Banner Portal
A matemática dos desenhos geométricos presente na tecelagem artesanal de Resende Costa
PORTUGUÊS
INGLÊS

Palavras-chave

Tecelagem artesanal
Elaborações estéticas
Dimensões da etnomatemática

Como Citar

SILVA, C. de S.; PINHEIRO, P. C. A matemática dos desenhos geométricos presente na tecelagem artesanal de Resende Costa. Zetetike, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e022024, 2022. DOI: 10.20396/zet.v30i00.8660970. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8660970. Acesso em: 3 mar. 2024.

Resumo

Esta pesquisa buscou investigar o artesanato têxtil desenvolvido no município de Resende Costa, Minas Gerais, e os desenhos nele presentes. Desta forma, questionamos sobre a proximidade desses desenhos com a geometria escolar e que aspectos das dimensões da Etnomatemática formuladas por D’Ambrosio são observados na tecedura resendecostense. O estudo foi desenvolvido sob a perspectiva etnográfica com a realização de observações, entrevistas e registro de imagens, áudios e vídeo do tecer. Os resultados indicaram a presença de elementos de contagem, operações, simetria e geometria plana e características específicas associadas às dimensões do Programa Etnomatemática.

https://doi.org/10.20396/zet.v30i00.8660970
PORTUGUÊS
INGLÊS

Referências

Castro, A. M. (2016). Tramar, destramar e retramar: a arte nas montanhas das Minas Gerais. Caderno Espaço Feminino, 29(2), 286-303.

Corá, M. A. J. (2014). Políticas públicas culturais no Brasil: dos patrimônios materiais aos imateriais. Revista de Administração Pública, 48(5), 1093-1112.

Cury, F. G. (2019). Análise de um Livro Didático de Geometria Plana Apoiada na Hermenêutica de Profundidade. Zetetiké, 27, 1-21.

D’Ambrósio, U. (1998). A Etnomatemática. A arte ou técnica de explicar e conhecer. São Paulo: Ática.

D’Ambrósio, U. (2018). Etnomatemática – elo entre as tradições e modernidade. Belo Horizonte: Autêntica.

Ferreira, E. S. (2007). Programa de Pesquisa Científica Etnomatemática. RBHM Especial (1), 273-280.

Fritzen, M. P. (2012). O olhar da Etnografia no fazer pesquisa qualitativa: algumas reflexões teórico-metodológicas. In M. P. Fritzen & M. I. P. Lucena (Orgs.), O olhar da etnografia em contextos educacionais: interpretando práticas de linguagem (pp. 55-72). Blumenau: Edifurb.

Gerdes, P. (2010). Etnomatemática – Da etnomatemática a arte-design e matrizes cíclicas. Belo Horizonte: Autêntica.

Gerdes, P. (2012a). Etnogeometria – Cultura e o despertar do pensamento geométrico. Belo Horizonte: Reedição: Instituto Superior de Tecnologias e de Gestão (ISTEG).

Gerdes, P. (2012b). Etnomatemática - Cultura, Matemática, Educação: Coletânea de textos 1979 - 1991. Belo Horizonte: Reedição - Instituto Superior de Tecnologias e Gestão (ISTEG).

Ghasarian, C. (2008). De La etnografia a La antropologia reflexiva: nuevos campos, nuevas prácticas, nuevas apuestas. Buenos Aires: Del Sol.

Hartwig, S. C., Pereira, E. C., Machado, C. C., & Miranda, S. A. (2016), Um olhar sobre as práticas pedagógicas na construção de conhecimentos geométricos. REVEMAT, 11(2), 243-258.

Iezzi, G., Machado, A., & Dolce, O. (2010). Geometria Plana: conceitos básicos. São Paulo: Atual.

Knijnik, G. (2004). Itinerários da etnomatemática: questões e desafios sobre o cultural, o social e o político na educação matemática. In G. Knijnik, F. Wanderer & C. J. Oliveira (Orgs.), Etnomatemática, currículo e formação de professores (pp. 19-38.). Santa Cruz do Sul: EDUNISC.

Lorenzato, S. (1995). Por que não ensinar geometria? A Educação matemática em revista – SBEM, (4), 3-13.

Martins, E. A. (2016). Retratos da cidade. E. A. Martins & R. G. Pinto (Orgs.), Retratos da centenária Resende Costa (pp. 45-70). Resende Costa: Amirco (coleção Lageana).

Menegucci, F., Martins, E. & Menezes M. S. (2016). Design de superfície têxtil: um estudo sobre o conhecimento geométrico presente nos Freedom Quilts. ModaPalavra, 9(18), 71-95.

Ministério da Educação (MEC). (2017). Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Fundamental. Brasília.

Montenegro, G. A. (1991). Geometria descritiva. São Paulo: Blucher.

Pavanello, R. M. (1993). O abandono do ensino da geometria no Brasil: causas e consequências. Zetetiké, 1(1), 7-17.

Resende, E. M. (2016). Retratos das origens. E. A. Martins & R. G. Pinto (Orgs.), Retratos da centenária Resende Costa (pp. 15-44). Resende Costa: Amirco (coleção Lageana).

Rosa, M., & Orey, D. C. (2014). Interlocuções Polissêmicas entre a Etnomatemática e os Distintos Campos de Conhecimento Etno-x. Educação em Revista, 30(03), 63-97.

Silva, F. (2016). Retratos da arte, artesanato e ofícios. E. A. Martins & R. G. Pinto (Orgs.), Retratos da centenária Resende Costa (pp. 179-188). Resende Costa: Amirco (coleção Lageana).

Silva, C. S. (2020). Estudo da Matemática Presente na Tecelagem Artesanal de Resende Costa, MG. Dissertação de Mestrado em Educação. São João del-Rei: Universidade Federal de São João del-Rei. Retirado em 26 de agosto, 2022, de https://ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/mestradoeducacao/Versao%20final%20da%20dissertacao%20de%20Mestrado%20-%20Cleisiane%20de%20Sousa%20Silva(1).pdf.

Vergani, T. (2007). Educação Etnomatemática: o que é?. Natal: Flecha do tempo.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Zetetiké

Downloads

Não há dados estatísticos.