Considerações sobre a linguagem na sala de aula de matemática

Autores

  • Antonio Vicente Marafioti Garnica Universidade Estadual Paulista
  • Thiago Pedro Pinto Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v18i0.8646654

Palavras-chave:

Educação matemática. Linguagem. Modelo dos campos semânticos. Jogos de linguagem.

Resumo

Este trabalho estuda os usos da linguagem em sala de aula de Matemática. Mais especificamente, analisa como professores utilizam a linguagem para comunicar-se com seus alunos durante as aulas. Inicialmente, são expostas nossas intenções e a leitura de algumas produções em Educação Matemática que se aproximam de nossa proposta. Em seguida, apresentamos os dois aportes teóricos que dão sustentação ao nosso trabalho, o “Modelo dos Campos Semânticos” e os “jogos de linguagem”, de Wittgenstein, considerando seus pontos de aproximação e distanciamento. As filmagens nas salas de aula de dois professores foram transformadas em clipes que, transcritos, organizam os dados da pesquisa. Com a análise desses dados, a partir dos aportes teóricos adotados, foi possível listar eventos que caracterizam alguns usos da linguagem e, por fim, elencar faces do “jogo de linguagem” da sala de aula de Matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Vicente Marafioti Garnica, Universidade Estadual Paulista

Professor da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Bauru (SP) - Brasil, e do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da UNESP, Rio Claro (SP) – Brasil

Thiago Pedro Pinto, Universidade Estadual Paulista

Professor da Rede Pública de Ensino do Estado de São Paulo e doutorando do Programa de Pós-graduação em Educação para a Ciência da UNESP, Bauru (SP) - Brasil

Referências

CONDÉ, M. L. L. Wittgenstein: Linguagem e mundo. São Paulo: Annablume, 1998.

COSTA, C. F. Filosofia da linguagem. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

DANYLUK, O. S. Um estudo sobre o significado da alfabetização matemática.1988. Dissertação. (Mestrado em Educação Matemática) – Unesp, Rio Claro, 1988.

DAVIS, P. J.; HERSH, R. A experiência matemática. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1985.

FLORES, C. R. Registros de representação semiótica em matemática: história, epistemologia, aprendizagem. Bolema. Rio Claro, n. 26, p. 77-102, 2006.

FRADE, C.; BORGES, O. The tacit-explicit dimension of the learning of Mathematics: an investigation. International Journal of Science and Mathematics Education, 2006.

GOTTSCHALK, C. M. C. A construção e transmissão do conhecimento matemático sob uma perspectiva wittgensteiniana. Cadernos Cedes, Campinas, v. 28, n. 74, p. 75-96, jan./abr. 2008.

JULIO, R. S. Uma leitura da produção de significados matemáticos e nãomatemáticos para ”dimensão”.2007. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Unesp, Rio Claro, 2007.

LINS, R. C. Por que discutir teoria do conhecimento é relevante para a Educação Matemática. In: BICUDO, M. A. V. Pesquisa em Educação Matemática: concepções e perspectivas. São Paulo: Unesp, 1999.

LINS, R. C. e GIMENEZ, J. Perspectivas em aritmética e álgebra para o século XXI. Campinas: Papirus, 1997.

LURIA, A. R. Pensamento e linguagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1987.

MACHADO, N. J. Matemática e língua materna: análise de uma impregnação mútua. São Paulo: Cortez, 1993.

MARQUES, E. Wittgenstein e o Tractatus. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

MENEZES, L. Matemática, linguagem e comunicação. Porfmat99. 1999. Lisboa, Portugal. Disponível em: http://www.ipv.pt/millenium/20_ect3.html. Último acesso em: set./ 2007.

SANTOS, C. R. dos. As influências da linguagem e da comunicação no ensino-aprendizagem da matemática. 1995. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Unesp, Rio Claro, 1995.

SANTOS, V. de M. Linguagens e comunicação na aula de matemática. In: LOPES, C. A. E.; NACARATO, A. M. Escritas e leituras na Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

SANTOS, L. M. dos. Produção de significados para objetos de aprendizagem: de autores e leitores para a Educação Matemática. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) - UFPR, 2007.

SCUCUGLIA, R. A investigação do teorema fundamental do cálculo com calculadoras gráficas. 2006. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Unesp, Rio Claro, 2006.

SILVA, A. M. Sobre a dinâmica da produção de significados para a matemática. 2003. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Unesp, Rio Claro, 2003.

USISKIN, Z. Mathematics as a language. Communication in Mathematics. New York: NCTM, 1996.

VILELA, D. S. Matemáticas nos usos e jogos de linguagem: ampliando concepções na Educação Matemática. 2007. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – FE/Unicamp, 2007.

WITTGENSTEIN, L. Tractatus logico-philosophicus. São Paulo: Cia Editora Nacional/Edusp, 1968.

WITTGENSTEIN, L. Investigações filosóficas. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

Downloads

Publicado

2011-02-11

Como Citar

GARNICA, A. V. M.; PINTO, T. P. Considerações sobre a linguagem na sala de aula de matemática. Zetetike, Campinas, SP, v. 18, 2011. DOI: 10.20396/zet.v18i0.8646654. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646654. Acesso em: 16 maio. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>