Banner Portal
Construto didático de leitura literária no ensino de português como língua adicional
PDF

Palavras-chave

Português como língua adicional
Leitura literária
Materiais didáticos
Construção de sentidos

Como Citar

TAKAHASHI, Neide Tomiko. Construto didático de leitura literária no ensino de português como língua adicional: um percurso entre materiais e métodos. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 63, n. 1, p. 64–76, 2024. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8674019. Acesso em: 19 jul. 2024.

Resumo

A presença da literatura no ensino de línguas adicionais incorpora a premissa de que há consenso sobre a sua importância em sala de aula. No entanto, a hesitação quanto ao modo de abordá-la ainda se projeta nas crenças de professores e pesquisadores, notadamente nos materiais didáticos e nos planejamentos de aulas. Partindo de conceitos da construção de sentidos intercultural em leitura literária nas aulas de português como língua adicional, defende-se que os textos literários são elementos fundamentais no desenvolvimento do processo cognitivo, equilibrando sua dimensão estética e dialógica à leitura de mundo dos estudantes. Nessa perspectiva, na medida em que se fortalece a relação entre mediador, texto literário e leitor, revelam-se modelos estratégicos no planejamento de cursos. Objetiva-se, neste artigo, uma investigação de tais modelos, com o propósito de examinar os procedimentos de ensino de leitura literária para estudantes estrangeiros, baseados em suas experiências de leitura como prática educativa e social. Por meio da análise desses procedimentos em aulas de línguas adicionais, procura-se demonstrar e aperfeiçoar o funcionamento dos mecanismos de mediação além dos limites dos livros didáticos, mas ainda parte integrante de atividades e de materiais de ensino. Como resultado, torna-se possível responder qual o papel da leitura de textos literários no processo de assimilação da língua portuguesa e de que forma o professor pode contribuir em sua prática didática de mediação ao permitir aproximar-se da prática social e construir sentidos, vinculando conhecimento empírico e saberes interculturais.

PDF

Referências

ABREU, Márcia (2006). Cultura letrada: literatura e leitura. São Paulo: Editora UNESP.

BAKHTIN, Mikhail (2003). Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes.

BRASIL (2020). Ministério das Relações Exteriores. Proposta curricular para cursos de literatura brasileira nas unidades da rede de ensino do Itamaraty no exterior – Brasília : FUNAG, 2020. 60 p. – (Propostas curriculares para ensino de português no exterior)

CANDIDO, Antonio (2011). O direito à literatura. In: Vários escritos. 5ª ed. São Paulo/Rio de Janeiro: Duas Cidades/Ouro sobre Azul, p. 169-179.

COSSON, Rildo J. (2015) A prática da leitura literária na escola: mediação ou ensino?. Nuances: estudos sobre Educação, v. 26, n. 3, p. 161-173.

FREIRE, Paulo (1996). Pedagogia da autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra; Anca/MST, 2002.

FREIRE, Paulo (2006). A importância do ato de ler. 47. ed. São Paulo: Cortez.

JOUVE, Vincent et al (2010). Entrevista com Vincent Jouve, autor de A leitura. Tradução de Brigitte Hervot. Leitura em Revista. Cátedra UNESCO de Leitura PUC-Rio, n. 1.

KRAMSCH, Claire (1993). Culture in foreign language teaching. In: Iranian Journal of Language Teaching Research. n. 1, p. 57-78, 1993. Disponível em: <http://www.urmia.ac.ir/ijltr>. Acesso em 30 abr. 2023.

KRAMSCH, Claire (2006). From communicative competence to symbolic competence. In: The Modern Language Journal, Wiley, v. 90, n. 2, p. 249-252, Summer, 2006. Disponível em: <http://www.jstor.org/stable/3876875>. Acesso em: 10 jun. 2023.

KRASHEN, Stephen (1982). Principles and Practice in Second Language Acquisition. Pergamon Press. Disponível em: <http://www.sdkrashen.com/Principles_and_Practice/Principles_and_Practice.pdf> Acesso em 30 abr. 2023.

KUMARAVADIVELU, Bala (2001). Toward a postmethod pedagogy. TESOL quarterly, v. 35, n. 4, p. 537-560, 2001.

LAJOLO, Marisa (2007). Do mundo da leitura para a leitura do mundo. 6. ed., 12. impressão, São Paulo: Ática.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina (1996). Livro didático, matéria da literatura. In: A formação da leitura no Brasil. São Paulo: Ática, p. 120-1

LEFFA, Vilson J. (2003). Como produzir materiais para o ensino de línguas. In: Produção de materiais de ensino: teoria e prática. Pelotas: EDUCAT, p. 13-38.

LEFFA, Vilson (2012). Ensino de línguas: passado, presente e futuro. Revista de estudos da linguagem, v. 20, n. 2, p. 389-411.

PETIT, Michèle (2009). A arte de ler ou como resistir à adversidade. São Paulo: Ed. 34.

PETIT, Michèle (2019). Ler o mundo: experiências de transmissão cultural nos dias de hoje. São Paulo: Editora 34.

REYES, Yolanda. Mediadores de leitura. In: FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva; VAL, Maria da Graça Ferreira da Costa; BREGUNCI, Maria das Graças de Castro (orgs.). Glossário Ceale: termos de alfabetização, leitura e escrita para alfabetizadores. Belo Horizonte: UFMG/Ceale, 2014.

TAKAHASHI, Neide Tomiko (2013) Leitura literária no ensino-aprendizagem do português para universitários estrangeiros. Linha D’Água, São Paulo, n. 26 (1), p. 119-40.

TAKAHASHI, Neide Tomiko (2014). Textos literários no ensino de português para falantes de outras línguas em contexto universitário. Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978), 43(2), 868-881.

TAKAHASHI, Neide Tomiko (2015). Leitura literária em português-língua estrangeira (PLE): representações, compreensão e produção textual. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Neide Tomiko Takahashi

Downloads

Não há dados estatísticos.