O ensino de matemática no século XVII: entre a religião e as disputas político-econômicas

  • Arlete de Jesus Brito Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: História. Educação. Matemática.

Resumo

Neste texto, buscamos evidenciar as mudanças ocorridas na educação e no ensino dematemática em contextos protestantes, na primeira metade do século XVII. Essa reorganização daeducação foi imprescindível para a difusão da nova ciência de então e se relaciona ao desenvolvimentodo comércio e da indústria, à ascensão da burguesia e a sua oposição aos discursos da escolástica e aosmodos de vida da nobreza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arlete de Jesus Brito, Universidade Estadual Paulista
Professora livre docente em "História e Educação Matemática", pela UNESP. Possui pós-doutorado pela Universidade de Bielefeld, Alemanha (2009). Atualmente é professora assistente da Universidade Estadual Paulista - Júlio de Mesquita Filho.

Referências

BACON, F. Nova Atlântida. Tradução de José Aluysio Reis de Andrade. São Paulo: Abril Cultural, 1979a. (Coleção Os pensadores). 33 Zetetiké – FE/Unicamp – v. 20, n. 38 – jul/dez 2012

BACON, F. Novum Organum. Tradução de José Aluysio Reis de Andrade. São Paulo: Abril Cultural, 1979b. (Coleção Os pensadores).

BACON, F. O progresso do conhecimento. Tradução de Raul Fiker. São Paulo: Editora UNESP, 2006.

BIBLIA DE REFERÊNCIA THOMPSON. 3. impressão. São Paulo, 1994. 1.750 p.

BOYER, C. História da matemática. Tradução de Elza Gomide. São Paulo: Edgard Blücher, 1991.

BRITO, A. J. A história da matemática na obra Geografia Geral de Bernhard Varenio. Zetetiké, Campinas, v. 14, n. 26, p. 89-102, jul./dez. 2006a.

BRITO, A. J. A mathematica na obra de Isidoro de Sevilha. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999. 150 p.

BRITO, A. J. Geometrias não-euclidianas: um estudo histórico-pedagógico. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1995. 187p.

BRITO, A. J. O estudo de um manual de ensino de matemática: o livro Geografia Geral. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA (SIPEM), 3., 11 a 14 de outubro de 2006, Águas de Lindóia. Anais... Águas de Lindóia: SBEM, 2006b. p. 1-13.

BRITO, A. J.; SHUBRING, G. Varenius e o conhecimento matemático do século XVII. Ciência e educação, v.15, n. 1, p. 139-154, 2009.

BURKE, P. História e teoria social. Tradução de Klauss Brandini Gerrhardt e Roneide Venâncio Majer. São Paulo: Editora UNESP, 2002. 275p.

BURKE, P. Uma história social do conhecimento: de Gutenberg a Diderot. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2003. 241p.

CALEPINO, A. Dictionarium in quo restituendo atque exornando haec praestitimus. Venetiis: In: Aedibus Manutianis, 1573. 985p.

CAMBI, F. História da pedagogia. Tradução de Álvaro Lorencini. São Paulo: Editora UNESP, 1999. 701p.

CAPEL, H. Varenio: Geografia general. Barcelona: Ediciones de la Universidad de Barcelona, 1974.

CHARLE, C.; VERGER, J. História das universidades. São Paulo: Editora UNESP, 1996. 131p. CHARTIER, R. A história cultural entre práticas e representações. Tradução de Maria Manuela Carvalho. Lisboa: Difel, 1988. 244p.

COMENIUS, J. A. Didática Magna. Tradução de Joaquim Ferreira Gomes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1957. 525p.

CORMACK, L. The commerce of utility: teaching mathematical geography in early modern England. Science & Education – Springer, n. 15, p. 305-322, 2006.

DICKSON, D. R. The Tessara of Antilia: utopian brotherhoods & secret societies in early seventeenth century. Leiden: Brill, 1998. 293p. ELSNER, B. (Ed.). Joachim Jungius’ Geometria empírica und Rei-kunst. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht, 2004. 183 p.

ELSNER, B.; ROTHKEGEL, M. (Org.). Der Briefwechsel des Joachim Jungius. 1. ed. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht, 2005.

EUTINER LANDESBIBLIOTHEK. Matrícula de Varenius em Konigsberg. Documento mapa 07, p. 39.

EUTINER LANDESBIBLIOTHEK. Matrícula de Varenius no Gymnasium de Hamburg. Documento mapa 22, p. 33.

EUTINER LANDESBIBLIOTHEK. Pharmaco-Therapeutisch Laboratorium da Universidade de Amsterdam, de 01/03/1929 a Carl Rorbach. Mapa 26, p. 12.

EVANS, R. J. W. Learned societies in Germany in the seventeenth century. European Studies Review – Sage Publications, v. 7, n. 1, p. 129-151, jan. 1977.

