As relações entre as estratégias utilizadas no jogo de regras “Quarto” e a resolução de problemas de conteúdo matemático

  • Maria José de Castro Silva Faculdade Anhanguera de Campinas
  • Rosely Palermo Brenelli Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Construtivismo. Resolução de Problemas. Jogo de Regras. Sessões de Intervenção.

Resumo

A presente pesquisa investigou se a promoção de sessões de intervenção com o jogo de regras “Quarto” poderia ser favorável ao desenvolvimento de novas e melhores formas de raciocínio para a resolução de problemas de conteúdo matemático. Para tanto, contou com a participação de 21 alunos do Ensino Médio, 7 de cada uma das 3 séries pertencentes a 2 escolas da rede particular da cidade de Campinas-SP. Os dados foram recolhidos a partir da realização de uma prova de conhecimentos matemáticos, de sessões de intervenção com o jogo Quarto e da reaplicação da prova de conhecimentos matemáticos. Os problemas foram escolhidos dentre as questões do Enem, as sessões de intervenção foram realizadas por meio computacional e todas as etapas foram realizadas de forma individual. Os resultados foram analisados de forma qualitativa, através da observação participante da pesquisadora e, de forma quantitativa, por meio do Teste T de Student, o que possibilitou concluir que os resultados da investigação foram favoráveis à questão pesquisada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria José de Castro Silva, Faculdade Anhanguera de Campinas
Coordenadora do Curso de Pedagogia da Faculdade Anhanguera de Campinas – Unidade IV, atuando também, na mesma unidade, como docente na área de Educação Matemática em cursos de graduação e pós-graduação.
Rosely Palermo Brenelli, Universidade Estadual de Campinas
Professora Doutora do Departamento de Psicologia Educacional da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas atuando em cursos de graduação e pós-graduação na Faculdade de Educação - Unicamp. Autora de livros, capítulos de livros, artigos em periódicos científicos arbitrados e anais de congressos nacionais e internacionais.

Referências

ALVES, E. M. S. A ludicidade e o ensino da Matemática. 3. ed. Campinas: Papirus, 2006. 112 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Exame Nacional do Ensino Médio, 2004. 22 p. Disponível em: http://www.enem.inep.gov.br/ Acesso em: 22 fev. 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Exame Nacional do Ensino Médio, 2005. 23 p. Disponível em: http://www.enem.inep.gov.br/ Acesso em: 22 fev. 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Orientações Curriculares para o Ensino Médio. v. 2. Brasília, DF: Secretaria de Educação Básica, 2006. 135 p. Disponível em: http://www.mec.gov.br Acesso em: 24 jan. 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais - Ensino Médio. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília, DF: Secretaria de Educação Básica, 2002a. 141 p. Disponível em: http://www.mec.gov.br Acesso em: 25 jan. 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Relatório Pedagógico - Enem. Brasília, DF: Secretaria de Educação Básica, 2002b. 40 p. Disponível em: http://www.enem.inep.gov.br/ Acesso em: 05 dez. 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1998. 148 p.

BRENELLI, R. P. Intervenção pedagógica, via jogos Quilles e Cilada, para favorecer a construção de estruturas operatórias e noções aritméticas em crianças com dificuldades de aprendizagem. 1993. 344 p. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 1993.

BRENELLI, R. P. Observáveis e coordenações em um jogo de regras: influência do nível operatório e interação social. 1986. 236 p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 1986.

BRENELLI, R. P. O jogo como espaço para pensar – a construção de noções lógicas e aritméticas. Campinas: Papirus, 1996. 208 p.

CARAÇA, B. J. - Conceitos fundamentais da Matemática. 2. ed. Lisboa: Gradiva, 1998. 295 p.

CONTRERAS L.C.; CARRILLO J. El amplio campo de la resolución de problemas. In: CONTRERAS L.C.; CARRILLO J. (Org.). Resolución de problemas en los albores del siglo XXI: una visión internacional desde múltiples perspectivas y niveles educativos.. Huelva, Espanha: Hergué Andaluza, 2000. p. 13-38.

CORBALÁN, F. El juego y la resolución de problemas. In: CONTRERAS L.C.; CARRILLO J. (Org.) Resolución de problemas em los albores del siglo XXI: una visión internacional desde múltiples perspectivas y niveles educativos. Huelva: Hergué Editora Andaluza, 2000. p. 40 - 56.

CORBALÁN, F. Juegos matemáticos para secundaria y bachillerato. Madrid: Síntesis, 1998. 271 p.

DANTE, L. R. Didática da resolução de problemas de Matemática. São Paulo: Ática, 1991. 176 p.

DELGADO, M. J. Os professores de Matemática e a resolução de problemas. Três estudos de casos. In: FERNANDES D.; BORRALHO A.; AMARO, G. (Org.). Resolução de problemas: processos cognitivos e concepções de professores e desenvolvimento curricular. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 1994. p. 57-86.

GRANDO, R. C. O conhecimento matemático e o uso de jogos na sala de aula. 2000. 224 p. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2000.

KAMII, C. A criança e o número. Tradução de Regina A. de Assis. 26. ed. Campinas: Papirus, 1999. 124 p.

KAMII, C.; DECLARK, G. Reinventando a Aritmética – implicações da teoria de Piaget. Tradução de Elenisa Curt, Marina Célia Moraes Dias e Maria do Carmo Domite Mendonça. Campinas: Papirus, 1986. 308 p.

KAMII, C.; LIVINGSTON, S. J. Desvendando a Aritmética. Tradução de Marta Rabioglio, Camilo F. Ghorayeb e Marina Célia C. Morais. 4. ed. Campinas: Papirus, 1998. 299 p.

LEVIN, J. Estatística aplicada a ciências humanas. Tradução e adaptação Sérgio Francisco Costa. 2. ed. São Paulo: Harbra, 1987. 392 p.

MACEDO, L. Apresentação. In: PIAGET, J. As formas elementares da dialética. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1996. p. 7-10.

MACEDO, L. Ensaios construtivistas. 5. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002a. 172 p.

MACEDO, L. Esquemas de ação ou operações valorizadas na matriz ou prova do Enem. In: BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais. Eixos Cognitivos do Enem, Brasília: 108 p. BRASIL, INEP, Ministério da Educação, 2002b. Documento sem revisão.

MACEDO, L. (Org.). Jogos, Psicologia e Educação – teoria e prática. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2009. 270 p.

MACEDO, L.; PETTY, A. L. S.; PASSOS, N. C. Aprender com jogos e situações-problema. Porto Alegre: Artmed, 2000. 116 p.

MACEDO, L.; PETTY, A. L. S.; PASSOS, N. C. Os jogos e o lúdico na aprendizagem escolar. Porto Alegre: Artmed, 2005. 110 p.

MACIEL, D. M. A avaliação no processo ensino-aprendizagem de Matemática, no Ensino Médio: uma abordagem formativa sócio-cognitivista. 2003. 165 p. Dissertação (Mestrado em Educação) — Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

MARCO, F. F. Estudo dos processos de resolução de problema mediante a construção de jogos computacionais de Matemática no Ensino Fundamental. 2004. 140 p. Dissertação (Mestrado em Educação) — Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

PERALES, F. J. Resolución de problemas. Madrid: Síntesis, 2000. 221 p.

PIAGET, J. Abstração reflexionante. Tradução de Fernando Becker e Petronilha Beatriz Gonçalves da Silva. Porto Alegre: Artmed, 1995. 292 p.

PIAGET, J. As formas elementares da dialética. Tradução de Fernanda Mendes Luiz. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1996. 228 p.

PIAGET, J. Fazer e compreender. Tradução de Christina Larroudé de Paula Leite. São Paulo: Melhoramentos, Editora da Universidade de São Paulo, 1978. 186 p.

PIAGET, J. O desenvolvimento do pensamento. equilibração das estruturas cognitivas. Traduzido do francês por Álvaro de Figueiredo. Lisboa: Dom Quixote, 1977. 228 p.

PIAGET, J. O raciocínio na criança. Tradução de Valerie Rumjanek Chaves. Rio de Janeiro: Record, 1967. 241 p.

PIAGET, J. Psicologia da inteligência. Tradução de Egléa de Alencar. 2. ed. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1972. 229 p.

PIAGET, J. Seis estudos de Psicologia. Tradução de Maria Alice Magalhães D’Amorim e Paulo Sérgio Lima. 24. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

PIAGET, J; INHELDER, B. A psicologia da criança. Tradução de Octávio Mendes Cajado. 7. ed. São Paulo: Difel, 1982. 137 p.

PIAGET, J.; INHELDER, B. Da lógica da criança à lógica do adolescente. Tradução de Dante Moreira Leite. São Paulo: Pioneira, 1976. 260 p.

POLYA G. A arte de resolver problemas: um novo aspecto do método matemático. Tradução e adaptação de Heitor Lisboa de Araújo. Rio de Janeiro: Interciências, 1978. 179 p.

POLYA, G Sobre a resolução de problemas de matemática na high school. In: KRULIK, S.; REYS, R. E. A resolução de problemas na matemática escolar. Tradução Hygino H. Domingues e Olga Corbo. São Paulo: Atual, 1997. p.1-3

SANTALÓ, L. A. La enseñanza de las ciencias en la escuela media, 1985. In: CORBALÁN, F. Juegos matemáticos para secundaria y bachillerato. Madrid: Síntesis, 1998. 271 p.

SILVA, D. Métodos quantitativos e estatísticos para tratamento de dados em ciências humanas. Programa de PósGraduação, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005. Material em formato eletrônico disponibilizado pelo autor como subsídio ao conteúdo da disciplina Métodos quantitativos e estatísticos para tratamento de dados em ciências humanas.

SILVA, M. J. C. A dialética construtiva da adição e da subtração nas estratégias do jogo gamão. 2003. 177 p. Dissertação (Mestrado em Educação) — Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

SILVA, M. J. C. As estratégias no jogo Quarto e suas relações com a resolução de problemas matemáticos. 2008. 212 p. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

SILVA, M. J. C.; BRENELLI, R. P. A construção dialética da adição e da subtração no jogo gamão. In: JOLY, M. C. R. A.; VECTORE, C. (Org.). Questões de pesquisa e práticas em psicologia escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006. p. 146-169.

SILVA, M. J. C.; BRENELLI, R. P. O jogo gamão e suas relações com as operações adição e subtração. Revista de Educação Matemática — Publicação da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, São Paulo, n. 9-10, p. 7-14, 2004/2005.

TORRES, M. Z. Processos de desenvolvimento e aprendizagem de adolescentes em oficinas de jogos. 2001. 273 p. Tese (Doutorado em Educação) – Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

VILA, A.; CALLEJO, M. L. Matemática para aprender a pensar: o papel das crenças na resolução de problemas. Porto Alegre: Artmed, 2006. 212 p.

ZILLIONS DEVELOPMENT. Zillions of games. 2.0.1p. USA, 2003. Disponível em: http://www.zillions-of-games.com/zildev.html. Acesso em: 05 maio 2005.

Publicado
2013-05-08
Como Citar
Silva, M. J. de C., & Brenelli, R. P. (2013). As relações entre as estratégias utilizadas no jogo de regras “Quarto” e a resolução de problemas de conteúdo matemático. Zetetike, 20(2), 151-180. https://doi.org/10.20396/zet.v20i38.8646615
Seção
Artigo