O dispositivo da especificidade matemática e a produção do sujeito-professor(a)-de-matemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v29i00.8661833

Palavras-chave:

Dispositivo, Discurso, Ensino, Matemática

Resumo

Trata-se de um ensaio teórico que tem como objetivo discutir o dispositivo da especificidade matemática operado por professores de matemática. A construção da nossa argumentação apoiou-se em conceitos da caixa de ferramentas foucaultiana e incidiu sobre estudos que tratam do Conhecimento Matemático para o Ensino, do Conhecimento Especializado do Professor de Matemática e da Matemática para o Ensino. Problematizar o discurso da Matemática específica para ensinar possibilitou identificar a principal linha de força do dispositivo: a existência de uma Matemática específica para ensinar. Esta, por sua vez, emaranhada na rede que constitui o dispositivo produzem formas de ser-professor(a)-de-Matemática, dentro do jogo das relações de poder que pretende conduzir a conduta desses professores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline de Souza Pereira Grilo, Universidade Estadual de Feira de Santana

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia. Professor da Universidade Estadual de Feira de Santana, Brasil.

Jonei Cerqueira Barbosa, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Professor da Universidade Federal da Bahia, Brasil.

Marlécio Maknamara, Universidade Federal de Alagoas

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professor da Universidade Federal da Paraíba, Brasil.

Referências

Agamben, G. (2005). O que é um dispositivo?. Outra travessia, (5), 9-16.

Ball, D. L.; Bass, H. (2003). Making mathematics reasonable in school. In J. KILPATRICK, G. MARTIN & D. SCHIFTER (Eds.), A Research Companion to principles and standards for school mathematics (pp. 3-14). Reston, VA: National Council of Teachers of Mathematics.

Ball, D. L.; Thames, M. H., Phelps, G. (2008). Content knowledge for teaching: what makes it special? In: Journal of Teacher Education, 59(5), 389-407.

Ball, S. J. (2014). Educação Global S.A.: novas redes políticas e o imaginário neoliberal. Ponta Grossa: UEPG.

Barbosa, J. C. (2018). Abordagens teóricas e metodológicas na Educação Matemática: aproximações e distanciamentos. In A. M. P. de Oliveira & M. I. R. Ortigão (Orgs), Abordagens teóricas e metodológicas nas pesquisas em educação matemática (pp. 17-57). Brasília: SBEM.

Barwell, R. (2013). Discursive psychology as an alternative perspective on mathematics teacher Knowledge. ZDM Mathematics Education, 45(4), 595–606.

Carrilo, J., Climent, N., Contreras, L. C., & Munõz-Catalán, M. C. (2013). Determining Specialized Knowledge for Mathematics Teaching. In B. Ubuz, C. Haser & M. A. Mariotti (Eds.), Proceedings VIII Congress of the European Society for Research in Mathematics Education (CERME 8) (pp. 2985-2994).

Couto, S., & Ribeiro, M. (2017). Conhecimento interpretativo do professor que ensina matemática: o caso do cubo. Espaço Plural, 18(36), 174-195.

Davis, B., & Renert, M. (2014). The Math Teachers Know: profound understanding of emergent mathematics. NY: Routledge.

Davis, B., & Simmt, E. (2006). Mathematics-for-Teaching: an ongoing investigation of the Mathematics that teachers (need to) know. Educational Studies in Mathematics, 61, 293–319.

Delaney, S. A. (2012). Validation study of the use of mathematical knowledge for teaching measures in Ireland. ZDM Mathematics Education, 44, 427–441.

Deleuze, G. (1996). Que é um dispositivo? In G. Deleuze, O mistério de Ariana (pp. 83-96). Lisboa: Vega.

Di Bernardo, R., Policastro, M. S., Almeida, A. R. de, Ribeiro, M., Melo, J. M. de, & Aiub, M. (2018). Conhecimento matemático especializado de professores da educação infantil e anos iniciais: conexões em medidas, Cadernos Cenpec, São Paulo, 8(1), 98-124.

Di Martino P., Mellone M., & Ribeiro M. (2019). Interpretative Knowledge. In S. Lerman (Edt), Encyclopedia of Mathematics Education. New York: Springer.

Fischer, R. M. B. (2002). A Paixão de trabalhar com Foucault. In M. V. Costa (org.), Caminhos investigativos: novos olhares na pesquisa em educação (pp. 39-60). Porto Alegre: Mediação.

Foster, C., & Inglis, M. (2017). Teachers' appraisals of adjectives relating to mathematics tasks. Educational Studies in Mathematics, 95(3), 283-301.

Foucault, M. (1989). Microfísica do poder. 8ª Ed. Rio de Janeiro: Graal.

Foucault, M. (1999). Em defesa da sociedade: curso dado no College de France (1975-1976). São Paulo: Martíns Fontes.

Foucault, M. (2006). Ditos e Escritos V: Ética, sexualidade, política. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, M. (2008). Segurança, território, população: curso dado no College de France (1977-1978). São Paulo: Martíns Fontes.

Foucault, M. (2016). Arqueologia do Saber. 8ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, M. Vigiar e Punir. Petrópolis: Vozes, 2014.

Grilo, J. S. P., Barbosa, J. C., & Maknamara, M. (2020). Discurso da Matemática Específica para Ensinar e a Produção do Sujeito ‘Professor(a)-de-Matemática’. Ciência & Educação, Bauru, 26 (e20040).

