Banner Portal
Aprendizagem afetiva e inclusiva de línguas pelo WhatsApp
PDF (English)

Palavras-chave

WhatsApp
Tarefa autobiográfica
Aprendizado de idiomas assistido por dispositivos móveis
Treinamento de professor
Envolvimento emocional

Como Citar

FERRONI, Roberta. Aprendizagem afetiva e inclusiva de línguas pelo WhatsApp: um estudo de caso entre um grupo de professores estagíarios e alunos de italiano com formação plurilíngue e pluricultural . Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 62, n. 1, p. 104–120, 2023. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8672210. Acesso em: 23 jul. 2024.

Resumo

Este estudo tem um duplo propósito: 1. investigar as estratégias utilizadas por um grupo de formandos durante a realização de pré-task inspiradas na abordagem autobiográfica e implementadas via WhatsApp; 2. analisar se e como os aprendizes manifestam formas de envolvimento emocional nas mensagens online, entendidas aqui como a capacidade de saber expressar sua própria esfera subjetiva na língua do país de acolhimento. Trata-se de um estudo de caso, baseado na observação de 900 mensagens enviadas via WhatsApp ao longo de 39 dias e destinadas à realização de 9 pré-task que potencializam a esfera emocional intrapessoal. Os dados foram coletados durante um curso de italiano L2/LS destinado a alunos com formação plurilíngue e pluricultural no nível A2 do Volume Complementar do QECR (2018) e ministrado por professores estagiários. A investigação quanti-qualitativa, realizada a partir de estudos que analisam a comunicação digital e auxiliada pela abordagem autobiográfica, mostra que os pré-task têm oferecido à comunidade de prática a possibilidade de ir além da atividade didática e construir uma rede de afiliação com espaços de comunicação emocionalmente envolventes, enriquecidos por suportes iconográficos e testemunhos de vida que denotam requinte estilístico e linguístico. Do ponto de vista profissional, o estudo destaca o caminho percorrido pelos professores estagiários para a aquisição de habilidades e competências – estilísticas, pragmáticas, linguísticas, interacionais e emocionais – necessárias para fomentar formas de aprendizagem afetiva e inclusiva de línguas por meio de recursos multimodais.

PDF (English)

Referências

ANDUJAR, A. (2022). Analysing WhatsApp and Instagram as Blended Learning Tools. Research Anthology on Applying Social Networking Strategies to Classrooms and Libraries, p. 307-321.

BAZZANELLA, C. (1999). Forme di ripetizione e processi di comprensione nella conversazione. In: GALATOLO, R.; PALLOTTI, G. (Eds.), La conversazione. Un’introduzione allo studio dell’interazione verbale. Milano: Raffaello Cortina Editore, p. 205-225.

BOUHNIK, D.; DESHEN, M. (2014). WhatsApp Goes to School Mobile Instant Messaging Between Teachers and Students. Journal of Information Technology Education Research. v. 13, p. 217-231. Retrieved from http://www.jite.org/documents/Vol13/JITEv13ResearchP217-231Bouhnik0601.pdf. Access: 20 the December 2022.

BYRAM, M.; FLEMING M. (1998). Language learning in intercultural perspective: approaches through drama and ethnography. Cambridge: Cambridge University Press.

CALIANDRO, A.; GANDINI, A. (2019). I metodi digitali nella ricerca sociale. Roma: Carocci.

CASTRILLO, M. D.; MARTÍN-MONJE, E.; BÁRCENAS, E. (2014). Mobile-Based Chattinng for meaning negotiation in foreign language Learning. In: 10th International Conference of Mobile Learning: Proceeding, p. 49-58. Retrieved from https://files.eric.ed.gov/fulltext/ED557212.pdf. Access: 20 the December 2022.

COGNIGNI, E. (2016). Raccontarsi in italiano L2: percorsi autonarrativi nella formazione delle donne migranti. In: ANFOSSO, G.; POLIMENI, G.; SALVADORI, E. (Eds.), Parola di sé. Le autobiografie linguistiche tra teoria e didattica. Milano: FrancoAngeli, p. 116-138.

COMMON EUROPEAN FRAMEWORK OF REFERENCE FOR LANGUAGES: LEARNING, TEACHING, ASSESSMENT. COMPANION VOLUME WITH NEW DESCRIPTORS. (2018). Retrieved from https://rm.coe.int/common-european-framework-of-reference-for-languages-learning-teaching/16809ea0d4. Access: 20 the December 2022.

D’AGOSTINO, M. (2021). Noi che siamo passati dalla Libia. Giovani in viaggio fra alfabeti e multilinguismo. Bologna: Il Mulino.

DEMETRIO, D.; FAVARO, G. (2002). Didattica interculturale. Nuovi sguardi, competenze, percorsi. Milano: FrancoAngeli.

DEMETRIO, D. (2003). Ricordare a scuola. Fare memoria e didattica autobiografica. Roma: Laterza.

DEMETRIO, D. (1996). Raccontarsi. L’autobiografia come cura di sé. Milano: Raffaello Cortina Editore.

DIADORI, P. (2013). Gestualità e didattica della seconda lingua: questioni interculturali. In: BALDI, B.; BORELLO, E.; LUISE, M. C. (Eds.), Aspetti comunicativi e interculturali nell’insegnamento delle lingue. Cittadini europei dal nido all’università. Alessandria: Edizioni dell’Orso, p. 71-102.

DOMANESCHI, F.; DE VITA, L.; DI PAOLA, S. (2019). La pragmatica

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Trabalhos em Linguística Aplicada

Downloads

Não há dados estatísticos.