Geometria escolar nos anos iniciais

uma história de movimentos em parceria com o desenho

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v30i00.8667515

Palavras-chave:

Desenho à mão livre, Desenho geométrico, Desenho natural

Resumo

O presente artigo toma categorias construídas pelos estudos históricos de relações entre geometria e desenho que marcaram os diferentes movimentos do currículo de matemática para o ensino de geometria, proposto ao curso primário, do século XIX até meados do século XX. Utilizam-se como fonte regulamentações e manuais escolares de cada período que tiveram como intenção atender às normativas. Dialogam com o passado os resultados de pesquisas atuais, que destacam perspectivas para o ensino de geometria no século XXI e sua inserção na BNCC. Nenhum dos três movimentos foi mantido da maneira como foi prescrito, entretanto, há vestígios deles no cenário do século XXI. A história dos movimentos de construção de saberes para o ensino de geometria pode trazer contribuições e frutíferas reflexões para pensar, analisar e desencadear proposta e ações pertinentes para práticas pedagógicas de um ensino de geometria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Célia Leme da Silva, Universidade Federal de São Paulo

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora Associada da Universidade Federal de São Paulo.

Referências

Albuquerque, A. F. P. H. C. (1829). Princípios do Desenho Linear compreendendo os de Geometria Prática pelo método do ensino mútuo. Extraídos de L. B. Francœur. Na Imperial Typographia de P. Plancher-Seignot.

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica.

Barbin, E., & Menghini, M. (2014). History of Teaching Geometry. In A. Karp; & G. Schubring, Handbook on the History of Mathematics Education. (pp. 473-492). Springer Science + Business Media New York. DOI: https://doi.org/10.1007/978-1-4614-9155-2_23

Camara, A. (2019). Saberes geométricos na educação primária paranaense: elementos das culturas escolares e da formação do cidadão republicano (1889-1946). [Tese de Doutorado]. Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Paraná.

D’Enfert, R. (2007). Uma nova forma de ensino de desenho na França no início do século XIX: o desenho linear. Tradução de Maria Helena Câmara Bastos. Revista História da Educação, 11(22), 31-39.

Guimarães, M. D. (2017). Porque ensinar desenho no curso primário? Um estudo sobre as suas finalidades (1829-1950). [Tese de Doutorado]. Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos.

Karp, A., & Schubring, G. (2014). Handbook on the History of Mathematics Education. Springer Science + Business Media New York. DOI: https://doi.org/10.1007/978-1-4614-9155-2

Kuhn, T. T. (2015). Aproximações da geometria e do desenho nos programas de ensino dos grupos escolares catarinenses. [Dissertação de Mestrado]. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Julia, D. (2001). A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, 1, 9-43.

Leme da Silva, M. C. (2014a). Desenho e geometria na escola primária: um casamento duradouro que termina com separação litigiosa. Revista História da Educação, 18(42), 61-73. DOI: https://doi.org/10.1590/S2236-34592014000100004

Leme da Silva, M. C. (2014b). Régua e Compasso no ensino primário? Circulação e apropriação de práticas normativas para as matérias de Desenho e Geometria. História da, 18(44), 79-97. DOI: https://doi.org/10.1590/S2236-34592014000300006

Leme da Silva, M. C., Trindade, D. A., D’Esquivel, M. O.& Oliveira, M. A. (2017). A matemática dos primeiros anos de ensino e a circulação do método intuitivo nos livros didáticos. In I. A., & Mendes, W. R. Valente, (org.), A Matemática dos manuais escolares: curso primário, 1890-1970. (pp. 11-67). Livraria da Física.

Leme da Silva, M. C. (2021). Histórias do ensino de geometria nos anos iniciais: desenho, trabalhos manuais e medidas. Livraria da Física. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1ewifbYm7bqUcbZMlKCI3NmCzFAp60vE5/view

Matasci, D. (2015). L’école républicaine et l’étranger. Une historie internacionale des réformes scolaires en France 1870-1914. Ens Éditions. DOI: https://doi.org/10.4000/books.enseditions.3851

Moacyr, P. (1936). A instrução e o Império. Brasiliana Eletrônica, 1.

O Discípulo Parisiense (s/d.). Paris: Monroco Irmânos Editores Impressores. (Coleção de 12 cadernos).

Ponte, J. P. (2007). Discussões coletivas no ensino-aprendizagem da matemática. In: A prática dos professores: Planificação e discussão coletiva na sala de aula. Publisher: APM, Editors: GTI.

São Paulo. (1894). Trecho do Decreto n. 248, de 26 de julho de 1894. Aprovado por Bernardino de Campos e assinado pelo Dr. Cesário Motta Junior.

São Paulo. (1905). Trecho do Decreto n. 1281, de 24 de abril de 1905. Aprovado por Jorge Tibiriçá e assinado por J. Cardoso de Almeida.

São Paulo. (1918). Trecho do Decreto n. 2944, de 8 de agosto de 1918. Aprovado por Altino Arantes e assinado por Oscar Rodrigues Alves.

São Paulo. (1921). Trecho do Decreto n. 3356, de 31 de maio de 1921. Aprovado por Washington Luiz Pereira de Sousa e assinado por Alarico Silveira.

São Paulo. (1925). Trecho do Programa, de 19 de fevereiro de 1925. Aprovado pelo secretário de Estado dos Negócios do Interior, José Manuel Lobo.

Silva, O. F. (1907). Primeiras Noções de Geometria Prática (9. ed.). Francisco Alves & Cia.

Sinclair, N., & Bruce, C. D. (2015). New opportunities in geometry education at the primary school. ZDM Mathematics Education, 47, 319-329. DOI: https://doi.org/10.1007/s11858-015-0693-4

Souza, R. F. (2009). Alicerces da pátria: História da escola primária no Estado de São Paulo (1890-1976). Mercado das Letras.

Thom, J. S., & McGarvey, L. M. (2015). The act and artifact of drawing(s): observing geometric thinking with, in, and through children’s drawings. ZDM Mathematics Education, 47, 465-481. DOI: https://doi.org/10.1007/s11858-015-0697-0

Valente, W. R. (2020). História e cultura em Educação Matemática: a produção da matemática do ensino. REMATEC: Revista de Matemática, Ensino e Cultura, 15(36), 164-174. DOI: https://doi.org/10.37084/REMATEC.1980-3141.2020.n16.p164-174.id307

Valente, W. R. (2021). Do campo disciplinar para a cultura escolar: Do ensino de matemática para a matemática do Ensino. In M. C. Leme da Silva, Histórias do ensino de geometria nos anos iniciais: desenho, trabalhos manuais e medidas (pp. 5-10). Livraria da Física.

Zanatta, B. A. (2012, jan./abr.). O Legado de Pestalozzi, Herbert e Dewey para as práticas pedagógicas escolares. Revista Teoria e Prática da Educação, 15(1), 105-112.

Publicado

2022-04-22

Como Citar

SILVA, M. C. L. da. Geometria escolar nos anos iniciais: uma história de movimentos em parceria com o desenho. Zetetike, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e022004, 2022. DOI: 10.20396/zet.v30i00.8667515. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667515. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático