grupos sociais historicamente marginalizados. Esse processo de ampliação da acessibilidade e seus mecanismos faz parte do crescente esforço para integrar uma parcela importante da população: as pessoas com deficiência. A audiodescrição (AD), assim como outras formas de tradução audiovisual (TAV), desempenha papel importante na promoção da acessibilidade, já que é uma ferramenta de tecnologia assistiva imprescindível para desenvolvimento social e por isso mesmo vem ganhando destaque. Por outro lado, para a consolidação satisfatória da aplicação da AD no país, são necessárias pesquisas que abordem essa mediação tradutória em diferentes ambientes. Sendo assim, este trabalho visa apresentar uma proposta de modelo de pré-roteiro para audiodescrição simultânea (ADS) embasada em aspectos teóricos da AD e na análise da própria prática das autoras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Soraya Ferreira Alves, Universidade de Brasília

Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP; Pós-Doutorado com projeto sobre formação de audiodescritores, pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). É professora adjunta da Universidade de Brasília - UnB, vinculada ao Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução e ao Programa de Pós-graduação em Estudos da Tradução, onde atua principalmente nos seguintes temas: tradução literária e audiovisual. Coordena grupo de pesquisa e extensão em Tradução Audiovisual, com foco em audiodescrição para pessoas com deficiência visual. É audiodescritora.  

Veryanne Couto Teles, Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal

Licenciada em Língua e Literatura Japonesa (2010) e Língua Portuguesa e sua respectiva Literatura (2015) ambas pela Universidade de Brasília. Mestre em Estudos da tradução pela Universidade de Brasília e pós-graduada em Audiodescrição pela Universidade Federal de Juiz de Fora, atuando principalmente nos seguintes temas: tradução audiovisual e intersemiótica, audiodescrição, deficiência visual, acessibilidade e língua e literatura portuguesa e japonesa. É audiodescritora.

Referências

ALVES, Soraya F.; TELES, Veryanne C.; PEREIRA, Tomás V. Propostas para um modelo brasileiro de audiodescrição para deficientes visuais. In: Revista Tradução e Comunicação. N. 22, 2011. Disponível em: http://sare.unianhanguera.edu.br/index.php/rtcom/article/view/3158.

ALVES, Soraya F., TEIXEIRA, Charles R. Audiodescrição para pessoas com deficiência visual: princípios sociais, técnicos e estéticos. In SANTOS; Cynthia; BESSA, Cristiane R; LAMBERTI, Flávia (org). Tradução em Contextos Especializados. Brasília: Editora Verdana, 2015.

ARAÚJO,Vera Lúcia Santiago. A formação de audiodescritores no Ceará e em Minas Gerais: Uma proposta baseada em pesquisa acadêmica. In: MOTTA, Lívia Maria Villela de Mello e FILHO, Paulo Romeu. Audiodescrição: Transformando Imagens em Palavras. São Paulo, 2010, 93-115.

BARBOSA, E. R. A transversalidade da audiodescrição no ensino de língua espanhola. In: IV Fórum Internacional de Pedagogia (FIPED), 2012, Parnaíba-PI. Anais Fiped (2012), 2012. v. 01. p. 01-01.

CONVENÇÃO NACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Presidência da República Secretaria de Direitos Humanos. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. 4a edição revista e atualizada, 2011. Disponível em http://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/sites/default/files/publicacoes/convencaopessoascomdeficienciapdf.pdf

COSTA & FROTA. Audiodescrição: primeiros passos. Tradução em Revista 11, 2011/2, p. 1-15. Disponível em: http://www.maxwell.lambda.ele.puc-rio.br/trad_em_revista.php?strSecao=input0. Acessado em 05 de agosto de 2015.

DIAZ-CINTAS, Jorge. Por una preparación de calidade en accesibilidad audiovisual. TRANS-Revista de Traductologia. Universidad de Málaga, n.II. Departamento de Traducción y Interpretación. Servicio de Publicaciones de la Universidad de Málaga, 2007, 45-99.

DIAZ-CINTAS, Jorge. Traducción Audiovisual y accessibilidad In: HURTADO, Catalina Jiménez (ed). Traducción y accessibilidad. Subtitulación para sordos y audiodescripción para ciegos: nuevas modalidades de Traducción Audiovisual. Frankfurt AM Main: Peter Lang, 2007, p.09-23.

ECO, Umberto. The Role of the Reader: Explorations in the Semiotics of Texts. Bloomington: Indiana University Press, 1979. 284p.

