O jogo das relações didáticas sob a influência dos projetos de trabalho

  • Méricles Thadeu Moretti Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Contrato didático. Algoritmização do ensino de matemática. Projetos de trabalho.

Resumo

O presente artigo pretende refletir sobre o ‘jogo de relações’ estabelecidas em sala de aula pelo professor e alunos em torno da aquisição do saber, a partir da noção do “Contrato Didático” proposta por Guy Brousseau. Destaca, também, o dinamismo da relação didática em duas situações possíveis no ensino de matemática. A primeira, revela um contrato convencional já incorporado na tradição escolar com a estratégia ‘arme e efetue’; a outra, em contraposição, provoca a ruptura desse tipo de contrato mediante uma prática com projetos de trabalho. Nas considerações finais, abre-se espaço para discutir as situações e tece-se algumas reflexões acerca do tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Méricles Thadeu Moretti, Universidade Federal de Santa Catarina
Professor titular em exercício voluntário na Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC; professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica - PPGECT/UFSC. 

Referências

BROUSSEAU, Guy. Fondements et méthodes de la didactique des mathématiques. Recherches en Didactique des Mathématiques, v.7, no .2, p.33- 115, Grenoble,1986.

HERNÃNDEZ, Fernando. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Tradução de Jussara H. Rodrigues. Porto Alegre: ArtMed, 1998a.

HERNÃNDEZ, Fernando, VENTURA, Montserrat. A organização do currículo por projetos de trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. Tradução de Jussara H. Rodrigues. 5a Ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998b.

JONNAERT, Philippe; BORGHT, Cécile Vander. Criar condições para aprender: o socioconstrutivismo na formação de professor. Tradução de Fátima Murad. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

JOSHUA, S., DUPIN, Jean-Jacques. Introduction à la didactiques des sciences et des mathématiques. Paris: PUF, 1993.

MACHADO, Nilson José. Educação: projetos e valores. 3a Ed. São Paulo: Escrituras, 2000 (Coleção Ensaios Transversais, 5)

MATURANA, Humberto. Emoções e Linguagem na Educação e na Política. Tradução de José Fernando Campos Fortes. Belo Horizonte: UFMG, 1999.

MORALES, Pedro. A relação professor-aluno: o que é, como se faz. Tradução de Gilmar Sant’Clair Ribeiro. São Paulo: Loyola, 1999.

MORETTI, Méricles T. O Triângulo Didático: saber, aluno e professor. Anais do II Seminário de Avaliação das Feiras Catarinenses de Matemática. Brusque. p. 67- 75, 2001.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina E. F. da Silva e Jeanne Sawaya. – 2a Ed. - São Paulo: Cortez, 2000.

PAIS, Luiz Carlos. Didática da Matemática: uma análise da influência francesa. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. (Coleção Tendências em Educação Matemática)

QUINO. Toda Mafalda. 2ª Edição. Tradução de Andréa Stahel M. da Silva et. al. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

SARRAZI, Bernard. La sensibilité au contrat didactique: rôle des arrière-plans dans la résolution de problèmes d’arithmétique au cycle trois (Thèse de doctorat – Université de Bordeaux II), 1996.

SILVA, Benedito Antônio. Contrato Didático. In Silvia Dias A. Machado. Educação Matemática: uma introdução. São Paulo: Educ, 1999, p.43-64.

SILVA, Elcio Oliveira da; MOREIRA, Mariano; GRANDO, Neiva Inês. O Contrato Didático e o currículo oculto: um duplo olhar sobre o fazer pedagógico. Revista Zetetiké, Campinas, SP, v.4, n.6, p.9-23, jul./dez. 1996.

TOMIO, Daniela. De corpo praticante a corpo aprendente: o professor de Ciências nos seus espaços de aprender. Itajaí: Editora da Univali, 2002.

Publicado
2009-02-19
Como Citar
Moretti, M. T. (2009). O jogo das relações didáticas sob a influência dos projetos de trabalho. Zetetike, 11(2), 110-139. https://doi.org/10.20396/zet.v11i20.8646958
Seção
Artigo