A oferta do letramento e a garantia de futuros sociais: análise das políticas de letramento da UNESCO e de suas ideologias linguísticas

Autores

  • Marcelo Sousa Santos Universidade Federal do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Letramento. Ideologias linguísticas. Políticas de letramento da UNESCO.

Resumo

Neste artigo, analiso políticas de letramento da UNESCO e suas ideologias, a partir de materiais publicitários para o evento comemorativo de 50 anos do Dia Internacional de Letramento (UNESCO, 2016). Apoiada em teorias acerca de letramentos e de ideologias linguísticas (STREET, 2003, 2014 [1996]; KROSKRITY, 2004; WOOLARD, 1998; PHILIPS, 2004; SZUNDY, 2016), a análise mostra que as políticas de letramento da UNESCO se assentam sobre ideologias que avaliam língua/gem numa perspectiva cognitiva, neutra, despolitizada e independente de contextos sociais, revelando assim, uma concepção autônoma de letramento. Por considera-la inoperante para uma agenda de ensino crítico, problematizo tal concepção com vistas a pensar alternativas de letramento socialmente mais justas e alinhadas à formação de agentes sociais capazes de (inter)agir com/sobre as práticas de letramento que orientam a construção de significados na contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Sousa Santos, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal.

Referências

BRIGGS, C. 1998. “You’re a liar – you’re just like a woman!” Constructing dominant ideologies of language in Warao men’s gossip. In: SCHIEFFELIN, BAMBI B., WOOLARD, K. A. & KROSKRITY, PAUL V. (Eds.). Language ideologies practice and theory. Oxford: Oxford University Press, p. 229-255.

COPE, B.; KALANTZIS, M. Multiliteracies: literacy learning and the design of social futures. Routledge, 2000.

DIAS, I. S. Competências em educação: conceito e significado pedagógico. In: Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, vol.14, n. 1, jan./jun. 2010, p. 73 – 78. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/pee/v14n1/v14n1a08 Acesso em: 01 nov. 2016.

FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 23. ed. SP: Cortez, 1989 [1981].

FREIRE, P.; MACEDO, D. Alfabetização: leitura do mundo, leitura da palavra. Trad. Lólio Lourenço de Oliveira. 6. ed. RJ: Paz e Terra, 2013.

GARCIA, L. A. M. Competências e Habilidades: você sabe lidar com isso? In: Educação pública, online. Disponível em http://www.educacaopublica.rj.gov.br/biblioteca/educacao/0023e.html Acesso em: 21 nov. 2016.

GEE, J. P. Social Linguistics and Literacies: Ideology in Discourses. 2. ed. Londres: Falmer, 1996 [1990].

GRUPO NOVA LONDRES. A pedagogy of literacies: designing social futures. In: Harvard Educational Review, vol. 66, n. 1, prim. 1996. Disponível em http://www.sfu.ca/~decaste/newlondon.htm Acesso em: 25 ago. 2016.

KRESS, G. Semiotic work: Applied Linguistics and a social semiotic account of Multimodality. In: AILA Review, 28, 2015, p. 49–71.

KROSKRITY, P. V. Language ideologies. In: DURANTI, A. (Ed.). A Companion to Linguistic Anthropology. Blackwell Publishing, 2004, p. 496-517.

LANKSHEAR, C; KNOBEL, M. New literacies, everyday practices and classroom learning. Open University Press, 2006.

LEMKE, J. L. Multimedia and discourse analysis. In: GEE, J. P.; HANDFORD, M. (Eds.). The Routledge handbook of discourse analysis. London/New York: Routledge, 2012.

LEUNG, C.; STREET, B. Linking EIL and literacy: theory and practice. In: ALSAGOFF, L.;MACKAY, S. L.; HU, G. e RENANDYA, W. A. (Eds.). Principles and practices for teaching English as an International Language, chapter 6. London/New York: Routledge, 2012. Kindle Edition.

MOITA LOPES, L. P. Ideology in research methodology. In: CHAPELLE, C. A. (Ed.). The Encyclopedia of Applied Linguistics. 1ed. New York: Wiley Blackwell, 2013, p. 1-6.

OLIVEIRA, M. B. F.; SZUNDY, P. T.C. Práticas de multiletramentos na escola: por uma educação responsiva à contemporaneidade. In: Bakhtiniana, São Paulo, 9 (2), ago./aez. 2014, pp. 184-205.

PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed, 1999.

PHILIPS, S. U. Language and social inequality. In DURANTI, A. (Ed.). A Companion to Linguistic Anthropology. UK: Blackwell Publishing, 2004, p. 474-495.

