Banner Portal
Reflexões sobre a ação pedagógica no desenvolvimento da modelagem matemática
PDF

Palavras-chave

Intervenção pedagógica
Modelagem matemática
Educação estatística
Autonomia

Como Citar

MENDONÇA, Luzinete Oliveira; LOPES, Celi Espasandin. Reflexões sobre a ação pedagógica no desenvolvimento da modelagem matemática. Zetetike, Campinas, SP, v. 25, n. 2, p. 305–323, 2017. DOI: 10.20396/zet.v25i2.8648493. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8648493. Acesso em: 20 maio. 2024.

Resumo

Este trabalho buscou ampliar compreensões acerca da ação pedagógica em ambientes de aprendizagem na perspectiva de modelagem matemática. Para isso, realizou-se uma pesquisa de natureza qualitativa. Tomaram-se, como objeto de análise, as ações e os diálogos realizados em um contexto específico de ensino e aprendizagem entre uma professora e seus alunos de uma turma de quinto ano de uma escola municipal. A pesquisa possibilitou observar que, no desenvolvimento da tarefa de modelagem, a intervenção pedagógica variou de acordo com as necessidades dos estudantes e os objetivos da atividade. Essa constatação leva à conclusão de que a mudança de atitude do docente no decorrer do processo é decorrente da natureza dinâmica da investigação na perspectiva da modelagem matemática, a qual exige diferentes graus de intervenções, de modo a contribuir para o desenvolvimento de conceitos, atitudes e raciocínios específicos, levando em conta a autonomia para a construção de conhecimentos pelos estudantes.
https://doi.org/10.20396/zet.v25i2.8648493
PDF

Referências

Arteaga, P., Batanero, C. R., Cañadas G. R., & Contreras, M. (2013, fevereiro). Prospective primary school teachers’ errors in building statistical graphs. In Anais of 8th Congress of European Research in Mathematics Education (pp. 1-10). Antalya, Turkey: CERME.

Barbosa, J. C. (2001). Modelagem na educação matemática: contribuições para o debate teórico. In Anais da 24a. Reunião Anual da ANPED (pp. 1-15). Caxambu: ANPED.

Barbosa, J. C. (2004). As relações dos professores com a Modelagem. In Anais do 8.º Encontro Nacional de Educação Matemática (pp. 1-17). Recife: SBEM. CD-ROM.

Barbosa, J. C. (2006). A dinâmica das discussões dos alunos no ambiente de modelagem matemática. In Anais do 3.º Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática (pp. 1-12). Águas de Lindóia: SBEM. CD-ROM.

Barbosa, J. C. (2007). A prática dos alunos no ambiente de modelagem matemática: o esboço de um framework. In J. C. Barbosa, A. Caldeira & J. Araújo (Orgs.), Modelagem matemática na educação matemática brasileira: pesquisas e práticas educacionais (pp. 161-74). Recife: SBEM.

Barbosa, J. C., & Santos, M. A. (2007). Modelagem matemática: perspectivas e discussões. In Anais do 9 Encontro Nacional de Educação Matemática (pp. 1-12). Recife: SBEM.

Bassanezi, R. C. (2004). Ensino-aprendizagem com modelagem matemática (2a ed.). São Paulo: Contexto.

Batanero, C. (2009). Retos para la formación estadística de los profesores. In Actas do 2 Encontro de probabilidade e Estatistica na escola (pp. 7-21). Braga: Universidade do Minho.

Biembengut, M. S., & Vieira, E. M. (2013). Mathematical modeling in teacher education courses: style of thought in the international community. ICTMA. In Proceedings of the 8th Congress of European Research in Mathematics Education. Antalya: Cerme. Retirado em 22 de janeiro, 2017, de: http://cerme8.metu.edu.tr/wgpapers/WG6/WG6_Salett_Biembengut.pdf.

Blum, W., & Ferri, R. B. (2009). Mathematical modelling: can it be taught and learnt? Journal of Mathematical Modeling and Application, 1(1), 45-58.

Chaves, M. I. A. (2012). Percepções de professores sobre repercussões de suas experiências com modelagem matemática. Tese de Doutorado em Educação em Ciências e Matemáticas. Belém: Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará.

