Banner Portal
Geometrias na segunda fase do ensino fundamental
PDF

Palavras-chave

Construção do espaço
Geometrias não euclidianas
Ensino de matemática

Como Citar

DEBASTIANI, João Neto; NOGUEIRA, Clélia Maria Ignatius; FRANCO, Valdeni Soliani. Geometrias na segunda fase do ensino fundamental: um estudo apoiado na epistemologia genética. Zetetike, Campinas, SP, v. 21, n. 2, p. 75–104, 2014. DOI: 10.20396/zet.v21i40.8646589. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646589. Acesso em: 29 maio. 2024.

Resumo

A teoria de Piaget se destaca na investigação da construção do espaço pela criança, incluindo a forma como ela o percebe e o representa. Segundo Piaget e Inhelder, no domínio das geometrias, a criança estabelece primeiro as relações topológicas para, posteriormente, construir simultaneamente as relações projetivas e euclidianas. Contudo, de acordo com as Diretrizes Curriculares da Educação Básica de Matemática do Estado do Paraná, as geometrias não euclidianas são apresentadas aos alunos em uma ordem distinta daquela descrita por Piaget. Assim, o presente trabalho tem como objetivo identificar o modo como crianças entre 8 e 12 anos mobilizam algumas das ideias básicas à construção de conceitos geométricos durante a resolução de situações-problema. Acredita-se que esta pesquisa vem dar subsídios para confirmar a inclusão das Geometrias não Euclidianas nas Diretrizes Curriculares. A fundamentação teórica advém da Teoria da Construção do Espaço, de Jean Piaget e Barbel Inhelder, e da Teoria dos Campos Conceituais.

https://doi.org/10.20396/zet.v21i40.8646589
PDF

Referências

BECKER, F. A epistemologia do professor: o cotidiano da escola. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

DEBASTIANI, J. N.; NOGUEIRA, C. M. I.; FRANCO, V. S. A construção do espaço geométrico por crianças entre 03 e 10 anos. Revista UNOPAR Científica Ciências Exatas e Tecnológicas, Londrina, v. 9, n. 1, p. 71-78, nov. 2010.

FACCO, S. R. Conceito de área: uma proposta de ensino-aprendizagem. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP, São Paulo, 2003.

KOBAYASHI, M. C. M. A construção da geometria pela criança. Bauru: EDUSC, 2001.

LOVIS, K. A. Geometria Euclidiana e Geometria Hiperbólica em um ambiente de Geometria Dinâmica: o que pensam e o que sabem os professores. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência e a Matemática) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, Paraná, 2009.

NOGUEIRA C. M. I. Grandezas e medidas: encaminhamentos metodológicos para as séries iniciais do ensino fundamental. Maringá, EDUEM, 2005. (Coleção Formação de Professores – EAD, n. 22).

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Diretoria de Tecnologias Educacionais. Diretrizes Curriculares da Educação Básica do Paraná: Matemática. Curitiba, 2008.

PIAGET, J. A construção do real na criança. 3. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

PIAGET, J. Introduccion a la epistemologia genetica (El pensamiento matemático). Buenos Aires: Paidos, 1975.

PIAGET, J. Psicologia e epistemologia: por uma teoria do conhecimento. Rio de Janeiro, RJ: Forense Universitária, 1973.

PIAGET, J.; INHELDER, B. A representação do espaço na criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

PIAGET, J.; INHELDER, B.; SZEMINSKA, A. The child ́s conception of geometry. New York: Harper Torchbook, 1960.

SANTOS, T. S. A inclusão das geometrias não-euclidianas no currículo da Educação Básica. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência e a Matemática) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, Paraná, 2009.

VERGNAUD, G. Teoria dos campos conceituais. Recherches en Didáctique dês Mathématiques, Grenoble, v. 10, n. 23, 1990.

WADSWORTH, B. J. Piaget para o professor da pré-escola e 1º grau. São Paulo: Pioneira, 1984.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2014 Zetetiké: Revista de Educação Matemática

Downloads

Não há dados estatísticos.