Banner Portal
História, Literatura e Ficção na Educação Matemática
PDF

Palavras-chave

Historiografia
Literatura
Hayden White
Educação matemática

Como Citar

CURY, F. G.; SILVA, H. História, Literatura e Ficção na Educação Matemática: aproximações com as ideias de Hayden White. Zetetike, Campinas, SP, v. 23, n. 1, p. 155–178, 2016. DOI: 10.20396/zet.v23i43.8646558. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646558. Acesso em: 2 mar. 2024.

Resumo

Este ensaio apresenta considerações sobre a elaboração do discurso historiográfico narrativo apoiado em técnicas literárias e ficcionais como forma de interpretação nas pesquisas históricas. Concentra-se, como suporte teórico, nas ideias de Hayden White que, há algumas décadas, propôs um debate sobre a natureza do conhecimento histórico contrapondo narrativa, pensamento literário e pensamento científico, indicando ser a história, um artefato verbal, produto de um tipo especial de uso da linguagem, produtora de um conhecimento específico. São apresentados os tipos gerais de tropos identificados pela teoria retórica neoclássica na qual White se apoia – metáfora, metonímia, sinédoque e ironia – que fornecem uma classificação dos ti­pos de discursos históricos e permitem ver as maneiras pelas quais o discurso histórico se parece com ou converge para uma narrativa ficcional. São apontados os principais argumentos deste autor frente às críticas sobre a excessiva relatividade do conhecimento histórico na sua teoria: os sistemas de produção de significados compartilhados por historiografia, literatura e ficção são todos extraídos da experiência histórica de um povo, um grupo, uma cultura. Por fim, são apresentados dois trabalhos no campo da História da Educação Matemática que se valeram da literatura e da ficção para a construção de narrativas que objetivam a produção de conhecimentos acerca da formação de professores e da educação matemática no Brasil.

https://doi.org/10.20396/zet.v23i43.8646558
PDF

Referências

Albuquerque Jr, D. M. (2007). História: a arte de inventar o passado. Bauru/SP: EDUSC.

Carlos, C. S. (2000). O 18 Brumário de Luís Bonaparte: A discreta farsa da burguesia Acesso em 01 de maio de 2015. Disponível em: http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/18-brumario-luis-bonaparte-discreta-farsa-burguesia-434656.shtml.

Fernandes, D. N. (2011). Sobre a Formação do Professor de Matemática no Maranhão: cartas para uma Cartografia Possível. Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro-SP, Brasil.

Garnica, A. V. M. & Souza, L. A. (2012). Elementos de História da Educação Matemática. São Paulo: Cultura Acadêmica.

Kramer, L. (1992). Literatura, Crítica e Imaginação Histórica: o desafio literário de Hayden White e Dominick LaCapra. In: HUNT, L. A Nova História Cultural (pp. 131-176). São Paulo: Martins Fontes.

Hunt, L. (1992) A Nova História Cultural. São Paulo: Martins Fontes.

Jenkins, K. (2005). A História Repensada. São Paulo: Contexto.

Marquez, R. O. (2008). Teoria da História: Hayden White e seus críticos. (Dissertação de mestrado em História) Brasília: Universidade de Brasília.

Mello, R. M. (2008). Da Utilidade e Desvantagem da História para Hayden White. (Dissertação de mestrado em História). Brasília: Universidade de Brasília.

Pinto, T. P. (2013). Projetos Minerva: caixa de jogos caleidoscópica. Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista, Bauru-SP, Brasil.

White, H. (1991). Teoria literária e escrita da história. Estudos Históricos. 7(13), 21-48.

White, H. (2008). Meta-história: a imaginação histórica do século XIX. São Paulo: EdUSP.

White, H. (2001). Trópicos do Discurso: Ensaios sobre a Crítica da Cultura. Tradução de Alípio Correia de Franca Neto. São Paulo: EdUSP.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Zetetiké: Revista de Educação Matemática

Downloads

Não há dados estatísticos.