Chick, H., & Pierce, R. (2010). Helping teachers to make effective use of real-world examples in Statistics. In Proceedings of the 8thInternational Conference on Teaching Statistics (pp. 1-5). Ljubljana: IASE.

Ferri, R. B. (2006). Theoretical and empirical differentiations of phases in the modeling process. ZDM, 38(2), 86-95.

Ferri, R. B. (2008). Insight into teacher’s unconscious behavior while dealing whit mathematical modeling problems and implications for teacher education. In Anais do Symposium on the Occasion of the 10th Anniversary of ICMI (pp. 1-5). Roma: ICMI.

Garnica, A. V. M. (2004). História oral e educação matemática. In: M. C. Borba & J. L. Araújo (Orgs.), Pesquisa qualitativa em Educação Matemática (pp. 77-98). Belo Horizonte: Autêntica.

Kaiser, G., & Sriraman, B. (2006). A global survey of international perspectives on modelling in mathematics education. Zentralblatt für Didaktik der Mathematik, 38(3), 302-310.

Libâneo, J. C. (2010). O ensino da didática, das metodologias específicas e dos conteúdos específicos do ensino fundamental nos currículos dos cursos de Pedagogia. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 91(229), 562-583. Retirado em 22 de janeiro, 2017, de: http://rbep.inep.gov.br/index.php/rbep/article/view/630.

Lopes, C. E. (2003). O conhecimento profissional dos professores e suas relações com estatística e probabilidade na educação infantil. Tese de Doutorado em Educação. Campinas: Universidade Estadual de Campinas.

Mendonça, L. O. (2008). A Educação Estatística em um ambiente de modelagem matemática no ensino médio. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática. São Paulo: Universidade Cruzeiro do Sul.

Mendonça, L. O. (2015). Reflexões e ações de professores sobre modelagem matemática na Educação Estatística em um grupo colaborativo. Tese de Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática. São Paulo: Universidade Cruzeiro do Sul.

Mendonça, L. O., & Lopes, C. E. (2011a). A ação pedagógica em ambientes de modelagem matemática: uma discussão a partir da própria prática. In Anais da 7 Conferência Nacional sobre Modelagem na Educação Matemática (pp. 1-18). Belém: UFPA.

Mendonça, L. O., & Lopes, C. E. (2011b). Modelagem matemática: um ambiente de aprendizagem para a implementação da Educação Estatística no Ensino Médio. Bolema, 24(40), 701-724.

Mendonça, M. C. (1993). Problematização: um caminho a ser percorrido em Educação Matemática. Tese de Doutorado em Educação. Camapinas: Universidade Estadual de Campinas.

Oliveira, A. M. P. (2010). Modelagem matemática e as tensões nos discursos dos Professores. Tese de Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências. Salvador: Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana.

Silva, D. K., & Dalto, J. O. (2011). Modelagem matemática na formação de professores: compartilhando uma experiência. In L. M. W. Almeida, J. L. Araújo & E. Bisognin (Orgs.), Práticas de modelagem matemática na Educação Matemática (pp. 181-200). Londrina: Eduel.

Síveres, L. (2016). O diálogo na educação: uma relação entre o dialógico e a dialogicidade. In L. Síveres (Org.), Diálogo: um princípio pedagógico (pp.15-30). Brasília: Liber Livro.

Skovsmose, O. (1990). Reflective knowledge: its relation to the mathematical modelling process. International Journal of Mathematical Education in Science and Technology, 21(5), 765-779.

Wild, C., & Pfannkuch, M. (1999). Statistical thinking in empirical enquiry. International Statistical Review, 67(3), 223-65. Retirado em 22 de janeiro, 2017, de: http://iase-web.org/documents/intstatreview/99.Wild.Pfannkuch.pdf.

Zaslavsky, A. (2017). Ação pedagógica, ação comunicativa e didática. Conjectura: Filos. Educ., 22(1), 69-81. Retirado em agosto, 2017, de: file:///C:/Users/Luzinete/Downloads/4435-18674-1-PB.pdf.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2017 Zetetike

Downloads

Não há dados estatísticos.