Organização do ensino de matemática na perspectiva histórico-cultural: um processo didático-formativo

Autores

  • Patrícia Lopes Jorge Franco Universidade Federal de Uberlândia
  • Andréa Maturano Longarezi Universidade Federal de Uberlândia
  • Fabiana Fiorezi de Marco Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v24i45.8646533

Palavras-chave:

Perspectiva histórico-cultural. Ensino de matemática. Teoria da atividade. Intervenção didático-formativa.

Resumo

O artigo apresenta contribuições da perspectiva histórico-cultural e Teoria da Atividade no processo formativo de uma professora de matemática do Ensino Fundamental, na escola pública municipal de Ituiutaba – MG. A partir de Leontiev (1978), Davidov (1986), Vigotski (1984) problematiza como a organização do ensino para o desenvolvimento do pensamento e conceitos teóricos algébricos, se constitui em conteúdo e forma do processo formativo da professora. A pesquisa desenvolve-se pelo materialismo histórico-dialético e caracteriza-se como de intervenção didático-formativa. Durante o processo são produzidos, colaborativamente, três atividades orientadoras de ensino com conceitos algébricos, dentre as quais se discute um episódio composto de uma cena, com três unidades de análise: compartilhamento/interações; apropriações/objetivações; atribuição de sentido. As unidades revelam o modo da professora atribuir sentido às ações na práxis docente, na unidade de sua atividade prática e teórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Lopes Jorge Franco, Universidade Federal de Uberlândia

Doutora em Educação-PPGED/FACED/UFULinha de Pesquisa, Saberes e Práticas EducativasGEPEDI/UFU- Grupo de Estudo e Pesquisa em Didática e Desenvolvimento Profissional de ProfessoresCoordenadora da Educação Continuada, Formação Permanente, Acompanhamento e Avaliação do Processo Formativo. CEMAP- Centro Municipal de Assistência Pedagógica e Aperfeiçoamento Permanente de Professores.Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Lazer de Ituiutaba/MG.

Andréa Maturano Longarezi, Universidade Federal de Uberlândia

Possui doutorado em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista ´Júlio de Mesquita Filho´ (2001); mestrado em Educação - Metodologia do Ensino- pela Universidade Federal de São Carlos (1996) e graduação em Ciências Sociais (Licenciatura Plena e Bacharelado) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1992). Trabalhou, durante 5 anos, no Mestrado em Educação da Universidade de Uberaba e foi membro do Comitê de Ética em Pesquisa, nesta mesma instituição. Tem experiências na educação básica e no ensino superior, desenvolve trabalhos de ensino, pesquisa e extensão, com ênfase nos processos de ensino-aprendizagem, na formação docente e, em especial, na formação continuada de professores em serviço. Atualmente é docente na Faculdade de Educação, da Universidade Federal de Uberlândia, atuando como membro do corpo permanente nos cursos de Mestrado e Doutorado do Programa de Pós-graduação em Educação dessa instituição

Fabiana Fiorezi de Marco, Universidade Federal de Uberlândia

Possui Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade de Franca (1995), especialização em Matemática Aplicada (1996) e Educação Matemática (1998) pela Universidade de Franca, Mestrado em Educação Matemática pela Universidade Estadual de Campinas (2004) e Doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual de Campinas (2009) e Pós-Doutora em Educação, na área de concentração em Ensino de Ciências e Matemática pela FE/USP. (2015). Atualmente é docente Adjunto IV na Faculdade de Matemática da Universidade Federal de Uberlândia, atuando como membro do corpo permanente no Programa de Pós-Graduação em Educação e no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática dessa instituição; é membro da diretoria da Revista Obuchenie. Revista de Didática e Psicologia Pedagógica; e coordenadora do GEPEMAPe - Grupo de Estudos e Pesquisa em Ensino de Matemática e Atividade Pedagógica. Tem experiência na área de Educação Matemática, com ênfase em Prática Pedagógica e Formação Docente, atuando principalmente nos seguintes temas: educação matemática, ensino e aprendizagem de Matemática, resolução de problemas, tecnologia educacional, jogo, formação de professores e Teoria Histórico-Cultural.

Referências

ARAÚJO, E. S. (2003). Da formação e do formar-se: a atividade de aprendizagem docente em uma escola pública. Tese de Doutorado em Educação. São Paulo: Universidade de São Paulo.

CARAÇA, B. J. (2002). Conceitos fundamentais da Matemática. Lisboa: Gradiva. 4a Edição.

