Histórias da posição cientifico-acadêmica da Educação Matemática no Brasil: sistematização e perspectivas

  • Filipe Santos Fernandes Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Área de pesquisa. História da educação matemática. Sistematização.

Resumo

Este texto busca apresentar uma sistematização das pesquisas que centram seu interesse na produção de histórias – ou, que ocasionalmente tratam de aspectos de historicidade – da posição científico-acadêmica da Educação Matemática no Brasil. Junto a um conjunto de investigações, foi possível estabelecer cinco categorias: a) Investigações que discutem a constituição e consolidação da Educação Matemática como campo profissional e científico; b) Investigações sobre a construção de sociedades organizadas, de atuação político-institucional; c) Investigações que estudam a formação de grupos de estudo, pesquisa e trabalho em Educação Matemática; d) Investigações que analisam a inserção da Educação Matemática em programas de pós-graduação no país; e e) Investigações que, ao discutirem dimensões da pesquisa em Educação Matemática, tocam em questões da historicidade dessa área de pesquisa. Ao elaborar tal sistematização pretendemos mostrar como a Educação Matemática tem se ocupado com essa discussão, de modo a permitir que perspectivas de investigação sejam evidenciadas e outras questões de cunho historiográfico sejam colocadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Filipe Santos Fernandes, Universidade Federal de Minas Gerais
Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2010) e doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2014). Atualmente é professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). É membro do Grupo de Pesquisa História Oral e Educação Matemática (GHOEM - UNESP) e do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação do Campo (NEPCampo - UFMG). Recebeu, em 2015, o Prêmio Capes de Tese na área de Ensino pelo trabalho "A quinta história: composições da Educação Matemática como área de pesquisa". Tem experiência na área de Educação Matemática, tendo especial interesse nas seguintes temáticas: história da educação matemática; relações entre educação matemática e educação do campo; e matemática: sujeito, saber, poder. Contato: fernandes.fjf@gmail.com.

Referências

Albuquerque Jr., D. M. (2007). História: a arte de inventar o passado. Bauru: Edusc.

Bicudo, M. A. V. & Paulo, R. M. (2011). Um exercício filosófico sobre a pesquisa em Educação Matemática no Brasil. Bolema: Boletim de Educação Matemática, 25(41), 251-298.

Brito, A. J. & Miorim, M. A. (2016). A institucionalização da Educação Matemática. In: A. V. M. Garnica (Org.), Pesquisa em História da Educação Matemática: sob o signo da pluralidade, pp. 67-92. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Britto, F. A. (2010). Perspectivas de consolidação da Educação Matemática como campo de pesquisa no programa de pós-graduação em Educação da UFMG. Dissertação de Mestrado em Educação. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais. Retirado em 11 de março, 2017, de: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/BUDB-8CBRTS.

Fernandes, F. S. (2014). A quinta história: composições da Educação Matemática como área de pesquisa. Tese de Doutorado em Educação Matemática. Rio Claro: Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Retirado em 11 de março, 2017, de: http://repositorio.unesp.br/handle/11449/123819.

Fernandes, F. S. & Garnica, A. V. M. (2015). History of Scientific and Academic Production in Mathematics Education: pointing out elements for a research agenda. International Journal for Research in Mathematics Education, 5(1), 2-11.

Fiorentini, D. & Lorenzato, S. (2007). Breve história da Educação Matemática enquanto campo profissional e científico. In D. Fiorentini & S. Lorenzato (Orgs.), Investigação em Educação Matemática: percursos teóricos e metodológicos, pp. 15-40. Campinas: Autores Associados.

Garnica, A. V. M. (2010). Outras inquisições: apontamentos sobre História Oral e História da Educação Matemática. Zetetiké, 18(34), 259-304.

Kilpatrick, J. (1996). Fincando estacas: uma tentativa de demarcar a educação matemática como campo profissional e científico. Zetetiké, 4(5), 99-120.

Larrea, N. T. (2015). Sociedade Brasileira de Educação Matemática do estado de Mato Grosso do Sul: três caricaturas e muitas histórias. Dissertação de Mestrado em Educação Matemática. Campo Grande: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Retirada em 11 de março, 2017, de: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFMS_ab64654291c1f7e875813a9882aa1858.

Miguel, A. (2008). Áreas e subáreas do conhecimento, vínculos epistemológicos: o GT de Educação Matemática da ANPEd. Revista Brasileira de Educação, 13(38), 387-414.

Miguel, A.; Garnica, A. V. M.; Igliori, S. B. C. & D’Ambrosio, U. (2004). A educação matemática: breve histórico, ações implementadas e questões sobre a sua disciplinarização. Revista Brasileira de Educação, 27, 70-93.

Miranda, G. A. (2015). Passos embrionários da pesquisa em Educação Matemática no Brasil: personagens e produções do primeiro mestrado em Ensino de Ciências e Matemática da Unicamp. Anais do 6º Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática (pp. 1-12). Pirenópolis: Sociedade Brasileira de Educação Matemática. Retirado em 11 de março, 2017, de: http://www.sbembrasil.org.br/visipem/anais/story_html5.html.

Pereira, D. J. R. (2005). História do movimento democrático que criou a Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM). Tese de Doutorado em Educação. Campinas: Universidade Estadual de Campinas. Retirado em 11 de março, 2017, de: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/code=vtls000392535.

Silva, H. (2006). Centro de Educação Matemática (CEM): fragmentos de identidade. Tese de Doutorado em Educação Matemática. Rio Claro: Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Retirado em 11 de março, 2017, de: http://repositorio.unesp.br/handle/11449/102135.

Souza, J. C. R. & Gutierre, L. S. A. (2014). História da Sociedade Brasileira de Educação Matemática do Rio Grande do Norte. Anais do 2º Encontro Nacional de Pesquisa em História da Educação Matemática (pp. 868-874). Bauru: Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Retirado em 11 de março, 2017, de: http://www2.fc.unesp.br/enaphem/anais/.

Venturin, J. A. (2015). A Educação Matemática no Brasil na perspectiva de seus pesquisadores. Tese de Doutorado em Educação Matemática. Rio Claro: Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Retirado em 11 de março, 2017, de: http://repositorio.unesp.br/handle/11449/134027.

Vianna, C. R. (2000). Vidas e circunstâncias na Educação Matemática. Tese de Doutorado em Educação. São Paulo: Universidade de São Paulo. Retirado em 11 de março, 2017, de: http://bdpi.usp.br/single.php?_id=001098364.

Publicado
2017-08-31
Como Citar
Fernandes, F. S. (2017). Histórias da posição cientifico-acadêmica da Educação Matemática no Brasil: sistematização e perspectivas. Zetetike, 25(2), 222-239. https://doi.org/10.20396/zet.v25i2.8648546
Seção
Artigo