Práticas de numeramento nas interações discursivas na sala de aula da educação de pessoas jovens e adultas : o “caso da calculadora”

  • Juliana Batista Faria Colégio Mangabeiras / Escola Balão Vermelho
  • Maria Laura Magalhães Gomes Universidade Federal de Minas Gerais
  • Maria da Conceição Ferreira Reis Fonseca Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Práticas de numeramento. Educação matemática. Educação de pessoas jovens e adultas. Interações discursivas na sala de aula.

Resumo

Apresenta-se, neste artigo, uma análise de interações verbais entre professoras, alunas e alunos em uma aula de Matemática de uma turma da Educação de Pessoas Jovens e Adultas (EJA). Tais interações são discutidas com base nos estudos sobre numeramento, enfatizando-se a dimensão sociocultural da educação matemática escolar, em particular, da que se realiza no contexto da EJA, e seu caráter de prática discursiva. Focaliza-se, pois, o papel do jogo interlocutivo e interdiscursivo que forja as interações verbais – e se forja nelas – em um evento de numeramento denominado “o caso da calculadora”, no qual se observa uma relação que denominamos “paralelismo” entre práticas de numeramento típicas da cultura escolar e aquelas referenciadas em outras instâncias da vida social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Batista Faria, Colégio Mangabeiras / Escola Balão Vermelho
Professora do Colégio Mangabeiras e Escola Balão Vermelho, em Belo Horizonte (MG) - Brasil
Maria Laura Magalhães Gomes, Universidade Federal de Minas Gerais
Professora do Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte (MG) – Brasil
Maria da Conceição Ferreira Reis Fonseca, Universidade Federal de Minas Gerais
Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte (MG) – Brasil

Referências

ADELINO, Paula Resende. Práticas de numeramento nos livros voltados para a Educação de Jovens e Adultos. 2009. 335 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

BAKER, D; STREET, B; TOMLIN, A. Mathematics as social: understanding relationships between home and school numeracy pratices. For the learning of mathematics. v. 23, n. 3, p. 11-15, nov. 2003.

BARWELL, R. What is numeracy? For the learning of mathematics, v. 24, n. 1, p. 20- 22, mar. 2004.

CABRAL, V. R. S. A importância do diálogo na mobilização dos conhecimentos dos alunos na educação de jovens e adultos na perspectiva da educação matemática crítica. In: ARAÚJO, J. L. (Org.). Educação matemática crítica: reflexões e diálogos. Belo Horizonte: Argvmentvm, 2007a. p. 61-70.

CABRAL, V. R. S. Relações entre conhecimentos matemáticos escolares e conhecimentos do cotidiano forjadas na constituição de práticas de numeramento na sala de aula da EJA. 2007. 169 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007b.

CARRAHER, D. et al. Na vida dez, na escola zero. São Paulo: Cortez, 1988.

CARVALHO, D. L. A interação entre o conhecimento matemático da prática e o escolar. 1995. 250f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1995.

DUARTE, N. O ensino de matemática na educação de adultos. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1986.

FARIA, J. B. Relações entre práticas de numeramento mobilizadas e em constituição nas interações entre os sujeitos da educação de jovens e adultos. 2007. 335 f. (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

FERREIRA, Ana Rafaela. Práticas de numeramento, conhecimentos escolares e cotidianos em uma turma de Ensino Médio da Educação de Pessoas Jovens e Adultas. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

FONSECA, M. C. F. R. Discurso, memória e inclusão: reminiscências da Matemática Escolar de alunos adultos do Ensino Fundamental. 2001. 316 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001a.

FONSECA, M. C. F. R. Lembranças da Matemática Escolar: a constituição dos alunos da EJA como sujeitos da aprendizagem. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n.2, p. 339-354, jul./dez. 2001b.

FONSECA, M. C. F. R. Educação Matemática de Jovens e Adultos: especificidades, desafios e contribuições. Belo Horizonte: Autêntica, 2002a. (Coleção Tendências em Educação Matemática).

FONSECA, M. C. F. R. Educação matemática e educação de jovens e adultos: reminiscências, negociação de significados e constituição de sujeitos de ensino e aprendizagem. Alfabetização e Cidadania. Revista de Educação de Jovens e Adultos. n. 14, jul./2002b.

