Paulo Freire e Edgar Morin

a complementaridade de um diálogo possível

Autores

Palavras-chave:

Epistemologia da complexidade, Transformação, Linguística Aplicada

Resumo

O presente artigo tem como objetivo estabelecer um diálogo epistemológico entre Paulo Freire e Edgar Morin, sob a perspectiva da Linguística Aplicada. Os aportes teóricos para a interlocução pretendida são a educação bancária e a emancipadora (FREIRE, 1992, 2002, 2005, 2007), a Epistemologia da Complexidade (MORIN, 1990, 1996, 2002, 2003, 2005, 2007, 2011, 2013), o entendimento de ato pedagógico (SANTOS, 2018) e a concepção de Linguística Aplicada na denominada modernidade recente (MOITA LOPES, 2006; FABRÍCIO, 2006 entre outros). A relevância dessa proposta está em levar linguistas aplicados, educadores e interessados nessas e em áreas afins a reflexões transdisciplinares que articulem a Pedagogia Crítica, a Epistemologia da Complexidade e a Linguística Aplicada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karin Claudia Nin Brauer, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo

Professor Titular do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP).

Maximina Maria Freire, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Professor Assistente Doutor na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Referências

CELANI, M.A.A. (2017). Linguística Aplicada e transdisciplinaridade. IN: M.M Freire, K.C.N. Brauer e G.Aguilar (orgs.), Vias para a pesquisa: reflexões e mediAÇÕES. São Paulo: Cruzeiro do Sul Educacional. Campus Virtual.

FABRÍCIO, B. F. Linguística Aplicada como espaço de “desaprendizagem”: Redescrições em curso. In: MOITA LOPES, L. P. (org.). Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola Editora, 2006. p. 45 a 65.

FREIRE, P. (1992). Pedagogia da esperança. Rio de Janeiro, Paz e Terra.

FREIRE, P. (2002). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

FREIRE, P. (2005). Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra..

FREIRE, P. (2007). Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

GIDDENS, A.; BECK,U. & LASH, S. (1997) Modernização reflexiva. São Paulo: EdUNESP.

MALACHIAS, M.E.S. & SILVA, A.C. Reflexões sobre a convergência do pensamento de Paulo Freire e Edgar Morin: contribuições para a formação docente. Cadernos de Educação, FaE/PPGE/UFPel, no.42, p. 223-242, 2012.

MOITA LOPES, L.P. (org.). (2006) Por uma linguística aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial.

MORAES, M. C. (2007). A formação do educador a partir da complexidade e da transdisciplinaridade. Diálogo Educacional, v.7, n.22, p.13-38.

MOREIRA, C. E. Criticidade. (2016) In: D.R. Streck; E.Redin; J.J.Zitkoski (orgs.), Dicionário Paulo Freire. 3a. edição. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

MORIN, E. (1990). O método IV. As idéias: a sua natureza, vida, habitat e organização. Portugal: Publicações Europa-América.

MORIN, E. (1996). O problema epistemológico da complexidade. Lisboa: Europa- América.

MORIN, E. (2002). A religação dos saberes: o desafio do século XXI. São Paulo, Bertrand Brasil.

MORIN, E. (2003). Cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução de Eloá Jacobina. 8ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

MORIN, E. (2005). Ciência com consciência. Tradução de Maria D. Alexandre e Maria Alice Sampaio Dória. 8a. edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

MORIN, E. (2007) Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez. UNESCO.

MORIN, E. (2011). Introdução ao pensamento complexo. Tradução Eliane Lisboa. 4ª ed. Porto Alegre: Sulina.

MORIN, E. (2013) A via para o futuro da humanidade. Tradução: Edgard de Assis Carvalho e Mariza Perassi Bosco. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

PORTELLA, E. (1993) Disciplina complexa. Revista Tempo Brasileiro, n.113, p.5-8, abril-junho.

SANTOS, A. A. (2018). Paulo Freire e sua trajetória rumo à concepção do ato pedagógico como ação dialógica. IN: K.L.V.Lira (org.), As diferentes faces e interfaces de uma educação para o século XXI: diálogos fronteiriços com Paulo Freire, Edgar Morin, Fernando Hernández, Pierre Lévy e Rudolf Steiner. 1ª. Edição. Kindle. Curitiba: Appris.

SCHEIFER, C. L. (2013). Transdisciplinaridade na Linguística Aplicada: um processo de desreterritorialização – um movimento do terceiro espaço. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v.13, n.3, p. 919-939.

SCHOLZE, N.T & SCHOLZE, M.L. Morin e Freire: um diálogo possível na educação. Revista Acadêmica Licencia&acturas*Ivoti* v.2, no.1, p.67-74, 2014.

VENN, C. (2000). Occidentalism. Modernity and subjectivity. London: Sage.

Downloads

Publicado

2021-05-21

Como Citar

NIN BRAUER, K. C.; FREIRE, M. M. Paulo Freire e Edgar Morin: a complementaridade de um diálogo possível. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 60, n. 1, p. 316–327, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8658281. Acesso em: 18 set. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)