Probabilidade e estatística nos anos iniciais do Ensino Fundamental a partir da BNCC

Palavras-chave: Ensino de Probabilidade e Estatística, Anos Iniciais do Ensino Fundamental, Base Nacional Comum Curricular, Propostas Pedagógicas

Resumo

A demanda social por compreender e interpretar as mais variadas informações que fazem parte do nosso dia a dia tornou imprescindível a inclusão da Probabilidade e Estatística na Educação Básica. O presente artigo tem por objetivo analisar propostas pedagógicas desenvolvidas para o ensino de Probabilidade e Estatística nos anos iniciais do Ensino Fundamental a luz da Base Nacional Comum Curricular - BNCC. O estudo é de natureza qualitativa e de método bibliográfico, no qual foram selecionadas e analisadas três dissertações de mestrado de pesquisadores do Grupo de Trabalho em Educação Estatística - GT12 - da Sociedade Brasileira de Educação Matemática. Os resultados mostram que essas propostas fomentam o espírito investigativo e exercitam a criatividade, a análise crítica e o raciocínio lógico dos alunos. Além disso, proporcionam o desenvolvimento progressivo das habilidades e possibilitam o trabalho articulado com as competências gerais da BNCC.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Suzi Samá, Universidade Federal do Rio Grande

Doutora em Educação em Ciências. Universidade Federal do Rio Grande/Instituto de Matemática, Estatística e Física/PPG em Educação em Ciências.

Rejane Conceição Silveira da Silva , Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Sul

Doutora em Educação em Ciências. Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Sul/IEE Juvenal Miller.

Referências

Batanero, C. (2000) ¿Hacia dónde va la educación estadística? Blaix, (15), 2-13. Retirado em 10 de setembro, 2015, de: https://www.ugr.es/~batanero/pages/ARTICULOS/BLAIX.pdf.

Batanero, C. (2002). Los retos de la cultura estadística. Conferencia inaugural de la Jornada Interamericana de Enseñanza de la Estadística. Buenos Aires (AR), 2002. Retirado em 02 de setembro, 2019, de: https://www.ugr.es/~batanero/pages/ARTICULOS/CULTURA.pdf

Batanero, C. (2005). Significados de La Probabilidad en la Educación Secundaria. RELIME: Revista Latinoamericana de Investigación en Matemática Educativa, Ciudad do Méxido, 8 (3), 247-263.

Batanero, C. & Borovcnik, M. (2016). Statistics and Probability in High School. Rotterdam/Boston: Sense Publishers.

Bicudo. M. A. V. (2014). Meta-análise: seu significado para a pesquisa qualitativa REVEMAT. Florianópolis (SC), 9 (Ed. Temática), 07-20.

Buehring, R. S. (2006). Análise de dados no início da escolaridade: uma realização de ensino por meio dos registros de representação semiótica. Dissertação de Mestrado em Educação Científica e Tecnológica. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina. Retirado em 5 de setembro, 2019, de: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/88820.

Cazorla, I.; Kataoka, V. Y. & Silva, C. B. (2010). Trajetórias e perspectivas da educação estatística no Brasil: um olhar a partir do GT 12. In Lopes, C. E.; Coutinho, C. Q. S.; Almouloud, S. A. (Eds.). Estudos e reflexões em Educação Estatística (pp. 19-44). Campinas, SP: Mercado de Letras.

Cazorla, I. M.; Utsumi, M. C. (2010). Reflexões sobre o ensino de Estatística na Educação Básica. In: Cazorla, I. M.; Santana, E. (Eds.). Do tratamento da informação ao letramento estatístico (pp 9-18). Itabuna: Via Literarum.

Conti, K. C.; Nunes, L. N.; Estevam, E. J. G.; Goulart, A. (2019). Um cenário da Educação Estatística em cursos de Pedagogia. REVEMAT, 14(Educação Estatística), 1-15.

Coutinho, C. Q. S.; Figueiredo, A. C.; Campos, C. R. (2019). Reflexões sobre o Ensino de Probabilidade – aspectos de Letramento e Pensamento Probabilísticos. In Lopes, C. E.; Porciúncula, M.; Samá, S. P. (Eds.) Perspectivas para o ensino e a aprendizagem de Estatística e Probabilidade (pp.125-143). Campinas, SP: Mercado de Letras.

Deslandes, S.F.; Gomes, R.; Minayo, C. S. (2010). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 29 ed. Petrópolis: Vozes.

Gal, I. (2002). Adults' Statistical Literacy: Meanings, Components, Responsibilities. International Statistical Review. Israel, 70 (1), 1-25.

Gal, I. (2005). Towards 'probability literacy' for all citizens: building blocks and instructional dilemmas In: Jones, G. A. (Org.). Exploring probability in school: Challenges for teaching and learning, 39-63.

Garfield, J. & Gal, I. (1999). Teaching and assessing statistical reasoning: National Council Teachers of Mathematics 1999 Year. Developing mathematical reasoning in Grades K-12. Editor: L. Stiff.

Gil, A. C. (2008). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Lopes, C. A. E. (1998). A Probabilidade e a Estatística no Ensino Fundamental: uma análise curricular. Dissertação de Mestrado em Educação. Campinas: Universidade Estadual de Campinas. Retirado em 20 de agosto, 2019, de: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/251036.

Lopes, C. E. (2003). O conhecimento profissional dos professores e suas relações com estatística e probabilidade na educação infantil. Tese (Doutorado) Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Lopes, C. E. (2008). O ensino da estatística e da probabilidade na educação básica e a formação dos professores. Cadernos CEDES, 28(74), 57-73.

Lopes, C.E., & Mendonça, L. O. (2016). Prospectivas para o estudo da probabilidade e da estatística no ensino fundamental. VIDYA, 36(2), 293-314.

Ministério da Educação (MEC). (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática (1° e 2° ciclos do EF). Brasília: MEC.

Ministério da Educação (MEC). (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. (3º e 4º ciclos do EF) Brasília: MEC.

Ministério da Educação (MEC). (2014). Pacto Nacional pela Educação na Idade Certa (PNAIC): Educação Estatística. Brasília, DF.

Ministério da Educação (MEC). (2017). Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC. Retirado em: 10 de setembro, 2019, de: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.

Santos, R. M.; Fiorentini, D. (2016). A Educação Estatística Brasileira: um olhar a partir da produção em programas de pós-graduação. VIDYA, 36 (2), 203-217.

Serrazina, M. L. (2014). O Professor que Ensina Matemática e a sua Formação: uma experiência em Portugal. Educação & Realidade, 39 (4), 1051-1069.

Souza, A. C. A (2007). Educação Estatística na Infância. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática. São Paulo: Universidade Cruzeiro do Sul.

Toledo, S. E. R. G. O. (2018). Desenvolvimento do raciocínio estocástico de crianças de um segundo ano do Ensino Fundamental. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática. São Paulo: Universidade Cruzeiro do Sul.

Publicado
2020-04-04
Como Citar
Samá, S., & Silva , R. C. S. da. (2020). Probabilidade e estatística nos anos iniciais do Ensino Fundamental a partir da BNCC. Zetetike, 28, e020011. https://doi.org/10.20396/zet.v28i0.8656990
Seção
Dossiê Temático