Banner Portal
Dos livros didáticos para os cadernos de matemática
PDF

Palavras-chave

Matemática a ensinar
Matemática para ensinar
Livro didático de matemática
Formação de professores que ensinam matemática

Como Citar

VALENTE, Wagner Rodrigues. Dos livros didáticos para os cadernos de matemática: a emergência dos saberes profissionais. Zetetike, Campinas, SP, v. 25, n. 2, p. 254–264, 2017. DOI: 10.20396/zet.v25i2.8648206. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8648206. Acesso em: 24 jul. 2024.

Resumo

O texto analisa a emergência dos saberes profissionais do professor que ensina matemática a partir da inclusão de novas referências que são constituídas no estado de São Paulo, desde finais do século XIX. A análise leva em consideração as categorias “saber a ensinar” e “saber para ensinar” vindas de estudos que conjugam o desenvolvimento histórico-didático da formação de professores. Como documentos de pesquisa o estudo lança mão de livros didáticos e cadernos de aulas indicados para o trabalho dos professores que ensinam matemática. Os resultados do estudo mostram que a passagem de uma cultura do ensino secundário para o estabelecimento de uma formação profissional do professor tem lugar nos saberes objetivados pelos novos materiais, pelos cadernos de aulas. Tais materiais configuram saberes pedagógicos, saberes para ensinar, a “matemática para ensinar” como referência profissional do professor que ensina matemática.

https://doi.org/10.20396/zet.v25i2.8648206
PDF

Referências

Borer, V. L. (2009). Les savoirs: un enjeu crucial de l'institutionnalisation des formations à l'enseignement. In Rita Hofstetter et al. Savoirs en (trans)formation – Au cœur des professions de l’enseignement et de la formation (pp. 41-58). Bruxelles: Éditions De Boeck Université.

Costa, D. A. (2010). A Aritmética escolar no ensino primário brasileiro: 1890-1946. Tese de Doutorado em Educação Matemática. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática).

Hofstetter, R., & Schneuwly, B. (2009). Introduction – Savoirs en (trans)formation - Au coeur des professions de l’enseignement et de la formation. In R. Hofstetter & B. Schneuwly (Éds.). Savoirs en (trans)formation – Au cœur des professions de l’enseignement et de la formation (pp. 7-40). Bruxelles: Éditions De Boeck Université.

Lopes da Silva, M. C. (2008). A presença da matemática na formação do professor do ensino primário no estado de São Paulo, no período de 1890 a 1930. Retirado em 19 de setembro, 2016, de: http://livros01.livrosgratis.com.br/cp074998.pdf.

Nacarato, A. M. (2005). Eu trabalho primeiro no concreto. São Paulo. SBEM-SP: Revista de Educação Matemática, 9 (9-10), 1-6.

Pinheiro, N. V. L. (2013). Escolas de práticas pedagógicas inovadoras: intuição, escolanovismo e matemática moderna nos primeiros anos escolares. Retirado em 19 de setembro de 2016 de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/104911.

Pinheiro, N. V. L., & Valente, W. R. (2015). Chega de decorar a tabuada! As Cartas de Parker e a árvore do cálculo na ruptura de uma tradição. Retirado em 19 de setembro, 2016, de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/160388.

Portela, M. S. (2014). As Cartas de Parker na matemática da escola primária paranaense na primeira metade do século XX: circulação e apropriação de um dispositivo didático. Retirado em 19 de setembro, 2016, de: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/128465.

Silva, N. F. L. (1988). A ideia de educação em José Feliciano de Oliveira. Dissertação de Mestrado em Educação. Campinas, SP: UNICAMP – Faculdade de Educação, 1988.

Souza, R. F. (1998). Templos de Civilização: a implantação da Escola Primária Graduada no Estado de São Paulo (1890-1910). São Paulo: Fundação Editora da UNESP.

Tanuri, L. M. (2000). História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação, 14, 61-88.

Valente, W. R. (2007). Uma história da matemática escolar no Brasil, 1730-1930 (2a. ed.). São Paulo: Editora Annablume/FAPESP.

Valente, W. R. (2011). A matemática na formação do professor do ensino primário – São Paulo, 1875-1930. São Paulo: Editora Annablume/FAPESP.

Valente, W. R. (2014). Lourenço Filho e o moderno ensino de aritmética: produção e circulação de um modelo pedagógico. História da Educação. Porto Alegre: Asphe, UFRGS, 18 (44), 61-77.

Valente, W. R. (2016). Os movimentos da matemática na escola. Pensar a Educação em Revista. Retirado 19 de setembro, 2016, de: http://www.pensaraeducacaoemrevista.com.br/vol_2/vol_2_no_2_full.html.

Zuin, E. S. L. (2007). Por uma nova Arithmetica: o Sistema Métrico Decimal como um saber escolar em Portugal e no Brasil oitocentistas. Tese de Doutorado em Educação Matemática. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática).

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2017 Zetetike

Downloads

Não há dados estatísticos.