Formação docente, identidade profissional e a disciplina escolar

Autores

  • Maria Inês Petrucci Rosa Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v18i0.8646659

Palavras-chave:

Currículo. Ensino médio. Disciplina escolar.

Resumo

Este artigo aborda questões relacionadas à natureza da disciplina escolar, em especial, à Química no currículo do Ensino Médio, contextualizado nas práticas do cotidiano escolar. Essas questões são articuladas à formação docente, com foco na identidade profissional disciplinar. Para isso, são trazidas as investigações desenvolvidas nos últimos anos no Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Unicamp. Como conclusão, é possível apontar possibilidades de reconfiguração da natureza dessa disciplina escolar, a qual parece estar sob rasura nas práticas curriculares do Ensino Médio brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Inês Petrucci Rosa, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Unicamp. Licenciada e bacharel em Química pelo IQ UNICAMP. Professora doutora do Depto. Ensino e Práticas Culturais da Unicamp e orientadora no Programa de Pós-Graduação em Educação da mesma institução. Membro do grupo de pesquisa PHALA. Bolsista produtividade do CNPq, nível 2.

Referências

BENJAMIN, W. Obras escolhidas – magia e técnica, arte e política. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Ministério da Educação: Secretaria de Ensino Médio, 1999.

BRASIL. Orientações Curriculares Nacionais para Ensino Médio. Ministério da Educação: Secretaria de Ensino Médio, 2006.

CARRERI, A. V.; ROSA, M. I. P. Reformas curriculares e práticas pedagógicas. Investigando aproximações no ensino de Química. In: Encontro Nacional de Ensino de Química, 13., 2006. Campinas. Anais... Campinas: Unicamp, 2006. Artigo completo, CD ROM.

CARRERI, A. V. Cotidiano escolar e políticas curriculares: táticas entre professores consumidores. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação – Unicamp, Campinas.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano. Artes de fazer. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

CORRADI, D. P. Estágio supervisionado: cultura(s) e processos de identificação permeando um currículo de formação de professores de Química. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação – Unicamp, Campinas.

GALZERANI, M. C. B. Imagens entrecruzadas de infância e de produção de conhecimento histórico em Walter Benjamin. In: FARIA, A. L. G.; DEMARTINI, Z. B. F.; PRADO, P. D. (Org.). Por uma cultura da infância: metodologias de pesquisa com crianças. Campinas: Autores Associados, 2002. (UNIFORMIZAR FONTE)

GINZBURG, C. O queijo e os vermes – o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela Inquisição. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

GOODSON, I. Currículo: teoria e história. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1995.

GOODSON, I.F. O currículo em mudança. Estudos na construção social do currículo. Porto: Porto Editora, 2001.

HALL. S. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução de T. T. da Silva e G. L. Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

LAURENTI, C.; BARROS, M. N. F. Identidade: questões conceituais e contextuais. Revista de Psicologia Social e Institucional da Universidade Estadual de Londrina, v. 2, n. 2, jun./2000.

LOPES, A. C. Políticas de currículo: mediação por grupos disciplinares de ensino de Ciências e Matemática. In: LOPES, A. C.; MACEDO, E. (Org.). Currículo de Ciências em debate. Campinas: Papirus, 2004.

MALDANER, O. A. A formação inicial e continuada de professores de química: professor/ pesquisador. Ijuí: Editora Unijuí, 2000.

OLIVEIRA, A. C. G. Formação profissional, narrativas e identidades no cotidiano de um instituto de pesquisa. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação – Unicamp, Campinas. Disponível em: http://libdigi.unicamp.br/document/list.php?tid=7, 2008.

QUINTINO, T. C. Alice no país das maravilhas: currículo integrado, interdisciplinaridade e um grupo de professores que mergulhou na toca do coelho. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação – Unicamp, Campinas.

QUINTINO, T. C.; ROSA, M. I. P. Investigando aspectos do currículo integrado numa história de formação continuada de professores do Ensino Médio da área de Ciências. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 5., Bauru. Atas... Bauru: Unesp, 2005. CD-ROM.

RAMOS, T. A. Culturas escolares: o lugar da Química e os consumos de propostas curriculares para o Ensino Médio. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação – Unicamp, Campinas. Disponível em: http://libdigi.unicamp.br/document/list.php?tid=7, 2008.

ROSA, M. I. P.; QUINTINO, T. C. A.; PARMA, M.; SENE, I. P. Formação de professores da área de Ciências sob a perspectiva da investigação-ação. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 3, n. 1, p. 58-69, 2003.

ROSA, M. I. P. Investigação e ensino: articulações e possibilidades na formação de professores de Ciências. Ijuí: Ed. Unijuí, 2004.

ROSA, M. I. P.; CORRADI, D. P. Identidades em movimento num currículo de formação de professores. In: Colóquio Sobre Questões Curriculares, 6., 2004, Rio de Janeiro / Colóquio Luso-Brasileiro Sobre Questões Curriculares, 2. – Currículo: pensar, inventar, diferir. Rio de Janeiro: UERJ. 2004. 1 CD-ROM.

ROSA, M. I. P.; CORRADI, D. P. Cultura(s) e processos de identificação em currículo de formação docente: uma experiência no estágio das licenciaturas. Revista Horizontes, Bragança Paulista, v. 25, n.1, jan./jun., p. 47- 54, 2007.

ROSA, M. I. P. Experiências interdisciplinares e formação de professore(a)s de disciplinas escolares: imagens de um currículo-diáspora. Revista Proposições, Campinas, v. 18, n. 2 (53), p. 51-65, maio/ago., 2007.

ROSA, M. I. P.; RAMOS, T. A . Memórias e odores: experiências curriculares na formação docente. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 39, set./dez., 2008.

ROSA, M. I. P.; CARRERI, A. V.; RAMOS, T. A. Formação docente no Ensino Médio: táticas curriculares na disciplina escolar Química. In: ROSA, M. I. P.; ROSSI, A. V. (Org.). Educação Química no Brasil – memórias, políticas e tendências. Campinas: Átomo, 2008.

ROSA, M. I. P.; OLIVEIRA, A. C. G.; PAVAN, A. C.; CORRADI, D. P. Formação de professores de Química na perspectiva da cultura: reflexões sobre a noção de identidade profissional. In: ROSA, M. I. P.; ROSSI, A. V. (Org.). Educação Química no Brasil – memórias, políticas e tendências. Campinas: Átomo, 2008.

RUIZ, A. I.; RAMOS, M. N.; HINGEL, M. Escassez de professores no Ensino Médio – propostas estruturais e emergenciais. Relatório da Comissão Especial do CNE, Brasília: CNE, maio, 2007.

TURA, M. L. Conhecimentos escolares e a circularidade entre culturas. In: LOPES, A. C.; MACEDO, E. (Org.). Currículo: debates contemporâneos. São Paulo: Cortez, 2002.

ZIBAS, Dagmar. Reforma do Ensino Médio: lições que vêm da Espanha? Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 12, p. 74-83, set./dez., 1999.

Downloads

Publicado

2011-02-11

Como Citar

ROSA, M. I. P. Formação docente, identidade profissional e a disciplina escolar. Zetetike, Campinas, SP, v. 18, 2011. DOI: 10.20396/zet.v18i0.8646659. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646659. Acesso em: 17 maio. 2022.