Quanta matemática escolar é conhecida pelos egressos dos cursos brasileiros de Licenciatura?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v29i00.8661904

Palavras-chave:

Formação de professores, Matemática, ENADE, Conhecimento de conteúdo,

Resumo

Neste texto, buscamos interpretar o significado do desempenho de estudantes de licenciatura em matemática no ENADE para além dos conceitos divulgados pelo INEP. O caminho escolhido se baseou nos índices de acerto em questões objetivas de conteúdo matemático presentes na prova aplicada em licenciandos em matemática no ENADE 2017 de acordo com dois critérios. Consideramos as questões descritas pelo INEP como questões de Ensino Básico e complementamos a análise associando o conteúdo de algumas das questões dessa edição do exame com conteúdos de questões que compuseram o ENEM. As conclusões apontam que a grande maioria dos futuros professores de matemática chegam ao final da sua formação inicial sem domínio adequado sobre conteúdos notadamente de Ensino Médio, com preocupante nível de acertos a perguntas que, espera-se, seus futuros alunos sejam capazes de resolver enfrentar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Barichello, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Educação pela University of Nottingham. Consultor pela Mais serviços e recursos educacionais, Professor de Matemática no SENAC e Professor Colaborador da UNICAMP, Brasil.

Marcelo Firer, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Matemática pela Hebrew University of Jerusalem. Professor da UNICAMP, Brasil.

Referências

Ball, D. L., Thames, M. H., & Phelps, G. (2008). Content Knowledge for Teaching: What Makes It Special? Journal of Teacher Education, 59(5), 389–407. DOI: https://doi.org/10.1177/0022487108324554

Barros, J. L. C., Campos, M. Z., Teixeira, D. D. C., & Cabral, B. G. A. T. (2020). Reflexões sobre o nível de conhecimentos específicos dos estudantes de licenciatura em Educação Fisica no Enade 2014. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 101(257), 99-119. DOI: https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.101i257.4374

Baumert, J., Kunter, M., Blum, W., Brunner, M., Voss, T., Jordan, A., … Tsai, Y.-M. (2010). Teachers’ Mathematical Knowledge, Cognitive Activation in the Classroom, and Student Progress. American Educational Research Journal, 47(1), 133–180. DOI: https://doi.org/10.3102/0002831209345157

Begle, E. G. (1972) Teacher Knowledge and Student Achievement in Algebra, School Mathematics Study Group Reports Number, 9.

Brasil (2017). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório Síntese de Área Matemática (Bacharelado/Licenciatura). Brasília. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/educacao-superior/enade/outros-documentos.

Brasil (2019). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório Brasil no PISA 2018 (Versão Preliminar), Brasília. Disponível em: http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/pisa/documentos/2019/relatorio_PISA_2018_preliminar.pdf.

Carrillo-Yañez, J., Climent, N., Montes, M., Contreras, L. C., Flores-Medrano, E., Escudero-Ávila, D., … Muñoz-Catalán, M. C. (2018). The mathematics teacher’s specialised knowledge (MTSK) model. Research in Mathematics Education, 20(3), 236–253. DOI: https://doi.org/10.1080/14794802.2018.1479981

Charalambous, C. Y., Hill, H. C., Chin, M. J., & McGinn, D. (2020). Mathematical content knowledge and knowledge for teaching: Exploring their distinguishability and contribution to student learning. Journal of Mathematics Teacher Education, 23(1), 579–613. DOI: https://doi.org/10.1007/s10857-019-09443-2

Costa, J. P. C., & Martins, M. I. (2014). O ENADE para a licenciatura em física: Uma proposta de matriz de referência. Revista Brasileira de Ensino de Física, 36 (3), 697-724.

Gatti, B.A., Barreto, E. S. S., & André, M. E. D. A. (2011). Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília, DF: Unesco.

Gontijo, S. B. F. (2014). Implicações do ENADE para a organização do trabalho pedagógico e as práticas avaliativas em um curso de Pedagogia. Tese de Doutorado em Educação. Brasília: Universidade de Brasília.

Hoover, M., Mosvold, R., Ball, D. L., & Lai, Y. (2016). Making Progress on Mathematical Knowledge for Teaching. The Mathematics Enthusiast, 13(1), 3-34.

Leitão, T. M. S. P., Moriconi, G. M., Abrão, M., & Silva, D. S. (2010). Análise acerca do boicote dos estudantes aos exames de avaliação do ensino superior. Estudos em Avaliação Educacional, 21(45), 87-106. DOI: https://doi.org/10.18222/eae214520102028

Lima, P. S. N., Ambrósio, A. P. L., Ferreira, D. J., & Brancher, J. D. (2019). Análise de dados do Enade e Enem: Uma revisão sistemática da literatura. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), 24(1), 89–107. DOI: https://doi.org/10.1590/s1414-40772019000100006

Lorenzato, S. (2006) Para aprender matemática. Campinas: Autores Associados.

Moriconi, G. M., & Nascimento, P. A. M. M. (2014). Fatores associados ao desempenho dos concluintes de Engenharia no Enade 2011. Revista Estudos em Avaliação Educacional, 25(57), 248-278.

Primi, R., Silva, M. C. R., & Bartholomeu, D. (2018). A validade do ENADE para avaliação de cursos superiores: Uma abordagem multinível. Revista Examen, 2(2), 128–151.

Rothen, J. C., & Nasciutti, F. (2011). A Educação Superior em Prova: o perfil da educação superior apresentado pelos resultados do ENADE 2005 e 2006. Revista Diálogo Educacional, 11(32), 187-206.

Silva, M. C. R., Vendramini, C. M. M., & Lopes, F. L. (2010). Diferenças entre gênero e perfil sócio-econômico no Exame Nacional de Desempenho do Estudante. Avaliação, Campinas e Sorocaba, 15(3), 185-202.

Shulman, L. S. (1986). Those Who Understand: Knowledge Growth in Teaching. Educational Researcher, 15 (2), 4–14.

Publicado

2021-09-17

Como Citar

Barichello, L., & Firer, M. (2021). Quanta matemática escolar é conhecida pelos egressos dos cursos brasileiros de Licenciatura?. Zetetike, 29(00), e021021. https://doi.org/10.20396/zet.v29i00.8661904

Edição

Seção

Dossiê Temático