ECO, Umberto. Lector in Fabula: a cooperação interativa nostextos narrativos. São Paulo: Perspectiva, 1983.

FRANCO, Eliana; SILVA, Manoela Cristina Correia da. Audiodescrição: breve passeio histórico. In: MOTTA, Lívia Maria Villela de Mello e FILHO, Paulo Romeu. Audiodescrição: Transformando Imagens em Palavras. São Paulo, 2010, 23-42.

HURTADO, Catalina Jiménez. Fundamentos teóricos de la audiodescripción. In: HURTADO, Catalina J.; RODRIGUEZ, Ana; SEIBEL, Claudia (eds.). Un corpus de cine. Teoría y práctica de la audiodescripción. Granado: Ediciones Tragacanto, 2010.

HURTADO, Catalina Jiménez. Una gramática local del guión audiodescrito. Desde la semántica de un nuevo tipo de traducción. In: HURTADO, Catalina Jiménez (ed). Traducción y accessibilidad. Subtitulación para sordos y audiodescripción para ciegos: nuevas modalidades de Traducción Audiovisual. Frankfurt AM Main: Peter Lang, 2007, p.55-80.

JAKOBSON, R. Aspectos linguísticos da tradução. Trad. Izidoro Blikstein. In: JAKOBSON, R. Linguística e Comunicação. São Paulo: Cultrix, 1995, p.63-86.

Lei Brasileira de Inclusão - LEI Nº 13.146, de 6 de julho de 2015. (Disponível em:http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato20152018/2015/Lei/L13146.htm) Acesso em 12/09/2016.

LIMA, Francisco. Áudio-descrição: arte e linguagem a serviço da pessoa com deficiência visual. Disponível em: http://www.lerparaver.com/node/10690. Acessado em: 25 agosto de 2013.

MOTTA, Livia Maria V. M. Apresentações Acessíveis. Disponível em: http://www.vercompalavras.com.br/pdf/apresentacoes-acessiveis.pdf. Acesso em 12/09/2016

NAVES, Sylvia Bahiense; MAUCH, Carla; ALVES, Soraya Ferreira; ARAÚJO, Vera Lúcia S. Guia para Produções Audiovisuais Acessíveis. Brasília: Ministério da Cultura, 2016.

PAYÁ, Maria Pérez. La audiodescripción: traduciendo el lenguaje de las cámaras. In: HURTADO, Catalina Jiménez (ed). Traducción y accessibilidad. Frankfurt: Peter Lang, 2007.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. Tradução de José Teixeira Coelho Neto. São Paulo: Perspectiva, 4ªed. 2012.

PLAZA, Julio. Tradução Intersemiótica. SP: Perspectiva, 1987

POSADAS, Gala Rodríguez. La audiodescripción: parámetros de cohesión. In: JIMÉNEZ HURTADO, Catalina (ed.). Traducción y accesibilidad: Subtitulación para sordos y audiodescripción para ciegos; nuevas modalidades de Traducción Audiovisual. 2008, p.93-109.

Projeto de Lei nº 5.156 de 2013, artigo1º, Parágrafo único. Disponível em:http://www2.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=D02F497ED7908A6EE5955C7E0E6D41A1.node1?codteor=1073586&filename=Avulso+-PL+5156/2013. Acessado em 05 de agosto de 2015.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão: acessibilidade no lazer, trabalho e educação.Revista Nacional de Reabilitação (Reação), São Paulo, Ano XII, mar./abr. 2009,p. 10-16.

VERCAUTEREN, Gert. Towwards na European Guideline for audio description: a comparative analysis. In: DIAZ-CINTAS, Jorge; ORERO, Pilar; REMAEL, Aline (org.).Media for all: subtitling for the deaf, audio description and sign language. Amsterdam: Rodopi, 2007, p.139-149.

VIGATA, Helena S. A experiência artística das pessoas com deficiência visual em museus, teatros e cinemas: uma análise pragmaticista. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília/UnB, 2016

VIGOTSKY, L.S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

VIGOTSKY, L.S. Fundamentos de defectologia. La Habana: Pueblo y Educación, 1995. (Obras escogidas, tomo V.).

Downloads

Publicado

2017-10-20

Como Citar

ALVES, S. F.; TELES, V. C. Audiodescrição simultânea: propostas metodológicas e práticas. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 56, n. 2, p. 417–441, 2017. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8647486. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Dossier Research practices in literacies across languages and social domains

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)