A visão de professores sobre dificuldades dos alunos na resolução de problemas

  • Marcelo Carlos de Proença Universidade Estadual de Maringá
Palavras-chave: Ensino de matemática. Resolução de problemas. Formação de professores. Formação continuada formação de professores.

Resumo

O objetivo foi analisar as dificuldades encontradas por alunos na visão de professores de Matemática quando se busca realizar o ensino via resolução de problemas. Participaram da pesquisa 29 professores em formação continuada. Coletamos dados antes e após um curso específico de resolução de problemas. Os resultados iniciais mostraram que, na visão dos participantes, as dificuldades dos alunos na resolução dos problemas colocados como ponto de partida estariam relacionadas aos seus conhecimentos sobre conteúdos anteriores e aos seus conhecimentos do conteúdo que será introduzido. Ao final, os resultados mostraram que 72% dos professores apontaram a necessidade do uso direto do conteúdo nos problemas propostos por eles como o aspecto que dificultaria aos alunos de propor uma estratégia de resolução. Concluímos que as dificuldades dos alunos para resolver problemas abordados como ponto de partida residem na escolha dos problemas, ou seja, no modo como o conteúdo aparece em seus enunciados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Carlos de Proença, Universidade Estadual de Maringá
Professor do Departamento de Matemática da UEM. Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência e a Matemática da UEM. Atua na área de Educação Matemática nos seguintes temas: resolução de problemas, ensino-aprendizagem de geometria, formação de professores que ensinam Matemática.

Referências

Brasil. (2002). Secretaria de educação média e tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio. Brasília: MEC/SEMTEC.

Brasil. (1998). Secretaria de ensino fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: matemática, 3º e 4º Ciclos. Brasília: SEF/MEC.

Brasil. (1997). Secretaria de Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: matemática, 1º e 2º Ciclos. Brasília: SEF/MEC.

Brito, M. R. F. (2006). Alguns aspectos teóricos e conceituais da solução de problemas matemáticos. In: M. R. F. Brito (Org.). Solução de problemas e a matemática escolar (pp. 13-53). Campinas: Alínea.

Chi, M. T. H., & Glaser, R. (1992). A capacidade para a solução de problemas. In: R. Sternberg (Org.). As capacidades intelectuais humanas: uma abordagem em processamento de informações (pp. 249-275). Trad. Dayse Batista. Porto Alegre: Artes Médicas.

Chizzotti, A. (2001). Pesquisa em ciências humanas e sociais. 5. ed. São Paulo: Cortez.

Echeverría, M. P. P. (1998). A solução de problemas em matemática. In: P. I. Pozo (Org.). A solução de problemas: aprender a resolver, resolver para aprender, (pp. 43-65). Porto Alegre: ArtMed.

Fi, C. D., & Degner, K. M. (2012). Teaching through problem solving. Mathematics Teacher, 105(6), 455-459.

Gil, A. C. (2012). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas.

Imbernón, F. (2011). Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. Trad. Silvana Cobucci Leite. 9ª ed. São Paulo: Cortez.

Marques, W. C. (2013). Narrativas sobre a prática de ensino de matemática de professores dos anos iniciais do ensino fundamental. (Dissertação de Mestrado em Educação Matemática). Rio Claro: Universidade Estadual Paulista.

Mayer, R. E. (1992). Thinking, problem solving, cognition. 2ª ed. New York: WH Freeman and Company.

Mendes, I. A. (2009). Matemática e investigação em sala de aula: tecendo redes cognitivas na aprendizagem. São Paulo: Livraria da Física.

Miguel, J. C. (2010). Da resolução de problemas à formação de conceitos matemáticos: implicações teóricas e metodológicas. Anais do 15º Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino. Belo Horizonte: XV ENDIPE.

Pacheco, J. A., & Flores, M. A. (1999). Formação e avaliação de professores. Porto: Porto Editora.

Polya, G. (1994). A arte de resolver problemas: um novo enfoque do método matemático. Trad. Heitor Lisboa de Araújo. Rio de Janeiro: Interciência.

Pozo, J. I. & Angón, Y. M. (1998). A solução de problemas como conteúdo procedimental da educação básica. In: J. I. Pozo (Org.). A solução de problemas: aprender a resolver, resolver para aprender (pp. 139-165). Porto Alegre: ArtMed.

Proença, M. C. (2015). O ensino de frações via resolução de problemas na formação de futuras professoras de pedagogia. Bolema, 29(52), 729-755.

Proença, M. C. (2014). O ensino por meio da resolução de problemas: conhecimentos e perspectivas de professores de matemática do PDE. Anais do 14º Encontro Paranaense de Educação Matemática. Campo Mourão-PR: EPREM.

Proença, M. C. (2013). Resolução de problemas e formação de professores que ensinam matemática: análise dos trabalhos do encontro nacional de educação matemática. Anais do 11º Encontro Nacional de Educação Matemática. Curitiba: SBEM.

Redling, J. P. (2011). A metodologia de resolução de problemas: concepções e práticas pedagógicas de professores do ensino fundamental. (Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática). Bauru: Universidade Estadual Paulista.

Schroeder, T. L., & Lester, F. K. (1989). Developing understanding in mathematics via problem solving. In P. R. Trafton & A. P. Shulte (Eds.). New directions for elementary school mathematics (pp. 31-42). Reston: NCTM.

Sternberg, R. (2000). Psicologia cognitiva. Trad. Maria Regina Borges Osório. Porto Alegre: ArtMed.

Publicado
2017-12-27
Como Citar
Proença, M. C. de. (2017). A visão de professores sobre dificuldades dos alunos na resolução de problemas. Zetetike, 25(3), 440-456. https://doi.org/10.20396/zet.v25i3.8647477
Seção
Artigo