Letramento em Matemática no PISA: o que sabem e podem fazer os estudantes?

Autores

  • Maria Isabel Ramalho Ortigão Universidade do Estado do Rio de Janeiro http://orcid.org/0000-0001-7269-592X
  • Maria José Costa Santos Universidade Federal do Ceará
  • Rafael de Lima Lima Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v26i2.8650093

Palavras-chave:

PISA. Letramento matemático. Itens públicos.

Resumo

Apresentamos resultados de pesquisa que buscou compreender desempenhos em Matemática de estudantes brasileiros, baseada em dados do PISA. Pesquisa foi conduzida envolvendo: análise exploratória dos microdados do PISA 2012, análise do conteúdo dos itens públicos de Matemática utilizados no PISA 2012 e aplicação desses itens a estudantes de 15 anos matriculados no 1º ano do ensino médio em duas escolas públicas. Foi evidenciada porcentagem significativa de estudantes brasileiros nos níveis mais baixos da escala global e das subescalas de letramento matemático, configurando situação grave para cerca de metade de nossos estudantes. Conteúdos dos 56 itens públicos de Matemática foram analisados e classificados em relação a: especificidade do tema, contexto e exigência solicitada em sua solução. Ao aplicar esses itens ao grupo de estudantes do ensino médio, identificamos que as maiores dificuldades referem-se a cálculo da medida de área, triângulo retângulo e Teorema de Pitágoras.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Isabel Ramalho Ortigão, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutora em Educação pela PUC-Rio em 2005. É Professora Adjunta da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Procientista nesta mesma instituição. 

Maria José Costa Santos, Universidade Federal do Ceará

Professora Adjunta na Universidade Federal do Ceará-UFC
Pós-doutoranda na Universidade do Estado do Rio de Janeiro-UERJ. 

Rafael de Lima Lima, Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro

Licenciado em Matemática pela Faculdade de Educação da Baixada Fluminense da UERJ. Mestre em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro/UERJ/FEBF. Professor da rede muninipal do Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Referências

Bastian, I. V. (2000). O Teorema de Pitágoras. Dissertação de Mestrado em Educação Matemática. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). (2013). Relatório Nacional PISA 2012: resultados brasileiros. São Paulo: Fundação Santillana/Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Fonseca, M. C. F. R. (Org.). (2004). Letramento no Brasil: habilidades matemáticas. São Paulo: Global.

Grangeiro, M. G., Couto, A. P. N., & Costa, A. C. (2012). Análise de erros em questões de teorema de Pitágoras: um estudo com alunos do Ensino Fundamental. Trabalho apresentado no XII Encontro Nacional de Educação Matemática. (ISSN 2178-034X). Disponível em: http://www.sbem.com.br/enem2016/anais/pdf/5481_4329_ID.pdf. Acesso em 12 de novembro, 2013.

Kleiman, A. (Org.). (1995). Os significados do letramento. Campinas: Mercados de Letras.

Mottin, E. A. (2004). Utilização de material didático-pedagógico em ateliês de matemática para o estudo de Teorema de Pitágoras. 2004. Dissertação de Mestrado em Ciências e Matemática. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Organization for Economic Co-Operation and Development (OECD). (2013). Education at a Glance 2013 OECD indicators. OECD Publishing.

Organization for Economic Co-Operation and Development (OECD). (2016). PISA 2015 Assessment and Analytical Framework. Paris: OECD Publishing.

Soares, M B. (2004). Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, (25), 5-17.

Soares, M. B. (1998). Letramento, um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica.

Soares, M. (1999). Letramento: um tema em três gêneros. São Paulo: Autêntica.

Street, B. (1984). Literacy in theory and practice. Cambridge: Cambridge University Press.

Tashima, M. M., & Silva, A. L. (2015). As lacunas no ensino-aprendizagem da Geometria. Retirado em 18 de novembro, 2015, de: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/producoes_pde/artigo_marina_mass aco_tashima.pdf.

Downloads

Publicado

2018-06-13

Como Citar

ORTIGÃO, M. I. R.; SANTOS, M. J. C.; LIMA, R. de L. Letramento em Matemática no PISA: o que sabem e podem fazer os estudantes?. Zetetike, Campinas, SP, v. 26, n. 2, p. 375–389, 2018. DOI: 10.20396/zet.v26i2.8650093. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8650093. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigo