Entre olhares e percepções

as vivências com a cultura escrita acadêmica por parte de uma trabalhadora terceirizada inserida em ambiente universitário

Autores

Palavras-chave:

Trabalho terceirizado, Esfera universitária, Subjetividade

Resumo

Este trabalho tem como temática as vivências com a cultura [escrita] acadêmica por parte de um sujeito trabalhador de serviços gerais no âmbito da esfera universitária. Para a realização deste estudo, partimos de reflexões de Cerutti-Rizzatti, Pedralli e Tomazzoni (2016) com o objetivo de compreender o modo como esse sujeito-participante se inscreve na cultura escrita acadêmica, a partir da esfera laboral, e como ele assimila essa mesma cultura em diálogo com seus valores e crenças. Nossa busca por essa compreensão nos levou também a questões que envolvem as subjetividades do sujeito-participante. A partir da geração de dados, buscamos travar reflexões analíticas que partiram de dois campos epistemológicos: a perspectiva bakhtiniana (BAKHTIN, 2010 [1979], 2010 [1920-24]), visando compreender a relação dialógica dos sujeitos com a cultura acadêmica; e os estudos foucaultianos (FOUCAULT, 1995 [1982a], 2014 [1976]) com o propósito de compreender o aspecto político e institucional em tal contexto. Tratou-se de estudo de um caso (DUFF, 2012), a partir do qual utilizamos os seguintes instrumentos de análise: entrevista semiestruturada, observação participante, gravação em áudio, diário de campo e fotografias. A imersão em campo nos trouxe os seguintes questionamentos: como esse sujeito, imerso no contexto acadêmico, se relaciona com a esfera laboral? De que modo essa microanálise pode nos auxiliar a pensar as políticas linguísticas acadêmicas, no que se refere a práticas de inclusão e de “audibilidade/visibilidade” das vozes cotidianas?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natassia D'Agostin Alano, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestrado em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil.

Humberto Pires Junior, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestrando em Linguística Aplicada pela Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil.

Referências

ALANO, N. D. Vivências com a cultura escrita por parte de sujeitos com Trajetória de rua: relações de tensionamento na (in)funcionalidade da leitura e da escritura. Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

BAKHTIN, M. (1979). O autor e a personagem na atividade estética. In: Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 5. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010, p. 3-192.

BAKHTIN, M. (1952-1953). Os gêneros do discurso. In: Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 5. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010, p. 261-306.

BAKHTIN, M. (1970-1971). Apontamentos de 1970-1971. In: Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 5. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010, p. 367-392.

BAKHTIN, M. (1920-24). Para uma filosofia do ato responsável. 3. ed. São Carlos: Pedro & João Editores, 2017.

BRITTO, L. P. L. Contra o consenso. Campinas/SP: Mercados das Letras, 2003.

BRITTO, L. P. L. Inquietudes e desacordos: a leitura além do óbvio. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2012.

BRITTO, L. P. L. Letramento e alfabetização: implicações para a educação infantil. In: FARIA, A. L. G. de; MELLO, S. A. (Org.). O mundo da escrita no universo da pequena infância. São Paulo: Autores Associados, 2005, p. 5-21.

CERUTTI-RIZZATTI, M. E.; TOMAZONI, E.; PEDRALLI, R. Cultura escrita e grafocentrismo: um estudo sobre apropriação e usos sociais da escrita por funcionários prestadores de serviços básicos em espaços educacionais universitários. Veredas – Revista de Estudos Linguísticos. v.16. n. 2, 2016. Disponível em: <https://periodicos.ufjf.br/index.php/veredas/article/view/25027>. Acesso em: 28/01/2020.

CLIFFORD, James. Introdução: Verdades parciais. In: CLIFFORD, J.; MARCUS, G. A escrita da cultura: poética e política da etnografia. Rio de Janeiro: EdUERJ; Papéis Selvagens Edições, 2016.

COUTO, M. E se Obama fosse africano?: e outras interinvenções. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

DUARTE, N. A individualidade para-si: contribuição a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. Campinas: Autores Associados, 1993.

DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. Campinas: Autores Associados, 2000.

DUFF, P. A. Case Study. The Encyclopedia of Applied Linguistics, p. 1-8, 2012. doi:10.1002/9781405198431.wbeal0121.

