Por uma visão de linguagem ciborgue e coletiva

Palavras-chave: Corpo, Ciborgue, Pós-Humano

Resumo

Este artigo propõe uma visão de linguagem para pensar a complexidade da produção do corpo e das subjetividades contemporâneas, no que Deleuze (1990) denominou sociedades de controle (1990) e Preciado (2018), era farmacopornográfica. Para tanto, refletiremos sobre o corpo na atualidade e conceituaremos o modo de subjetividade produzido no momento presente, surgido com o avanço das tecnologias digitais da economia de plataforma (GUYER, 2016) de nosso século. Tal reflexão nos levará à personagem conceitual ciborgue (HARAWAY, 2000[1991]), a qual traz em sua materialidade corpórea uma ruptura com as perspectivas ontológicas tradicionais de linguagem e comunicação presentes no cotidiano de uma sociedade cada vez mais informatizada, e a uma discussão sobre as bases antropocêntricas que garantiram à Linguística erigir seus objetos de estudo. Com base em tal visão, propomos uma reformulação da concepção de linguagem a partir do conceito do ciborgue que nos legitime uma perspectiva de linguagem pós-humana, deslocando a concepção de linguagem de seu centro gravitacional modernista e antropocêntrico e conferindo um tecer mais coletivo e participativo de agentes diversos (LATOUR, 2012) nas produções sociodiscursivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Espindola Braud Martins, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Prof. Dr. do da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Rodrigo Ferreira Viana, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorando no programa Interdisciplinar em Linguística Aplicada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) é graduado em Ciências Sociais e tem mestrado em Linguística Aplicada pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade Estadual do Ceará (PosLA/UECE).É membro do Núcleo de Pesquisa em Discursos e Sociedade (NUDES/UFRJ), do grupo de pesquisa Pragmática Cultural vinculado ao PosLA/UECE. Atua principalmente em pesquisas referentes às construções de gênero, sexualidade, corporeidade e letramentos digitais.  

Referências

ABRAHÃO, A.L. et al. (2014). O pesquisador IN-MUNDO e o processo de produção de outras formas de investigação em saúde (a título de fechamento, depois de tudo que escrevemos). In: GOMES, M.P.C.; MERHY, E.E. (orgs.), Pesquisadores IN-MUNDO: um estudo da produção do acesso e barreira em saúde mental. Porto Alegre: Rede UNIDA.

AUSTIN, J.L. (1962). Quando dizer é fazer. Tradução de Danilo Marcondes de Souza Filho. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.

BAKHTIN, M. (1979). Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina Galvão G. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BAUMAN, R.; BRIGGS, C. (1990). Poetics and Performance as Critical Perspectives on Language and Social Life. Annual Review of Anthropology, v. 19, p. 59-88.

BAUMAN, R.; BRIGGS, C. (2003). Voices of modernity. Language ideologies and the politics of inequality. Cambridge: Cambridge University Press.

BENNETT, J. (2010). Vibrant Matter: a political ecology of things. United States: Duke University.

BLOMMAERT, J. (2014). Meaning as a nonlinear effect: The birth of cool. Tilburg Papers in Culture Studies, p. 1-21.

BUTLER, J. (1997). Excitable Speech. A politics of the performative. New York: Routledge.

BUTLER, J. (1999). Gender Trouble. Feminism and the subversion of identity. New York: Routledge.

DANOWSKI, D.; VIVEIROS DE CASTRO, E. (2017). Há mundo por vir? Ensaio sobre os meios e os fins. Florianópolis: Desterro.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. (1972). O Anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia. Tradução de Joana Moraes Varela e Manuel Maria Carrilho. Lisboa: Assírio & Alvim, 2004.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. (1980). 28 de novembro de 1947 – Como criar para si um corpo sem órgãos. Tradução de Aurélio Guerra Neto. In: DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs vol 3. Rio de Janeiro: Editora 34, 1996.

DELEUZE, G; GUATARRI, F. (1980). Mil Platôs vol 1. Capitalismo e Esquizofrenia. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995.

DELEUZE, G. (1990). Pourparlers. Paris: Les Éditions de Minuit, 1990.

DERRIDA, J. (1973). Gramatologia. Traduzido por Miriam Schnaiderman e Renato Ribeiro. São Paulo: Perspectiva.