ROJO, R. Gêneros discursivos do Círculo de Bakhtin e multiletramentos. In: ROJO, R. (Org.). Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola Editorial, 2013, p. 13-36.

ROJO, R. Pedagogia dos multiletramentos. In: ROJO, R.; MOURA, E. (Orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

STREET, B. What's "new" in New Literacy Studies? Critical approaches to literacy in theory and practice. In: Current Issues in Comparative Education, vol. 5 (2), 2003, p. 77-91.

STREET, B. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. São Paulo: Parábola, 2014 [2006].

STREET, B. Literacy in theory and practice. US: Cambridge University Press, 1984.

STREET, B. Autonomous and ideological models of literacy: approaches from New Literacy Studies. Online. Disponível em http://www.philbu.net/media-anthropology/street_newliteracy.pdf Acesso em: 25 ago. 2016.

SZUNDY, P. T. C. Language ideologies on English as a Lingua Franca: conflicting positions expressed by undergraduate students in Brazil [mimeo].

SZUNDY, P. T. C. The commodification of English in Brazilian public universities: language ideologies entextualized in the scope of the program English without Borders. In: Revista da Anpoll, nº 40, Florianópolis, jan./jun. 2016, p. 101-114. Disponível em https://revistadaanpoll.emnuvens.com.br/revista/article/viewFile/1020/850 Acesso em: 23 ago. 2016.

UNESCO. International Literacy Day 2016 infographic. Online, 2016. Disponível em http://www.unesco.org/new/fileadmin/MULTIMEDIA/HQ/ED/images/ild-2016-infographic.jpg Acesso em: 25 ago. 2016.

UNESCO. Education 2030: Incheon declaration and Framework for action – Towards inclusive and equitable quality education and lifelong learning for all. Online, 2015a. Disponível em http://unesdoc.unesco.org/images/0024/002432/243278e.pdf Acesso em: 22 ago. 2016.

UNESCO. Transforming our world: The 2030 agenda for sustainable development. Online, 2015b. Disponível em https://sustainabledevelopment.un.org/content/documents/21252030%20Agenda%20for%20Sustainable%20Development%20web.pdf Acesso em: 23 ago. 2016.

UNESCO. Educação: um tesouro a descobrir – Relatório para UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. Trad. Guilherme João de Freitas Teixeira. Brasília: UNESCO, 2010 [1996].

UNESCO. Educação: um tesouro a descobrir – Relatório para UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. Trad. José Carlos Eufrázio. São Paulo/Brasília: Cortez/UNESCO, 1998 [1996].

UNESCO. Understandings of literacy. In: UNESCO. Education for all: Literacy for life. Online, 2005, p. 147 – 159. Disponível em http://unesdoc.unesco.org/images/0014/001416/141639e.pdf Acesso em: 23 ago. 2016.

UNESCO. The Dakar framework for action. Online, 2000. Disponível em http://www.unesco.org/carneid/dakar.pdf Acesso em 23 ago. 2016.

UNESCO. Hamburg declaraion on adult learning. Online, 1997. Disponível em http://www.unesco.org/education/uie/confintea/pdf/con5eng.pdf Acesso em: 29 ago. 2016.

UNESCO. World declaration on education for all. Online, 1990. Disponível em http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001275/127583e.pdf Acesso em: 23 ago. 2016.

UNESCO. Persepolis declaration. Online, 1975. Disponível em http://www.unesco.org/education/information/nfsunesco/pdf/PERSEP_E.PDF Acesso em: 23 ago. 2016.

UNESCO. World conference of ministers of education on the eradication of illiteracy: final report. Online, 1965. Disponível em http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001263/126383EB.pdf Acesso em: 23 ago. 2016.

VOLOSHINOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Trad. Michel Lahud; YaraFrateschi Vieira 9 ed. São Paulo: Editora Hucitec, 1999 [1929].

WAGNER, D. A. What happened to literacy? Historical and conceptual perspectives on literacy in UNESCO. In: International Journal of Educational Development, vol. 31, n. 3, 2011, p. 319 – 323.

WOOLARD, K. A. Introduction. In: SCHIEFFELIN, B. B.; WOOLARD, K. A. e KROSKRITY, P. V. (Eds.). Language ideologies: practice and theory. Oxford: Oxford University Press, 1998, p. 3-47.

Downloads

Publicado

2017-10-20

Como Citar

SANTOS, M. S. A oferta do letramento e a garantia de futuros sociais: análise das políticas de letramento da UNESCO e de suas ideologias linguísticas. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 56, n. 2, p. 641–667, 2017. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8647620. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos