Educação científica como abordagem pedagógica e investigativa de resistência

Autores

Palavras-chave:

Competências, Ensino de língua, Letramento científico

Resumo

Este artigo apresenta uma releitura da abordagem da educação científica originária do campo de estudos do Ensino de Ciências. Foi proposto para ajustar a referida abordagem (a) a práticas de pesquisa nos estudos linguísticos aplicados e (b) ao ensino e formação de professores de língua materna. Este trabalho se configura num estudo bibliográfico ilustrado por alguns excertos documentais, e fundamenta-se em estudos do letramento, além de dialogar com outros referenciais teóricos de diferentes origens. A releitura reforçou a necessidade de readequação de funções tradicionalmente desempenhadas por alguns elementos integrantes das práticas de pesquisa e de ensino. Os encaminhamentos apresentados podem garantir investigações científicas mais democráticas e culturalmente sensíveis, além de uma abordagem pedagógica crítica, desencadeadora de práticas reflexivas em aulas de língua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wagner Rodrigues Silva, Universidade Federal do Tocantins

Professor Associado III da Universidade Federal do Tocantins.

Referências

BRASIL. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC. Fonte: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 12 set. 2020.

BROWN, T. (2009). Change by Design: New York: Harper Business.

CHASSOT, A. (2014). Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 6. ed. Ijuí: Editora Unijuí.

DEMO, P. (2010). Educação e alfabetização científica. Campinas: Papirus.

FERNANDES, E. R. (2016). Letramento científico no ensino básico público no município de Palmas – Tocantins. Dissertação de Mestrado em Letras: Ensino de Língua e Literatura. Universidade Federal do Tocantins, Araguaína.

FIDELIS, A. C. (2018). Proposta de ressignificação de práticas escolares de linguagem pela abordagem do letramento científico no ciclo de alfabetização. Dissertação de Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras. Universidade Federal do Tocantins, Araguaína.

FREIRE, P. (1977). Extensão ou comunicação. 11. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

FREIRE, P. (2011). A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 51. ed. São Paulo: Cortez.

FREIRE, P. (2017). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 55. ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra.

FREIRE, P.; FAUNDEZ, A. (2017). Por uma pedagogia da pergunta. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

HALLIDAY, M. A. K. (1996). Literacy and Linguistics: A Functional Perspective. In: HASAN, R.; WILLIAMS, G. (ed.), Literacy in Society. London: Longman, p. 339-376.

HASAN, R. (1996). Literacy, everyday talk and society. In: HASAN, R.; WILLIAMS, G. (ed.), Literacy in Society. London: Longman, p. 377-424.

HOLBROOK, J.; RANNIKMAE, M. (2009). The Meaning of Scientific Literacy. International Journal of Environmental & Science Education, v. 4, n. 3, p. 275-288.

HURD, P. D. (1958). Science Literacy for American Schools. Educational Leadership. n. 16, p. 13-16.

HURD, P. D. (1998). Scientific Literacy: New Minds for a Changing World. Science Education, v. 82, n. 3, p. 407-416.

KLEIMAN, A. B. (1995). Modelos de letramento e práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, A. B. (org.), Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, p. 15-61.

KLEIMAN A.; BORGES DA SILVA, S. B. (2008). Letramento no local de trabalho: o professor e seus conhecimentos. In: OLIVEIRA, M. S.; KLEIMAN, A. B. (org.), Letramentos múltiplos: agentes, práticas, representações. Natal: EDUFRN, p. 17-40.

KRENAK, A. (2019). Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras.

LEITE, E. G.; PEREIRA, R. C. M.; BARBOSA, M. S. M. F. (2018). O fazer científico nos estudos literários: das práticas letradas acadêmicas às características epistemológicas. Revista Brasileira de Linguística Aplicada. Belo Horizonte: UFMG, v. 18, n. 4, p. 919-950.

LIU, X. (2009). Beyond Science Literacy: Science and the Public. International Journal of Environmental & Science Education. v. 4, n. 3, p. 301-311.

MENDES, J. (2018). Letramento científico a partir de textos propagandísticos em aulas de Língua Portuguesa no ensino fundamental. Dissertação de Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras. Universidade Federal do Tocantins, Araguaína.

NASCIMENTO, M. (1998). A alfabetização como objeto de estudo: uma perspectiva processual. In: ROJO, R. (org.), Alfabetização e letramento: perspectivas linguísticas. Campinas: Mercado de Letras, p. 13-59.

PENTEADO, H. D. (2010). Pesquisa-ensino uma modalidade de pesquisa-ação. In: PENTEADO, H. D.; GARRIDO, E. (org.), Pesquisa-ensino: a comunicação escolar na formação do professor. São Paulo: Paulinas, p. 33-44.

