Educação de Jovens e Adultos: (des)construindo saberes nos espaços do aprender e ensinar matemática

  • Maria Cristina Kessler Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Palavras-chave: Eja. Matemática. Saberes. Habitus. Reflexão.

Resumo

Este texto relata algumas das reflexões, no campo da educação matemática de jovens e adultos, opurtunizadas por um estudo de caso centrado no acompanhamento da prática pedagógica de dois acadêmicos do curso de Licenciatura em Matemática que estiveram, durante um semestre, sob minha coordenação. Cabe destacar que esse envolvimento se deu a partir de duas perpectivas: como professora coordenadora e como pesquisadora. Como coordenadora desses alunos professores, busquei, através do auxílio na preparação de aulas e na construção de material didático, problematizar a prática pedagógica desses professores, dando visibilidade aos saberes ali construídos. Como pesquisadora centrei-me na problematização de alguns elementos constituitivos do habitus do professor de matemática que sustentam determinadas práticas pedagógicas e na possibilidade de mudança nesse habitus. A descrição desse movimento centra-se em categorias que foram assim nomeadas: a) o básico em EJA; b) a linearidade do currículo de matemática; c) quando ensino também aprendo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina Kessler, Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Professora de matemática e pesquisadora na área de Educação Matemática da Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS.

Referências

ALARCÃO, Isabel. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São Paulo: Cortez, 2003.

BERNSTEIN, Basil. A Estruturação do Discurso Pedagógico: classe, códigos e controle. Rio de Janeiro: Vozes, 1996.

BONGIOVANNI, Vicenzo; LEITE, Olimpio Rudinin Vissoto, LAUREANO, José Luiz Tavares. Matemática e Vida. 6ª série. São Paulo: Ática, 1997.

BOURDIEU, Pierre. Coisas Ditas. São Paulo: Editora Brasiliense, 1990.

______. O Campo Científico. In: ORTIZ, Renato (org) Pierre Bourdieu. Sociologia. São Paulo: Ática, 1994.

CHARLOT, Bernard. Os jovens e o saber: perspectivas mundiais. Porto Alegre: Artmed, 2001.

DICKEL, Adriana. Que sentido há de se falar em professor-pesquisador no contexto atual? Contribuições para o debate. In: GERALDI, Corinta M. G. et al. Cartografias do trabalho docente: professor(a) pesquisador(a). Campinas, SP: Mercado de Letras: Associação de Leitura do Brasil, 1998.

DOMINGOS, Ana Maria; BARRADAS, Helena; RAINHA, Helena; NEVES, Isabel Pestana. A Teoria de Bernstein em sociologia da educação. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1986.

D’AMBROSIO, Ubiratan; A interface entre história e matemática: uma visão histórico-pedagógica. In: FOSSA, John A. (org.). Facetas do diamante: ensaio sobre educação matemática e história da matemática. Rio Claro, S.P.: Sociedade Brasileira de História da Matemática, 2000.

FIORENTINI, Dario. Quando professores e alunos constituem-se em sujeitos do ensinar e do aprender. Educação Matemática em Revista. Sociedade Brasileira de Educação Matemática, outubro, 2001.

FONSECA, Maria da Conceição Ferreira Reis. O Ensino de matemática e a Educação Básica de Jovens e Adultos. Presença Pedagógica, v. 5, Nº 27, maio/junho, 1999.

______. Educação matemática de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

______. Letramento no Brasil: habilidades matemáticas: reflexões a partir do INAF 2002. São Paulo: Global, 2004. FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação. São Paulo: Moraes,1980.

______. Política e educação. São Paulo: Cortez, 1993.

______. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

FREITAS, Ana Lúcia Souza de. O registro como instrumento da prática profissional do “professor reflexivo”. Educação, Ano XXIII, nº 40, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação, 2000.

GENTILI, Pablo. O discurso da qualidade e a qualidade do discurso. IN: GENTILI, Pablo; SILVA, Tomaz Tadeu da. Neoliberalismo, Qualidade Total e Educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

INFANTE R, M. Isabel. O analfabetismo funcional na América Latina: algumas características a partir de uma pesquisa regional. In: Anais do encontro latino-americano sobre educação de jovens e adultos trabalhadores/Instituto nacional de Estudos e Pesquisas educacionais. Brasília, 1994.

KESSLER, Maria Cristina. Competências Básicas em matemática para o exercício de uma cidadania ativa. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação, UNISINOS, 1997.

______. Problematizando a produção da exclusão por conhecimento: o caso da matemática. Tese de doutorado. Programa de Pós-Graduação em Educação, UNISINOS, 2003.

KIRK, Gordon. El currículum básico. Espanha: Paidós, 1989.

MIGUEL, Antônio. A Constituição do Paradigma do Formalismo Pedagógico Clássico em Educação Matemática. Zetetiké, ano 3, n° 3, 1995.

MONTEIRO, Ana Maria F. da Costa. Professores: entre saberes e práticas. Educação e Sociedade (CEDES), nº 74, Campinas: CEDES, 2001.

MOREIRA, Antonio Flávio Barbosa. Os Parâmetros Curriculares Nacionais em questão. Educação & Realidade. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação, vol. 21, nº1, 1996.

OLIVEIRA, Marta Kohl de. Jovens e adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. Revista Brasileira de Educação. Associação nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd), Nº 12, 1999.

PAIS, Luis Carlos. Transposição Didática. In: Machado, Silvia Dias Alcântara et al. Educação Matemática: uma introdução. São Paulo: EDUC, 1999. Plano Decenal de Educação para Todos. Brasília, MEC, 1993.

PONTE, João Pedro da. A investigação sobre o professor de matemática: problemas e perspectivas. Anais I SIPEM, Serra Negra, SP, 2002.

RELATÓRIO FINAL, Projeto de Educação de Jovens e Adultos Trabalhadores, UNISINOS, 2003.

SCHÖN, Donald. La formacion de profesionales reflexivos: Hacia un nuevo diseno de la ensenanza y el aprendizaje en las profesiones. 1. ed. Barcelona: Paidos, 1992.

SILVA, Circe Mary Silva da. A matemática positivista e sua difusão no Brasil. Vitória: EDUFES, 1999.

TARDIF, M; LESSARD, C; LAHAYE, L. Os professores face ao saber. Esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e Educação. Nº 4, Porto Alegre: Pannônica, 1991.

ZEICHNER, Kenneth. A formação reflexiva do professor. Lisboa: Educa, 1993.

Publicado
2009-01-31
Como Citar
Kessler, M. C. (2009). Educação de Jovens e Adultos: (des)construindo saberes nos espaços do aprender e ensinar matemática. Zetetike, 14(2), 103-120. https://doi.org/10.20396/zet.v14i26.8647008
Seção
Artigo