Banner Portal
Educação matemática e educação financeira
PDF

Palavras-chave

Educação matemática
Contexto
Educação financeira
ENEF

Como Citar

HOFMANN, R. M.; MORO, M. L. F. Educação matemática e educação financeira: perspectivas para a ENEF. Zetetike, Campinas, SP, v. 20, n. 2, p. 37–54, 2013. DOI: 10.20396/zet.v20i38.8646609. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646609. Acesso em: 20 fev. 2024.

Resumo

Diante da recente implementação da Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF), o presente trabalho tem por objetivo promover uma reflexão acerca das potenciais interfaces didáticas e conceituais entre Educação Matemática (EM) e Educação Financeira (EF), à luz das discussões sobre a resolução de problemas matemáticos contextualizados dentro e fora do ambiente escolar. Para tanto, parte-se da caracterização da relação antagônica entre a matemática do cotidiano e a matemática escolar; explora-se a dicotomia aprendizagem escolar e extraescolar; avalia-se a relação entre contexto, conceitos e solução de problemas matemáticos; e passa-se à caracterização de um desdobramento recente da EM, a EF. Depreende-se, por fim, que uma das possíveis formas de promover a (re)conciliação entre escola e cotidiano no âmbito da EM poderia incluir o estreitamento e o aprimoramento de sua relação com a EF, uma estratégia particularmente relevante no desenvolvimento de competências matemáticas aplicadas às práticas corriqueiras dos alunos.

https://doi.org/10.20396/zet.v20i38.8646609
PDF

Referências

ACIOLY-RÉGNIER, N. M. Competências “matemáticas”: a análise de aspectos conceituais e da dimensão sociocultural dos conceitos. In: BRITO, M. R. F. (Org.) Solução de problemas e a matemática escolar. Campinas: Alínea, 2006.

BESSOT, A.; H., F.; JULLIEN, P., KUNTZMANN, J. Uma hora com Piaget (A propósito do ensino da matemática). In: PARRAT, S.; TRYPHON, A. (Org.). Sobre a Pedagogia: Jean Piaget. p. 223-241. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998.

BRASIL. Vida e dinheiro. Educação financeira nas escolas. 2010a. Disponível em: http://www.vidaedinheiro.gov.br/EducacaoFinanceira/Default.aspx. Acesso em: 30 ago. 2010.

BRASIL. Vida e dinheiro. Instituições envolvidas. 2010b. Disponível em: http://www.vidaedinheiro.gov.br/Instituicoes/Default.aspx. Acesso em: 30 ago. 2010.

BRASIL. Vida e dinheiro. O que é ENEF. 2010c. Disponível em: http://www.vidaedinheiro.gov.br/Enef/Default.aspx. Acesso em: 30 ago. 2010.

CARRAHER, T. N.; CARRAHER, D. W.; SCHLIEMANN, A. Na vida dez, na escola zero. São Paulo: Cortez, 1995.

CCSF – Comité Consultatif du Secteur Financier. L’éducation financière et l’école: Rapport 2008-2009. Disponível em: http://www.banquefrance.fr/ccsf/fr/telechar/publications/rapport_annuel_2008_2009/CCSF_2008-09_Sommaire.pdf. Acesso em: 30 ago. 2010.

D’AMBROSIO, U. Da realidade à ação: reflexões sobre educação e matemática. São Paulo: Summus, 1986.

D’AMBROSIO, U. Educação matemática: da teoria à pratica. Campinas: Papirus, 1997.

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática: arte ou técnica de explicar e conhecer. São Paulo: Ática, 1990.

DELVAL, J. Aprender na vida e aprender na escola. Porto Alegre: Artmed, 2001.

DELVAL, J. Introdução à prática do método clínico: descobrindo o pensamento das crianças. Porto Alegre: Artmed, 2002.

FERREIRO, E.; URE, I. Cálculo com dinheiro em situação inflacionária. In: FERREIRO, E. (Org.) Alfabetização em processo. São Paulo: Cortez,1986.

FRANCHI, A. Situações multiplicativas: diferentes situações e suas inter-relações. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 1., 2001, SBEM, Curitiba. Anais… Curitiba: UFPR, PUCPR, Universidade Tuiuti do Paraná, 2001.

FREUDENTHAL, H. Mathematics as an educational task. Dordrecht: D. Reidel, 1973.

IEFP – L’institut pour l’éducation financière du public. Pour une education financière a l’ecole. 2009. Disponível em: Acesso em: 30 ago. 2010.

LAHIRE, B. Homem plural: os determinantes da ação. Petrópolis: Vozes, 2002.

MCINTOSH, A; REYS, B. J.; REYS, R. E. A proposed framework for examining basic number sense. For the Learning of Mathematics, Fredericton, NB, Canada, v. 3, n. 12, nov. 1992.

NAF – New America Foundation. Public policy ideas to improve financial education and help consumers make wise financial decisions. 2007. Disponível em: Acesso em: 30 ago. 2010.

NUNES, T.; LIGHT, P.; MASON, J. Tools for thought the measurement of length and area. Learning and Instruction, v. 3, p. 39-54, 1993.

NZNFL - New Zealand Network for Financial Literacy. Definitions: financial literacy. Disponível em: Acesso em: 30 ago. 2010.

OCDE – Organisation de Coopération et de Developpement Économiques. Projet d’educacion financière de l’ OCDE: contexte et mise en application. 2009. Disponível em: http://www.oecd.org/document/23/0,3343,fr_2649_15251491_25713194_1_1_1_1,00.html. Acesso em: 30 ago. 2010.

SERASA. Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor. Disponível em: http://www.serasaexperian.com.br/release/indicadores/ftp/inad_pf.zip. Acesso em: 19 ago. 2010.

SKOVSMOSE, O. Aphorism and critical mathematics education. For the Learning of Mathematics, Fredericton, NB, Canada, v. 20, n. 1, p. 2-8, 2000a.

SKOVSMOSE, O. Cenários para investigação. Bolema, Rio Claro, n. 14, p. 66-91, 2000b.

SKOVSMOSE, O. Educação matemática crítica: a questão da democracia. Campinas: Papirus, 2001.

SPINILLO, A. G. O sentido de número e sua importância na educação matemática. In: BRITO, M. R. F. (Org.) Solução de problemas e a matemática escolar. Campinas: Alínea, 2006.

VERGNAUD, G. La théorie de champs conceptuels. Recherches en Didactique de Mathématiques, Grenoble, França, v. 10, n. 2-3, p. 133-170,1990.

VERGNAUD, G. L'enfant, la mathématique et la réalité. Berne: Peter Lang, 1981.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2014 Zetetiké: Revista de Educação Matemática

Downloads

Não há dados estatísticos.