Banner Portal
Desempenho em estatística de estudantes do Ensino Fundamental, no contexto do D-Estat
PORTUGUÊS
INGLÊS

Palavras-chave

Ensino de estatística
Ensino fundamental
Estudo diagnóstico
D-Estat

Como Citar

CAZORLA, Irene Maurício; UTSUMI, Miriam Cardoso; SANTANA, Eurivalda Ribeiro dos Santos. Desempenho em estatística de estudantes do Ensino Fundamental, no contexto do D-Estat. Zetetike, Campinas, SP, v. 28, p. e020016, 2020. DOI: 10.20396/zet.v28i0.8656917. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8656917. Acesso em: 20 maio. 2024.

Resumo

Analisamos o desempenho em Estatística de 1.305 estudantes do 1º ao 9º ano, do ensino fundamental, de quatro escolas públicas do interior da Bahia, no âmbito de uma pesquisa colaborativa universidade-escola (D-Estat). Construímos três instrumentos, de acordo com o nível de ensino, dos quais analisamos três questões que envolvem variáveis qualitativas, discretas e contínuas; conversão de dados em língua materna para gráficos de barras simples; leitura em tabelas simples e de dupla entrada; cálculo da média, mediana e moda. Os principais resultados mostram que o desempenho cai substancialmente de um nível para outro, mas dentro de cada nível se observa uma tendência crescente, maior nos anos iniciais, sinalizando estagnação nos anos finais. Os resultados sinalizam que é preciso elaborar sequências de ensino validadas na realidade das escolas, que possibilitem o papel ativo dos estudantes, em seus processos de aprendizagem e, consequentemente, para o letramento estatístico.

https://doi.org/10.20396/zet.v28i0.8656917
PORTUGUÊS
INGLÊS

Referências

Campos, C. R., Wodewotzki, M. L. L. & Jacobini, O. R. (2013). Educação Estatística Teoria e prática em ambientes de modelagem matemática. Belo Horizonte: Autêntica.

Carvalho, L. M. T. L. de, Oliveira, S. A. P. de, & Monteiro, C. E. F. (2019). Possibilidades da Educação Estatística como forma de análise crítica da realidade na escola indígena. Roteiro, 44(2), 1-20.

Cazorla, I. M. & Oliveira, M. S. (2010). Para Saber mais. In I. Cazorla & E. Santana (Orgs.). Do Tratamento da Informação ao Letramento Estatístico (pp. 113-144). Itabuna: Via Litterarum.

Cazorla, I. M. & Santana, E. (2010). Do Tratamento da Informação ao Letramento Estatístico. Itabuna. Via Litterarum.

Cazorla, I. M., Santana. E. R. S. & Utsumi, M. C. (2019). O campo conceitual da média aritmética: uma primeira aproximação. Revemat, 14 (Edição Especial Educação Estatística), 1-21.

Curcio, F. R. (1989). Developing graph comprehension. Virginia: National Council of Teachers of Mathematics.

Gal, I. (2002). Adults' Statistical Literacy: Meanings, Components, Responsibilities. In: International Statistical Review, 1 – 25.

Luna, L. C. & Carvalho, J. I. F. (2019). “Oi, Quem está olhando minhas estatísticas?” – Uma discussão do desempenho de estudantes da Educação Básica sobre média aritmética. Amazônia: Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, 15(33), 151-166.

Mayén, S., Cobo, B., Batanero, C. & Balderas, P. (2007). Comprensión de las medidas de posición central en estudiantes mexicanos de bachillerato. Unión, 9, 187-201

Ministério da Educação (MEC). (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN). Matemática.1 e 2 ciclos. Brasília: MEC, Secretaria de Ensino Fundamental.

Ministério da Educação (MEC). (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Fundamental.

Ministério da Educação (MEC). (2018). Base Nacional Comum (BNCC). Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wpcontent/uploads/2018/12/BNCC_19dez2018_site.pdf.

Nascimento, M. M., Paula, M. & Catarino, P. (2018). Sítio do pica-pau amarelo: uma atividade de Estatística no 2.º ciclo do ensino básico português. Indagatio Didactica, 10(4), 107-117.

Santana, E. & Cazorla, I. (2018). Desenvolvimento profissional de professores que ensinam Matemática: D-Estat. Projeto de pesquisa. Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus-BA.

Santana, M. de S. (2016). Traduzindo pensamento e letramento estatístico em atividades para sala de aula: construção de um produto educacional. Bolema, 30(56), 1165-1187.

Santos, R. M. dos & Branches, M. V. (2019). Problemas identificados em gráficos estatísticos publicados nos meios de comunicação. Amazônia: Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, 15(33), 201-218.

Skovsmose, O. (2008). Desafios da educação matemática crítica [Challenges of Critical Mathematics Education]. São Paulo: Papirus.

Teixeira, P. J. M. (2016). Os PCN e o bloco Tratamento da Informação: algumas possibilidades teórico-metodológicas para a sala de aula da Educação Básica. Remat, 2(2), 72-91.

Wainer, H. (1992). Understanding graph and tables. Educational Researcher, 21(1), 14-23.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Zetetike

Downloads

Não há dados estatísticos.