FOUCAULT, M. (1971). A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

FOUCAULT, M. (1969). A Arqueologia do Saber. Trad.: Luiz Felipe Baeta Neves. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FOUCAULT, M. (1982a). O sujeito e o poder. In: DREYFUS, H. L.; RABINOW, P. MICHEL FOUCAULT. Uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

FOUCAULT, M. (1976). História da Sexualidade 1: a vontade de saber. São Paulo: Paz & Terra, 2014.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: História da violência nas prisões. Trad. de Raquel Ramalhete. 20. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1987.

FOUCAULT, M. Em defesa da sociedade: curso no Collège de France (1975 - 1976). São Paulo: M. Fontes, 1999.

FREIRE, P. (1968). Pedagogia do oprimido. 54. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

GERALDI, J. W. Ancoragens: estudos bakhtinianos. São Carlos, Pedro & João Editores, 2010a.

GERALDI, J. W. A aula como acontecimento. São Carlos, Pedro & João Editores, 2010b.

GALVÂO, A. M. de O.; JINZENJI, M. Y.; QUEIROZ, K. A. S. Mulheres de meios populares e a construção de modos de participação nas culturas do escrito (Minas Gerais, Brasil, século XX). Archivos Analíticos de Políticas Educativas / Education Policy Analysis Archives, v. 21, p. 1- 21, 2013.

HASHEMI, M. R.; BABAII, E. Mixed methods research: Toward new research designs in applied linguistics. The Modern Language Journal, v. 97, n. 4, p. 828–852, 2013.

LABOV, William. (1972). Padrões sociolinguísticos. Trad. Marcos Bagno, Maria Marta Pereira Scherre, Caroline R. Cardoso. Rio de Janeiro: Parábola, 2008.

MIOTELLO, V. Discursos da ética e a ética dos discursos. São Carlos: Pedro & João Editores, 2011.

NWOYE, O. G. Social issues on walls: graffiti in university lavatories. Discourse & Society, 4, 1993, p. 419-442.

PONZIO, A. Identidade e mercado de trabalho: dois dispositivos de uma mesma armadilha mortal. In: MIOTELLO, V.; MOURA, M. I. A alteridade como lugar da incompletude. São Carlos/SP: Pedro e João Editores, 2014, p. 49-95.

PONZIO, A. Procurando uma palavra outra. São Carlos: Pedro e João Editores, 2010a.

PONZIO, L. Visioni del texto. Bari: Edizioni B.A. Graphis, 2002.

RAJAGOPALAN, K. Por uma linguística crítica: linguagem, identidade e questão ética. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

SAVIANI, D. (1983). Escola e democracia. Edição Comemorativa. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

SEVERO, C. G. Bakhtin e Foucault: apostando em um diálogo. In: PAULA, D. L.; STAFUZZ, G. Círculo de Bakhtin: pensamento interacional. São Paulo: Mercado das Letras, 2013.

STREET, B. Literacy in theory and practice. Cambridge: Cambridge University Press, 1984.

STREET, B. Literacy practices and literacy myths. In: SALJO, R. (Org.). The written world: studies in literacy thought and action. New York: Springer-Verlag, 1988, p. 59-72.

VYGOTSKI, L. S. (1982). Obras Escogidas: el significado histórico de la crisis de la Psicología. Tomo I. Madri: Machado Nuevo Aprendizaje, 2013.

VYGOTSKI, L. S. (1982). Obras Escogidas: problemas de Psicología General. Tomo II. Madri: Madri: Machado Nuevo Aprendizaje, 2012.

VYGOTSKI, L. S. (1931). Obras Escogidas: problemas del desarollo de la psique. Tomo III. Madri: Machado Nuevo Aprendizaje, 2012.

VOLÓSHINOV, V. N. (1929). El Marxismo y la filosofía del linguaje. Trad. Tatiana Bubnova. Buenos Aires: Ediciones Godot, 2009.

Downloads

Publicado

2022-06-29

Como Citar

ALANO, N. D.; PIRES JUNIOR, H. . Entre olhares e percepções: as vivências com a cultura escrita acadêmica por parte de uma trabalhadora terceirizada inserida em ambiente universitário. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 61, n. 1, p. 276–289, 2022. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8658974. Acesso em: 2 out. 2022.