Grilo, J. S. P., & Barbosa, J. C. (2021). Discurso da Matemática Específica para Ensinar: a arte de governar. Educação & Realidade, no prelo.

Hoover, M., Mosvold, R., Ball, D. L., & Lai, Y. (2016). Making progress on mathematical knowledge for teaching. Mathematics Enthusiast, 13(1-2), 3-34.

Kim, Y. (2016). Interview Prompts to Uncover Mathematical Knowledge for Teaching: Focus on Providing Written Feedback. The Mathematics Enthusiast, 13(1), 71-92.

Kwon, M., Thames, M. H., & Pang, J. (2012). To change or not to change: adapting mathematical knowledge for teaching (MKT) measures for use in Korea. ZDM Mathematics Education, 44, 371–385.

Ma, L. (1999). Knowing and teaching elementary mathematics: teachers’ understanding of fundamental mathematics in China and the United States. Mahwah, NJ: Erlbaum.

Maknamara, M. (2020). Encontros entre pesquisas (auto)biográficas e necessidades de formação docente em Ciências. Revista Insignare Scientia, 3(2), 135-155.

Maknamara, M. (2011). Currículo, música e gênero: o que ensina o forró eletrônico? Tese de Doutorado em Educação. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais.

Menduni-Bortoloti, R., & Barbosa, J. (2018). Matemática para o ensino do conceito de proporcionalidade a partir de um estudo do conceito. Educação Matemática Pesquisa, 20(1), 269-293.

Neubrand, M. (2018). Conceptualizations of professional knowledge for teachers of mathematics. ZDM, 50, 601–612.

Ní Ríordáin, M., Paolucci, C. & O' Dwyer, L. M. (2017). An examination of the professional development needs of out-of-field mathematics teachers'. Teaching and Teacher Education, 64, 162-174.

Paraíso, M. A. (2014). Metodologias de pesquisa pós-críticas em educação e currículo: trajetórias, pressupostos, procedimentos e estratégias analíticas. In M. Paraíso & D. Meyer (Orgs.), Metodologias de Pesquisas Pós-críticas em Educação. 2ª ed. Belo Horizonte: Mazza.

Phelps, G., & Howell, H. (2016). Assessing Mathematical Knowledge for Teaching: The Role of Teaching Context. TME, 13(1-2), 52-70.

Phelps, G., Kelcey, B., Liu, S. & Jones, N. (2016). Informing Estimates of Program Effects for Studies of Mathematics Professional Development Using Teacher Content Knowledge Outcomes. Evaluation Review, 40, 383–409.

Rangel, L. G., Giraldo, V., & Maculan Filho, N. (2015). Conhecimento de Matemática para o Ensino: Um Estudo Colaborativo sobre Números Racionais. Jornal Internacional de Estudos em Educação Matemática, 8(2), 42-70.

Ribeiro, A. J. (2012). Equação e Conhecimento Matemático para o Ensino: relações e potencialidades para a Educação Matemática. Bolema, Rio Claro (SP), 26(42B), 535-558.

Ribeiro, M. (2017). Conhecimento Interpretativo para Ensinar Matemática e História da (Educação) Matemática: contributos para a Formação. Educação & Linguagem, 20(1), 47-72.

Ribeiro, M., Mellone, M., & Jakobsen, A. (2016). Interpreting Students Non-Standard Reasoning: Insights for Mathematics Teacher Education. For The learning of mathematics, 36(2), 8–13.

Ribeiro, M., Policastro, M. S., Almeida, A., Caldatto, M. E., Mellone, M. (2018) Conhecimento Interpretativo e especializado do professor de e que ensina matemática: uma discussão articulada em contextos de formação. Anais do VII Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática (SIPEM). Foz do Iguaçu: SBEM.

Santos, G. L. D., & Barbosa, J. C. (2016). Um modelo teórico de matemática para o ensino do conceito de função a partir de um estudo com professores. Revista Iberoamericana de Educación Matemática, 48, 143-167.

Shulman, L. (1987). Knowledge and Teaching: Foundations of the new reforms. Harvard Educational Review, 57(1), 1-23.

Speer, N. M., King, K. D., & Howell, H. (2015). Definitions of mathematical knowledge for teaching: using these constructs in research on secondary and college mathematics teachers. Journal Math Teacher Educ., 18, 105–122.

Tatoo, M. T. (ed.) (2013). Teacher Education and Development Study in Mathematics (TEDS-M): Policy, Practice, and Readiness to Teach Primary and Secondary Mathematics in 17 Countries: Technical Report. Amsterdan, IEA.

Tchoshanov, M. A. (2011). Relationship between teacher knowledge of concepts and connections, teaching practice, and student achievement in middle grades mathematics. Educational Studies in Mathematics, 76, 141-164.

Tedeschi, S. L. & Pavan, R. (2017). A produção do conhecimento em educação: o Pós-estruturalismo como potência epistemológica. Práxis Educativa, Ponta Grossa, 12(3), 1-16.

Veiga-Neto, A. (2016). Foucault e Educação. 3ª ed. Belo Horizonte: Autêntica.

Publicado

2021-05-29

Como Citar

Grilo, J. de S. P., Barbosa, J. C., & Maknamara, M. (2021). O dispositivo da especificidade matemática e a produção do sujeito-professor(a)-de-matemática. Zetetike, 29(00), e021011. https://doi.org/10.20396/zet.v29i00.8661833

Edição

Seção

Dossiê Temático