FONSECA, M. C. F. R. Educação Matemática de Jovens e Adultos: discurso, significação e constituição de sujeitos nas situações de ensino-aprendizagem escolares. In: SOARES, L.; GIOVANETTI, M. A.; GOMES, N. L. (Org.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p. 225-240.

FONSECA, M. C. F. R.. Sobre a adoção do conceito de numeramento no desenvolvimento de pesquisas e práticas pedagógicas na educação matemática de jovens e adultos. In: IXENEM, 2007, Belo Horizonte. Anais eletrônicos... Belo Horizonte, 2007. 1 CD-ROM.

FONSECA, M. C. F. R. Conceito (s) de numeramento e relações com o letramento. In: LOPES, C. E.; NACARATO, A. M. Educação matemática, leitura e escrita: armadilhas, utopias e realidade. Campinas: Mercado de Letras, 2009. p. 47-60.

FONSECA, M. C. F. R. Adult Education and Ethnomathematics: appropriating results, methods and principles. ZDM Mathematics Education, 42, p. 361-369, 2010.

KNIJNIK, G. Algumas dimensões do alfabetismo matemático e suas implicações curriculares. In: FONSECA, Maria da Conceição F. R. (Org.). Letramento no Brasil: habilidades matemáticas. São Paulo: Global; Ação Educativa Assessoria, Pesquisa e Informação: Instituto Paulo Montenegro, 2004. p. 213-224.

LIMA, Priscila C. Constituição de práticas de numeramento em eventos de tratamento da informação na educação de jovens e adultos. 2007. 103 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

MENDES, J. R. Ler, escrever e contar: práticas de numeramento-letramento dos kaiabi no contexto de formação de professores índios no Parque Indígena do Xingu. 2001. 229f. Tese (Doutorado em Lingüística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

MENDES, J. R. Matemática e práticas sociais: uma discussão na perspectiva do numeramento. In: MENDES, J. R.; GRANDO, R. C. (Org.). Múltiplos olhares: matemática e produção de conhecimento. São Paulo: Musa, 2007. p. 11-29.

MIGUEL, A. Percursos indisciplinares na atividade de pesquisa em História (da Educação Matemática): entre jogos discursivos como práticas e práticas como jogos discursivos. Bolema, Rio Claro, v. 23, n.35-A, p. 1-57, abr.2010.

MONTEIRO, A.; GONÇALVES, E.; SANTOS, J. A. Etnomatemática e prática social: considerações curriculares. In: MENDES, Jackeline Rodrigues; GRANDO, Regina Célia. (Org.). Múltiplos olhares: matemática e produção de conhecimento. São Paulo: Musa Editora, 2007. p. 49-63.

OLIVEIRA, M. K. Jovens e adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 12, p. 59-72, set./out./nov./dez. 1999.

PONTE, J. P. Literacia matemática. In: TRINDADE, M. N. (Org.). Encontro Internacional Literacia e Cidadania: convergência e interfaces. 2002. Actas... Universidade de Évora: Centro de Investigação em Educação Paulo Freire. Disponível em: http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/jponte/artigos_pt.html. Último acesso em: 30/07/2010. 1 CDROM

SCHNEIDER, Sônia Maria. Esse é o meu lugar...Esse não é o meu lugar: relações geracionais e práticas de numeramento na escola de EJA. 2010. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

SOUZA, Maria Celeste R. Gênero e matemática(s) – jogos de verdade nas práticas de numeramento de alunas e alunos na Educação de Pessoas Jovens e Adultas. 2008. 317f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

STREET, Brian. What’s “new” in the literacy studies? Critical approaches to literacy in theory and practice. London: Kings College, 2003.

TOLEDO, M. E. R. O. As estratégias metacognitivas de pensamento e o registro matemático de adultos pouco escolarizados. 2003. 228f. Tese (Doutorado em Psicologia da Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

Publicado
2011-02-11
Como Citar
Faria, J. B., Gomes, M. L. M., & Fonseca, M. da C. F. R. (2011). Práticas de numeramento nas interações discursivas na sala de aula da educação de pessoas jovens e adultas : o “caso da calculadora”. Zetetike, 18. https://doi.org/10.20396/zet.v18i0.8646657

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 > >>