Direitos Humanos e Educação: a polêmica em torno da prova de redação do ENEM 2015 e 2017

Autores

  • Cynthia Agra de Brito Neves Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Direitos humanos. Educação. ENEM.

Resumo

Este artigo visa realocar na agenda contemporânea a urgência de se priorizar uma Educação em Direitos Humanos (EDH), tal como prevê a nossa Constituição Federal e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB nº 9.394/1996) vigentes, sobretudo na conjuntura atual, em que a democracia brasileira encontra-se ameaçada. Exemplos de cunho fascista não faltam no setor educacional, haja vista o sucesso de programas como Escola Sem Partido ou Escola Livre, que têm angariado adeptos tanto na sociedade civil quanto na política, fazendo emplacar projetos de leis em todas as esferas do legislativo. O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) foi vítima da falsa “neutralidade ideológica” pregada por esses movimentos em 2015 e em 2017. Em 2017, por exemplo, o Escola Sem Partido conseguiu proibir a atribuição de nota zero aos alunos que desrespeitassem os Direitos Humanos na prova de redação do ENEM, conforme previsto no edital do exame, o que foi legitimado, às vésperas da avaliação nacional, pela atual presidente do Supremo Tribunal Federal (STF). Este trabalho se coloca, por um lado, no dever de contextualizar os avanços conquistados na direção de uma Educação em Direitos Humanos (EDH), por meio da implementação de três documentos-chave, como: o Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH, 1996, 2002 e 2009), o Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (PNEDH, 2003 e 2006) e as Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos (DNEDH, 2012); por outro, coloca-se no dever de alertar para os retrocessos que a educação nacional tem sofrido recentemente, quando estratégias de censura e controle têm funcionado para silenciar e perseguir professores ou para manipular alunos em nome de uma suposta liberdade de expressão. Defendo, portanto, que a Linguística Aplicada deva encorajar não apenas um “letramento em direitos humanos” (ABREU, 2015), mas um “letramento ideológico” (STREET, 2014) em direitos humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cynthia Agra de Brito Neves, Universidade Estadual de Campinas

Profa. Dra. do Depto de Linguística Aplicada do Instituto de Estudos da Linguagem

Referências

ABREU, R. N. (2015). Exercício da cidadania e direitos humanos: as funções da competência V na redação do ENEM. In. SILVA, L. R. da;

FREITAS, R. M. K. (Org.). Linguagem, interação e sociedade: diálogos sobre o ENEM. João Pessoa: Editora do CCTA. pp. 97-108.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988. Brasília: Senado Federal, coordenação de Edições Técnicas, 2016. 496 p. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf. Acesso fev. 2018.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf. Acesso fev. 2018.

BRASIL. Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3) / Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República. Versão digital e atual. Brasília: SEDH/PR, 2010, 308p. Disponível em: http://www.sdh.gov.br/assuntos/direito-para-todos/programas/pdfs/programa-nacional-de-direitos-humanos-pndh-3. Acesso fev. 2018.

BRASIL. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (PNEDH) / Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO, 2007. 76 p. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=2191-plano-nacional-pdf&category_slug=dezembro-2009-pdf&Itemid=30192. Acesso em fev. 2018.

BRASIL. Educação em Direitos Humanos: Diretrizes Nacionais (DNEDH). Brasília: Coordenação Geral de Educação em SDH/PR, Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, 2013. 76p. Disponível em: http://www.sdh.gov.br/assuntos/conferenciasdh/12a-conferencia-nacional-de-direitos-humanos/educacao-em-direitos-humanos/caderno-de-educacao-em-direitos-humanos-diretrizes-nacionais. Acesso em fev. 2018.

BRASIL. Redação do Enem 2017: Cartilha do participante. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Rev. Externa: Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – Fundação Vunesp. Brasília, 2017. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/guia_participante2017manual_de_redacao_do_enem_2017.pdf. Acesso em fev. 2018.

CANDIDO, A. (1995) O direito à literatura. In: Vários escritos. 3ª ed. rev. e ampl. São Paulo: Duas Cidades, pp. 171-193.

LAPA, F. (2018) O advocacy na ONU sobre a educação em direitos humanos no Brasil. In: Cadernos da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, v. 3, n. 8, pp. 86-91.