DESCARTES, R. (1962) Discurso do Método. In: DESCARTES, R. Os Pensadores. Tradução de Jacob Guinsburg e Bento Prado Jr. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

FABRÍCIO, B. F. (2006). Linguística Aplicada como espaço de “desaprendizagem” – redescrições em curso. In: MOITA LOPES, L. P. (org.), Por uma Linguística Aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial.

FABRÍCIO, B. (2016). Mobility and discourse circulation in the contemporary world: the turn of the referential screw. Revista da Anpoll, nº 40, p. 129-140, Florianópolis, Jan./Jun. 2016, p. 130-140.

FOUCAULT, M. (1975). Em defesa da sociedade: curso no Collège de France (1975-1976). Tradução de Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FOUCAULT, M. (1982). A Hermenêutica do Sujeito. Tradução de Márcio Alves da Fonseca e Salma Tannus Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

GUYER, J.G. (2016). From market to platform: shifting analytics for the study of current capitalism. In: GUYER, J.G. Legacies, Logics, Logistics. Essays in the Anthropology of the Platform Economy. Chicago: The University of Chicago Press.

HARAWAY, D. (1991). Manifesto Ciborgue. Ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX. In: TADEU, T. (org.), Antropologia do ciborgue. As vertigens do pós-humano. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2000.

HARDT, M.; NEGRI, A. (2000). Império. Tradução de Berílio Vargas. Rio de Janeiro: Record, 2001.

HARDT, M.; NEGRI, A. (2004). Multitude. War and democracy in the age of empire. Nova Iorque: The Penguin Press.

HAYLES, N.K. (1999). How We Became Posthuman: Virtual Bodies in Cybernetics, Literature and Informatics. London: University of Chicago Press.

IRVINE, J.T.; GAL, S. (2000). Language ideology and linguistic differentiation. In: KROSKRITY, P. (org.), Regimes of language. Ideologies, politics and identities. Santa Fe: School of American Research Press.

LAZZARATO, M. (2010). Sujeição e servidão no capitalismo contemporâneo. Cadernos de Subjetividade, nº 14, p. 168-179.

LATOUR, B. (1994). Jamais Fomos Modernos: ensaio de antropologia simétrica. Tradução de Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro: Editora 34.

LATOUR, B. (2012). Reagregando o social. Uma introdução à Teoria Ator-Rede. Tradução de Gilson César Cardoso de Souza. Salvador: Edufba.

MANNING, E. (2018). Me lo dijo un pajarito. Neurodiversity, black life, and the university as we know it. Social Text, nº 136, vol. 36, nº 3, September 2018, p. 1-24.

MBEMBE, A. (2018). Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. São Paulo: n-1 edições, 2018.

MOITA LOPES, L.P. da (org.) (2006). Por uma Linguística Aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial.

PENNYCOOK, A. (2007). Performance and performativity. In: PENNYCOOK, A. Global Englishes and transcultural flows. New York: Routledge.

PENNYCOOK, A. (2018). Posthumanist Applied Linguistics. New York: Routledge.

PRECIADO, P.B. (2018). Testo Junkie. Sexo, drogas e biopolítica na era farmacopornográfica. São Paulo: n-1. Traduzido por Maria Paula Gurgel Ribeiro.

ROSE-REDWOOD, R.; GLASS, M.R. (orgs.) (2014). Performativity, Politics, and the Production of Social Space. New York: Routledge.

SAUSSURE, F de. (1916). Curso de Linguística Geral. Tradução de Antônio Chelini, José Paulo Paes, Izidoro Bilkstein. São Paulo: Cultrix, 2006.

SILVERSTEIN, M.; URBAN, G. (1996). The Natural history of discourse. In: SILVERSTEIN, M.; URBAN, G. (orgs.), The Natural histories of discourse. Chicago: The University of Chicago Press.

SILVERSTEIN, M. (2009). Pragmatic Indexing. In: MEY, J. L. Concise Encyclopedia of Pragmatics. Oxford: Elsevier.

Publicado
2019-08-01
Como Citar
Espindola Braud Martins, E., & Viana, R. F. (2019). Por uma visão de linguagem ciborgue e coletiva. Trabalhos Em Linguística Aplicada, 58(2), 496-519. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8655578