CEDRO, W. L. (2008). O motivo e a atividade de aprendizagem do professor de matemática: uma perspectiva histórico-cultural. Tese de Doutorado em Educação. São Paulo: Universidade de São Paulo.

DAVIDOV, V. V. (1986). Problemas do ensino desenvolvimental: a experiência da pesquisa teórica e experimental na psicologia. Tradução de José Carlos Libâneo e Raquel A. M. da Madeira Freitas. Revista Soviet Education, August, v. XXX, n. 8. Acesso em 10 de agosto de 2015. Disponível em: http://professor.pucgoias.edu.br/SiteDocente/admin/arquivosUpload/5146/material/DAVYDOV%20TRADU%C3%87%C3%83O%20PROBLEMS%20OF%20DEVELOPMENTAL%20TEACHING%20(Livro).doc.

KLINGBERG, L. (1978). Intoducción a la Didáctica General. Editorial Pueblo y Educación, Playa, Ciudad de La Habana.

LEONTIEV, A. N. (1974). Problemas del desarrollo del psiquismo. 2. Ed. La Habana: Editorial Pueblo y Educación.

LEONTIEV, A. N. (1978). O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Horizonte Universitário.

LEONTIEV, A. N. (197[-]). O desenvolvimento do psiquismo. Traduzido do francês por Manoel Dias Duarte. 1. ed. Editora Moraes.

MARCO, F. F. de. (2009). Atividades computacionais de ensino na formação inicial do professor de matemática. Tese de Doutorado em Educação. Campinas: Universidade Estadual de Campinas. Acesso em 15 de julho de 2015. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000468556.

MOURA, M. O. (1992). A construção do signo numérico em situação de ensino. Tese de Doutorado em Educação. São Paulo: Universidade de São Paulo.

MOURA, M. O. (2000). O educador matemático na coletividade de formação: uma experiência com a escola pública. Tese de Livre-Docência em Educação. São Paulo: Universidade de São Paulo.

MOURA, M. O. (2002). A atividade de ensino como ação formadora. In: Castro, A. D. & Carvalho, A. M. P. de (Org.). Ensinar a ensinar: didática para a escola fundamental e média. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

MOURA, M. O; ARAÚJO, E. S.; RIBEIRO, F. D.; PANOSSIAN, M. L. & MORETTI, V. D. (2010). Atividade Orientadora de Ensino como unidade entre ensino e aprendizagem. In: Moura, M. O. (Org.). A atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. Brasília: LíberLivro.

PANOSSIAN, M. L. (2008). Manifestações do pensamento e da linguagem algébrica de estudantes: indicadores para a organização do ensino. Dissertação de Mestrado em Educação. São Paulo: Universidade de São Paulo.

PUENTES, R. V. & LONGAREZI, A. M. (2013). Escola e didática desenvolvimental: seu campo conceitual na tradição da teoria histórico-cultural. Educação em Revista. 29 (1), 247-271. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/edur/v29n1/aop_224.pdf.

ROSA, V. M. G. (2009). Aprendizagem da equação do 2o grau: Uma análise da utilização da teoria do ensino desenvolvimental. Dissertação de Mestrado em Educação. Goiânia: Universidade Católica de Goiás.

ROSA, J. E.; MORAES, S. P. G. & CEDRO, W. L. (2010). As particularidades do pensamento empírico e do pensamento teórico na organização do ensino. In: Moura (Org.). A atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. Brasília: LíberLivro.

SCARLASSARI, N. T. (2007). Um Estudo de dificuldades ao aprender álgebra em situações diferenciadas de ensino de alunos da 6a série do ensino fundamental. Dissertação de Mestrado.

CAMPINAS: Universidade Estadual de Campinas. Acesso em 14 de março de 2015. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000421677&fd=y.

VIGOTSKI, L. S. (1991). Obras Escogidas, tomo I. Madri: Visor e MEC.

VIGOTSKI, L. S. (1984). A formação Social da mente. São Paulo: Martins Fontes.

VIGOTSKI, L. S. (2001). Estudio del desarrollo de los conceptos científicos en la edad escolar. In: Obras Escogidas. Tomo II. Problemas de Psicología General. 2. edición. Madrid: A. Machado libros.

Downloads

Publicado

2016-05-13

Como Citar

FRANCO, P. L. J.; LONGAREZI, A. M.; MARCO, F. F. de. Organização do ensino de matemática na perspectiva histórico-cultural: um processo didático-formativo. Zetetike, Campinas, SP, v. 24, n. 1, p. 127–140, 2016. DOI: 10.20396/zet.v24i45.8646533. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646533. Acesso em: 29 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigo