Estatística no ensino médio

um material potencialmente significativo para o ensino da área

Palavras-chave: Ensino de Matemática, Estatística, Aprendizagem significativa, Material potencialmente significativo

Resumo

Apresentam-se, neste artigo, os resultados de uma investigação que buscou identificar como uma sequência didática fundamentada na Teoria da Aprendizagem Significativa pode ser considerada um material potencialmente significativo para o estudo de Estatística do ensino médio. A sequência foi apresentada a um grupo de professores de Matemática do ensino médio. Para a coleta de dados, utilizaram-se o diário de bordo elaborado pela professora pesquisadora e entrevistas semiestruturadas realizadas com os participantes. A análise dos dados teve três categorias a priori: relação dos conteúdos contidos na sequência didática com os conhecimentos anteriores dos estudantes; diferenciação progressiva e reconciliação integrativa; e materiais utilizados e estrutura da proposta. Como resultado, percebeu-se que a sequência didática em questão pode ser considerada um material potencialmente significativo para o estudo da área, visto que favorece a relação dos conhecimentos prévios dos estudantes com os assuntos abordados e possibilita estabelecer ligações entre esses conhecimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rejane Padilha Quedi, Universidade de Passo Fundo

Mestre em Ciências e Educação Matemática pela Universidade de Passo Fundo. Professor de Estatística da
Universidade de Passo Fundo, Brasil.

Luiz Marcelo Darroz, Universidade de Passo Fundo

Doutor em Educação Científica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor do Programa de
Pós-Graduação em Ciências e Matemática da Universidade de Passo Fundo, Brasil.

Cleci Teresinha Werner da Rosa, Universidade de Passo Fundo

Doutor em Educação em Ciências e Tecnologia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências e Matemática e em Educação da Universidade de Passo Fundo, Brasil.

Referências

Ausubel, D. P., Novak, J. D., & Hanesian, H. (1980). Psicologia educacional. Rio de Janeiro: Interamericana.

Baccarin, S. A. O., & Neves, R. S. P. (2011). A formação estatística de ingressantes em um curso de licenciatura em Matemática. Anais da 13ª Conferência Interamericana de Educação Matemática (pp. 1-14). Recife: UFP.

Darroz, L. M. (2018). Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. Espaço Pedagógico, 25 (2), p. 577-580. Disponível em: https://bit.ly/2O6zlAs.

Echeveste, S., Bittencourt, H., Bayer, A., & Rocha, J. (2005). Educação estatística: perspectivas e desafios. Actas Scientiae, 7 (1), p. 103-109.

Gal, I. (2002). Adult´s statistical literacy: meanings, components, responsibilities. International Statistical Review, 70 (1), p. 1-25.

Lopes, C. E., & Coutinho, C. Q. S. (2009). Leitura e escrita em Educação Estatística. In C. E. Lopes & A. M. Nacarato (Orgs.), Educação Matemática, leitura e escrita: armadilhas, utopias e realidade (pp. 61-78). Campinas, SP: Mercado de Letras.

Lüdke, M., & André, M. E. D. A. (1986). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária.

Ministério da Educação (MEC). Secretaria de Educação Fundamental. (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática (1º e 2º ciclos do Ensino Fundamental). Brasília: MEC/SEF.

Ministério da Educação (MEC). Secretaria da Educação Básica. (2017). Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio. Brasília. Disponível em: https://bit.ly/2BHitds.

Moreira, M. A. (1999). Aprendizagem significativa. Brasília: Editora Universidade de Brasília.

Moreira, M. A. (2011). O que é afinal aprendizagem significativa? (Aula Inaugural do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Naturais, Instituto de Física, Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá, MT, 23 de abril de 2011. Aceito para publicação, Qurriculum, La Laguna, Espanha, 2012). Disponível em: https://bit.ly/2FfaZlb.

Moreira, M. A., & Masini, E. A. F. S. (2001). Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Centauro.

Quedi, R. P., & Darroz, L. M. (2018). Conceitos básicos de Estatística: as lacunas conceituais de acadêmicos ingressantes no curso superior. Revista Thema, 15 (4), p. 1256-1268.

Quedi, R. P., & Darroz, L. M. (2019). Conceitos básicos de Estatística: uma sequência didática para o ensino médio. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo (Produtos Educacionais do PPGECM). Disponível em: http://educapes.capes.gov.br/handle/capes/432632.

Triviños, A. N. S. (2015). Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. 5. ed. 18. reimp. São Paulo: Atlas.

Zabalza, M. A. (2004). Diários de aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Porto Alegre: Artmed.

Zompero, A. F., & Laburú, C. E. (2010). As relações entre aprendizagem significativa e representações multimodais. Revista Ensaio, 12 (3), p. 31-40.

Publicado
2020-03-04
Como Citar
Quedi, R. P., Darroz, L. M., & Rosa, C. T. W. da. (2020). Estatística no ensino médio. Zetetike, 28, e020009. https://doi.org/10.20396/zet.v28i0.8656237
Seção
Dossiê Temático