PERRENOUND, P. (2005). Escola e cidadania: o papel da escola na formação para a democracia. Porto Alegre: Artmed, 184p.

PORTO, T. M. E. (2010). Pesquisa-ensino: relação universidade/escola e articulação teoria/prática. In: PENTEADO, H. D.; GARRIDO, E. (org.), Pesquisa-ensino: a comunicação escolar na formação do professor. São Paulo: Paulinas, p. 95-104.

RAJAGOPALAN, K. (2002). Teorizando a resistência. In: SILVA, D. E. G.; VIEIRA, J. A. (org.), Análise do discurso: percursos teóricos e metodológicos. Brasília: Oficina Editorial do Instituto de Letras; Editora Plano, p. 203-219.

REIS, A. P. (2016). Letramento científico como prática inovadora numa escola pública araguainense. Dissertação de Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras. Universidade Federal do Tocantins, Araguaína.

RIBEIRO, M. H. C. (2018). Contribuições do letramento científico para o trabalho pedagógico cooperativo entre as disciplinas de Português e Geografia. Dissertação de Mestrado Profissional em Letras – ProfLetras. Universidade Federal do Tocantins, Araguaína.

ROBINSON, K; ARONICA, L. (2019). Escolas criativas: a revolução que está transformando a educação. Porto Alegre: Penso.

SANTANA, B. R. (2019). Modos de propagação da educação científica na infância: do desenho animado às práticas escolares. Dissertação de Mestrado em Letras. Universidade Federal do Tocantins, Porto Nacional.

SANTOS, W. L. P. (2007). Educação científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação. v. 12, n. 36, p. 474-550.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. (2008). Almejando a alfabetização científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em Ensino de Ciências, v. 13, n. 3, p. 333-352.

SIGNORINI, I. (2007a). Letramento escolar e formação do professor de Língua Portuguesa. In: KLEIMAN, A. B.; CAVALCANTI, M. C. (org.), Linguística Aplicada: suas faces e interfaces. Campinas: Mercado de Letras, p. 317-337.

SIGNORINI, I. (2007b). Apresentação. In: SIGNORINI, I. (org.), Significados da inovação no ensino de língua portuguesa e na formação de professores. Campinas: Mercado de Letras, p. 7-15.

SIGNORINI, I. (2018). Legitimação de políticas científicas locais em função de demandas de internacionalização da universidade. Cadernos Cedes, v. 38, n. 105, p. 205-221.

SILVA, W. R. (2019a). Polêmica da alfabetização no Brasil de Paulo Freire. Trabalhos em Linguística Aplicada. Campinas: Unicamp, v. 58, n. 1, p. 219-240.

SILVA, W. R. (2019b). Construção de práticas de pesquisa no Mestrado Profissional em Letras. In: SILVA, W. R.; BEDRAN, P. F.; BARBOSA, S. A. (org.). Formação de professores de língua na pós-graduação. Campinas: Pontes, p. 25-57.

SILVA, W. R.; CORDEIRO, M. R.; FARAH, B. F.; MORAIS, C. W. R.; SOUSA, D. L.; SILVA, L. L. S.; MENDES, V. C. B. B. (2018A). Ciências nas licenciaturas? Linguagem: Estudos e Pesquisa. Catalão: UFG, v. 22, n. 1, p. 83-108.

SILVA, W. R; MARTINS, R. G.; REIS, A. P.; SANTANA, B. R.; SILVEIRA, R. A.; SANTOS, E. M.; SOUSA, M. S. C.; SANTOS, F. C. (2018b). Compreensão de ciências por professores em formação inicial. Raído. Dourados: UFGD, v. 12, n. 30, p. 35-53.

SOARES, M. (2003). Letramento e escolarização. RIBEIRO, V. M. (Org.), Letramento no Brasil. São Paulo: Global, p. 89-113.

SOARES, M. (2004). Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação. v. s/v, n. 25, p. 05-17.

SOUSA, B. S. (2016). Letramento científico a partir de relatórios de pesquisa no Ensino Fundamental II: uma intervenção pedagógica. Dissertação de Mestrado Profissional em Letras. Universidade Federal do Tocantins, Araguaína.

STREET, J. C.; STREET, B. V. (1991). The Schooling of Literacy. In: BARTON, D.; IVANIC, R. (ed.), Writing in the Community. London: Sage Publications, p. 143-166.

Downloads

Publicado

2021-03-09

Como Citar

SILVA, W. R. Educação científica como abordagem pedagógica e investigativa de resistência. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 59, n. 3, p. 2278–2308, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8661691. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos