Banner Portal
Forte como um tufão
PDF

Palavras-chave

Mulan
Disney
Linguística queer
Tradução e ativismo
Pedagogia do macho

Como Citar

BONFANTE, G. M. Forte como um tufão: afeto, tradução e pedagogia de gênero no Mulan de Walt Disney. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 62, n. 2, p. 243–256, 2023. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8673708. Acesso em: 26 fev. 2024.

Dados de financiamento

Resumo

Este artigo revisita a tradução da música I’ll make a man out of you em alemão (Sei ein Mann), francês (Comme um homme) e português (Homem ser), do filme Mulan (Disney, 1998) para pensar equivalências de sentido. Tais equivalências convergem em torno da convenção da masculinidade e da construção social do que significa ser homem e são sustentadas por signos que remetem à natureza. Este artigo compara as formas como as versões da música traduziram um ideal de masculinidade chinês bélico que fazia pedagogia de um ideal americano de masculinidade e de sucesso. O contexto é ideal para a pedagogia de gênero, pois assume-se que na cultura chinesa de Confúcio se conseguia trazer honra à família apenas através do desempenho impecável do papel de gênero. A metodologia para análise mistura gatilhos afetivos do discurso, linguística queer e crítica ativista. Entre as conclusões ressalta-se a presença dos signos bélicos e da natureza na construção de ideais masculinos. Também é notável a manutenção narrativa de um destino de gênero apesar das falhas constitutivas do percurso. Em última instância, esta análise, politicamente engajada (BAKER, 2013; BALDO, 2020) prevê denunciar o silenciamento de versões queer de sucesso e de incoerências constitutivas dos sistemas de gênero e sua tradutibilidade cultural, como projeto institucional da Disney.

PDF

Referências

AL-YASIN, N. (2022) Translation procedures of cultural-bound expressions in the Egyptian vernacular dubbed versions of three Disney animated movies. Open Cultural Studies. v. 6, n. 1, p. 294-306. https://doi.org/10.1515/culture-2022-0162

AQUINO, J. (2017) Pixar, Disney e as adaptações culturais. Blog Ecos da Tradução. Disponível em: http://ecos-da-traducao.blogspot.com/2017/02/pixar-disney-e-as-adaptacoes-culturais.html. Acesso: 13 de agosto, 2023.

BAKER, M. (2013) Translation as an alternative space for political action. Social Movement Studies: Journal of Social, Cultural and Political Protest, v. 12, n. 1, p. 23-47. https://doi.org/10.1080/14742837.2012.685624.

BAKER, M.; MAIER, C. (2011) Ethics in Interpreter & Translator Training Critical Perspectives. The Interpreter and Translator Trainer, v. 5, n.1, p. 1-14. https://doi.org/10.1080/13556509.2011.10798809.

BALDO, M. (2020) Activist translation, alliances, and performativity: translating Judith Butler’s Notes Toward a Performative Theory of Assembly into Italian. In: Gould, R. R.; Tahmasebian, K. (org.) The Routledge Handbook of Translation and Activism. London e New York: Routledge, p. 30-48.

BANDIA, P. F. (2020) Postcolonialism, activism, and translation. In: Gould, R. R.; Tahmasebian, K. (org.) The Routledge Handbook of Translation and Activism. London e New York: Routledge, p. 515-520.

BASSNETT, S. (2020) Escrevendo em terra de homem nenhum: questões de gênero e tradução. Cadernos de Tradução, v. 40, n. 1, p. 456-471, 1992, Tradução de Naylane Matos. https://doi.org/10.5007/2175-7968.2020v40n1p456 .

BONFANTE, G. M. (2016) Erótica dos Signos nos aplicativos de pegação: performances íntimo-espetaculares de si. Rio de Janeiro: Multifoco.

BONFANTE G. M. (2022) Gatilhos afetivos do discurso e a compra e venda de estímulos semióticos no Twitter. Revista da Anpoll, v. 53, n. 1, p. 199–214. https://doi.org/10.18309/ranpoll.v53i1.1627.

CLETO, F. (1999) Camp: queer aesthetics and the performing subject. Ann Arbor: The University of Michigan Press.

COMME um homme. Intérprete: Patrick Fiori, Jose Garcia, Thierry Ragueneau, Pierre François Pistorio e Michel Vigné. Mulan. Compositor: Matthew Wilder; David Zippel . In: MULAN: bande originale du film. Intérprete: Múltiplos intérpretes. [S. l.]: Walt Disney Records, 1998. (3:22). Disponível em: https://open.spotify.com/track/5g9E2PkKFSVJAApILSrevP?si=glXjdNfhQhWwyGt0K17w0A. Acesso em: 9 jun. 2023.

DIAZ-DIOCARETZ, M. (1985). Translating Poetic Discourse: Questions of feminist strategies in Adrienne Rich. Amsterdam: John Benjamin.

DÜZKAN, A. (2020) Written on the Heart, in Broken English. In: Gould, R. R.; Tahmasebian, K. (org.) The Routledge Handbook of Translation and Activism. London e New York: Routledge, p. 217-221.

FARIA, M. M.; SCHERER, A. (2023) Transmissão: no cerne da disciplinarização e da manualização. Ciclo de Palestras do Grupo Arquivos de Língua. Niterói: Universidade Federal Fluminense.

FOUCAULT, M. (1984) A Ética do Cuidado de si como Prática da Liberdade. In: Ditos e Escritos. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

FRANKEL, H. H. (1976) The Ballad of Mulan (Ode of Mulan) In: FRANKEL, H. H. The Flowering Plum and the Palace Lady: Interpretations of Chinese Poetry. New Haven: Yale University Press, p. 68-72.

GODARD, B. (1990) Theorizing Feminist Discourse/Translation. In: Bassnett, S.; Lefevére, A. (org.) Translation, History and Culture. London: Pinter, p. 89-96.

GOODWIN, P. (2010) Ethical Problems in Translation: Why We Might Need Steiner After All, The Translator, v. 16, n. 1, p. 19-42. https://doi.org/10.1080/13556509.2010.10799292.

GOULD, R. R.; TAHMASEBIAN, K. (2020) Translation and activism in the time of the now. In: Gould, R. R.; Tahmasebian, K. (org.) The Routledge Handbook of Translation and Activism. London e New York: Routledge, p. 1-10.

HALBERSTAM, J. (1998). Female Masculinity. Durham: Duke University Press.

HALBERSTAM, J. (2005). In a Queer Time and Place: Transgender Bodies, Subcultural Lives. New York, London: New York University Press.

HALBERSTAM, J. (2011). The queer art of failure. Durham: Duke University Press.

HOMEN ser. Intérprete: Cláudio Galvan, Kacau Gomes, Mário Jorge Andrade, Isaac Bardavid, Deco Fiori, Marco Rodrigo. Compositor: Matthew Wilder; David Zippel. In: MULAN: trilha sonora original. Intérprete: Múltiplos intérpretes. [S. l.]: Walt Disney Records, 1998. (3:22). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=XKMDhlJdvBA. Acesso em: 9 jun. 2023.

I'LL make a man out of you. Intérprete: Donny Osmond. Compositor: Matthew Wilder; David Zippel. In: MULAN: An Original Walt Disney Records Soundtrack. Intérprete: Múltiplos intérpretes. [S. l.]: Walt Disney, 1998. (3:22). Disponível em: https://open.spotify.com/track/28UMEtwyUUy5u0UWOVHwiI?si=Af9DOKphTCalhr6IiFyCdw. Acesso em: 9 jun. 2023.

KRISTEVA, J. (1974). Introdução à semanálise. 2 ed. São Paulo: Perspectiva, 2005. Tradução de Lucia Helena França Ferraz.

LESLIE, E. (2004). Hollywood Flatlands: Animation, Critical Theory and the Avant-Garde. New York: Verso.

LUIZ, T. M. (2023) Romeo and Juliet’s rewriting in the Walt Disney’s animated movie Pocahontas: adaptation studies, comparative literature and theory of intertextuality. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 43, p. 01-23. https://doi.org/10.5007/2175-7968.2023.e87714.

LOW, P. (2003) Translating Poetic Songs: an attempt at a functional account of strategies. Target, v. 15, n. 1, p. 95-115. https://doi.org/10.1075/target.15.1.05low.

LOW, P. (2016). Translating Song: Lyrics and Texts. London/New York: Routledge.

MOITA LOPES, L. P. (2006). Uma Linguística Aplicada mestiça e ideológica: interrogando o campo como linguista aplicado In: MOITA LOPES, L.P. (Org.) Por uma Linguística Aplicada (In)disciplinar. São Paulo: Parábola Editorial.

MULAN. (1998) Direção: Barry Cook; Tony Bancroft. Produção de Pam Coates. Estados Unidos: Walt Disney.

POVINELLI, E. (2016) Pragmáticas íntimas: linguagem, subjetividade e gênero. Revista de estudos feministas, v. 24, n. 1, p. 205-237. Tradução De Joana Plaza Pinto. https://doi.org/10.1590/1805-9584-2016v24n1p205.

PRECIADO, P. B. (2013) Quem defende a criança queer? Jangada: Crítica | Literatura | Artes, n. 1, p. 96–99, 2018. Tradução: Fernanda Ferreira Marcondes Nogueira. https://doi.org/10.35921/jangada.v0i1.17.

SEI ein Mann. Intérprete: Stefan Erz, Caroline Vasicek, Otto Waalkes, Thomas Piper, Sebastian Krumbiegel, Uwe Adams. Compositor: Matthew Wilder; David Zippel . In: MULAN: Deustcher original Film-Soundtrack. Intérprete: Múltiplos intérpretes. [S. l.]: Walt Disney Records, 1998. (3:22). Disponível em: https://open.spotify.com/track/3Tc82c77lfoyzT6wSNoTuu?si=ga-RvYC0RhOzCXIwhZa7TQ. Acesso em: 9 jun. 2023. Tradução para o alemão de Helmut Frey e Leslie Mandoki.

SPINOZA, B. (1677) Ética. Belo Horizonte: Ed. Autêntica, 2009. Tradução de Tomaz Tadeu.

TIAN, C.; XIONG, C. (2013) A cultural analysis of Disney's Mulan with respect to translation. Continuum, v. 27, n. 6, p. 862-874. https://doi.org/10.1080/10304312.2013.843636.

WANG, L.; HAN, B.; XU, G. (2020). Cultural Differences in Mulan between Chinese Version and Disney Version. Theory and Practice in Language Studies, v. 10, n. 10, p. 1332-1336, October. http://dx.doi.org/10.17507/tpls.1010.22.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Gleiton Matheus Bonfante

Downloads

Não há dados estatísticos.