LEÃO, I. V.; BARWINSKI, S. L. L. B. (2018). Direitos humanos e igualdade de gênero no Brasil: tensões no direito à educação na ONU e OEA. In: Cadernos da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, v. 3, n. 8, pp. 56-70.

MARCUSCHI, B. (2006) O que dizem o SAEB e o ENEM sobre o currículo de língua portuguesa para o ensino médio. In: BUNZEN, C.; MENDONÇA, M. (Orgs.) Português no ensino médio e formação de professor. São Paulo: Parábola Editorial, pp. 57-82.

NEVES, C. A. de B. (2014). A literatura no ensino médio: os gêneros poéticos em travessia no Brasil e na França. Tese de Doutorado em Linguística Aplicada. Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas.

PRATA, A. R. S.; SOUZA, P. S. M. de. (2018). Apesar de você, amanhã há de ser outro dia: análise das consequências da efetivação de programas como “Escola Sem Partido”. In: Cadernos da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, v. 3, n. 8, pp. 77-85.

PINTO, R. (2012) Museus e diversidades sexual: reflexões sobre mostra LGBT e queer. Revista de Arqueologia Pública, v. 5, n. 1, pp. 44-55.

ROSA, J. G. (1967). Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio.

SOARES, M. Os eliminados na redação do Enem não são quem você imagina. In: O homem que conversa com os dados. Disponível em: https://medium.com/numeralha/os-eliminados-na-reda%C3%A7%C3%A3o-do-enem-n%C3%A3o-s%C3%A3o-quem-voc%C3%AA-imagina-47bc2acaa9e. Acesso em nov. 2017.

STREET, B. (2014). Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Parábola.

Mais links consultados:

https://www.defensoria.sp.def.br/cadernos_defensoria/volume8.aspx. Acesso em fev. 2018.

http://www.deolhonosplanos.org.br/projetos-lei-escola-sem-partido/. Acesso em fev. 2018.

http://escolasempartido.org/flagrando-o-doutrinador. Acesso em fev. 2018.

http://escolasempartido.org/planeje-sua-denuncia. Acesso em fev. 2018.

http://www.escolasempartido.org/artigos-top/552-modelo-de-notificacao-extrajudicial-arma-das-familias-contra-a-doutrinacao-nas-escolas. Acesso em fev. 2018.

http://escolasempartido.org/deveres-do-professor. Acesso em fev. 2018.

http://pne.mec.gov.br/images/pdf/pne_conhecendo_20_metas.pdf. Acesso em fev. 2018.

secadi@mec.gov.br. Acesso em fev. 2018.

http://educacaointegral.org.br/reportagens/projeto-de-lei-preve-prisao-de-docente-que-falar-sobre-ideologia-de-genero/. Acesso em maio 2016.

https://iddh.org.br/instituto/. Acesso em fev. 2018.

http://www.sdh.gov.br/assuntos/direito-para-todos/programas/pdfs/programa-nacional-de-direitos-humanos-pndh-3. Acesso em fev. 2018.

http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=2191-plano-nacional-pdf&category_slug=dezembro-2009-pdf&Itemid=30192. Acesso em fev. 2018.

http://www.sdh.gov.br/assuntos/conferenciasdh/12a-conferencia-nacional-de-direitos-humanos/educacao-em-direitos-humanos/caderno-de-educacao-em-direitos-humanos-diretrizes-nacionais. Acesso em fev. 2018.

http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=10889-rcp001-12&category_slug=maio-2012-pdf&Itemid=30192. Acesso em fev. 2018.

https://g1.globo.com/educacao/noticia/enem-mec-diz-que-acata-decisao-do-supremo-e-que-nao-vai-anular-redacao-contraria-aos-direitos-humanos.ghtml. Acesso em nov. 2017.

http://www.escolasempartido.org/images/ENEM.pdf. Acesso em nov. 2017.

Downloads

Publicado

2018-08-06

Como Citar

NEVES, C. A. de B. Direitos Humanos e Educação: a polêmica em torno da prova de redação do ENEM 2015 e 2017. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 57, n. 2, p. 731–755, 2018. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8652290. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Dossier Research practices in literacies across languages and social domains