FOGEL, M. Memoriae Joachimi Jungii, mathematici summi ceteraqve incomparabilis philosophi. Hamburg: Typis Jocobi Rebenlini, 1657.

GORCEIX, B. A Bíblia dos Rosa-Cruzes: versão e comentários das três primeiras obras rosa-cruzianas (1614 – 1615 – 1616). Tradução de Frederico Pessoa de Barros. São Paulo: Pensamento, 1993.

HELVETICUS, C.; JUNGIUS, J. Von der Didactica oder Lehrkunst Wolfgangi Ratichii. Magdeburg: Gebrucht bey Wendelin Pohln, 1621.

HUTIN, S. A história da alquimia. Tradução de Charles Marie Antoine Bouéry. São Paulo: MM, 1972.

ISIDORO. Etimologías. Versão espanhola de Jose O. Reta e Manuel A. M. Casquero. Introdução geral de M. C. D. Diaz. Madrid: BAC, 1983. v. I e II. Edição bilíngue latim-espanhol.

JUNGIUS, J. Disputationes Hamburgenses. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht, 1988. p. 114-133.

JUNGIUS, J. Geometria Empírica. Rostock [?], 1630. 95p. JUNGIUS, J. Über Den Propädeutischen Nutzen Der Mathematik Für Das Studium Der Philosophie: Rede, gehalten am 19 März 1629 beim Antritt des Rektorates in Hamburg. Edição bilíngue latimalemão. In: MEYER, A. (Ed.) Festschrift der Hamburgischen Universität: Beiträge zur JungiusForschung. Hamburg: Paul Hartung Verlag, 1629.

MALCOLM, N.; STEDALL, J. John Pell (1611 – 1685) and his correspondence with Sir Charles Cavendish: the mental world of an early modern mathematician. 1. ed. Oxford: Oxford University Press, 2005. 657p.

MILTON, J. Paraíso Perdido. Rio de Janeiro: W. M. Jackson Inc., 1956. 281p.

MILTON, J. Tractate of education. Glasgow: R. Urie & Company, 1746.

MORAN, B. T. The alchemical word of the german court: occult philosophy and chemical medicine in the circle of Moritz of Hessen (1572-1632). 1. ed. Stuttgart: Franz Steiner Verlag, 1991. 193 p.

MORUS, T. A utopia. Tradução de Luís de Andrade. São Paulo: Atena, 1956.

NUTTON, V. Qui magni Galeni doctrinam in re medica primus revocavit – Matteo Corti und der Galenismus im medizinischen Unterricht der Renaissance. In KEIL, G.; ROSSI, P. A ciência e a filosofia dos modernos. Tradução de Álvaro Lorencini. São Paulo: Editora UNESP, 1992.

SCHNEIDER, H. Morsius und sein Kreis. Lübeck: Otto-Quitzow-Verlag, 1929. 120 p.

SCHUBRING, G. A Framework for comparing transmission process of Mathematics to the Americas. Revista Brasileira de História da Matemática, v. 2, n. 3, p. 45-63, 2002a.

SCHUBRING, G. Aspetti istituzionali della matematica. In: PETRUCCIOLI, S. (Ed.) Storia della scienza: L’età dei Lumi. Estratto dal volume VI. Roma: Instituto della Enciclopédia italiana/Fondata da Giovanni Treccani, 2002b. p. 366-380.

SCHUBRING, G. Reforma e contra-reforma na matemática – o papel dos jesuítas. Perspectivas da Educação Matemática, v. 1, n. 2, p. 23-38, 2008.

STRUIK, D. J. História concisa da matemática. Tradução de João C. S. Guerreiro. Lisboa: Gradiva, 1989. 360 p.

THOMPSON, E. H. Andrea, J. V. Cristianopolis. Kluwer Academic, 1999.

THORNDIKE, L. A history of Magic and experimental science. 1. ed. Nova York; London: Columbia University Press, 1958. v. VII, 695 p.

VARENIUS, B. Disputatio medica de Febri in Genere. Presidência de Arnoldi Vannii. Leiden, 1642.

VARENIUS, B. Med. D. Geographia Generalis: In qua affectiones generales Telluris explicantur, Summâ curâ quam plurimis in locis emendata, & XXXIII Schematibus novis, ære incisis, unà cum Tabb. aliquot quæ desiderabantur aucta et illustrata. Cantabrigiæ: Dickinson, 1672. 562 p.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Pioneira, 1987. 87 p.

WHITE, H. Method and Ideology in Intellectual History: The case of Henry Adams. In: Lacapra, D.; KAPLAN, S. (Ed.). Modern European Intellectual History – reappraisals & new perspectives. Ithaca: Cornell University Press, 1987. p. 280-310.

Publicado
2013-05-08
Como Citar
Brito, A. de J. (2013). O ensino de matemática no século XVII: entre a religião e as disputas político-econômicas. Zetetike, 20(2), 11-35. https://doi.org/10.20396/zet.v20i38.8646608
Seção
Artigo