Compêndios de aritmética escolar no corpus teórico das ciências da educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v30i00.8667859

Palavras-chave:

Ensino de aritmética, Currículo, Escola de primeiras letras, Escola normal

Resumo

Este artigo problematiza o uso das obras Compendio de Pedagogia, de Antonio M. da Silva Pontes, Elementos de Arithmetica, de Cristiano B. Ottoni, e Cours théorique et pratique de pédagogie et de méthodologie, de Thomas Braun na formação de professores de matemática para as "escolas de primeiras letras”, e também o jornal A Instrução Publica, a Revista do Ensino, relatórios dos Presidentes da Província do Rio de Janeiro e do Diretor da Escola Normal. A abordagem teórico-metodológica se inspira em Wittgenstein e Derrida. O corpus manifestou rastros de duas tradições de livros de aritmética: uns destinados à prática mercantil e outros às escolares, alguns destes voltados a formar professores. Quanto às práticas de ensino de aritmética, a partir dos anos 1870, foi recomendado o método intuitivo. Os compêndios integraram o currículo oficial e a estruturação das disciplinas escolares, bem como foram relevantes na formação e institucionalização da escola brasileira no século XIX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kátia Sebastiana Carvalho dos Santos Farias, Universidade Federal de Rondônia

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professor da Universidade Federal de Rondônia do Departamento de Matemática / DMAT/UNIR no Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar - Mestrado e Doutorado Profissional- PPGEEProf.

Referências

Brasil. (1967). Constituição de 1824, art. 165. Brasil. Constituições do Brasil. Constituição de 1824. São Paulo: Saraiva.

Braun, T. (1854). Cours théorique et pratique de pédagogie et de méthodologie. Bruxelles: F. Parent, Editeur, deuxièmeedition,

Chervel, A. (1990). História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria e Educação, 2.

Comte, A. (1978). Curso de Filosofia positiva São Paulo: Abril. (Coleção Os Pensadores).

Derrida J. (1971). Firma, acontecimiento, contexto (Comunicación). In Congreso Internacional de Sociedades de Filosofia de Lengua Francesa. Montreal, 1971. Captured on march 5, 2013. Available at: http://www.jacquesderrida.com.ar/textos/firma_acontecimiento_contexto.htm.

Farias, K. C. S. (2014). Práticas mobilizadoras de cultura aritmética na formação de professores da Escola Normal da Província do Rio de Janeiro (1868–1889): ouvindo fantasmas imperiais. Doctoral Thesis in Education. Campinas. State University of Campinas.

Ginzburg, C. (2007). O fio e os rastros: verdadeiro, falso, fictício. Trad. Rosa Freire d’Aguiar e Eduardo Brandão. São Paulo: Companhia das Letras.

McDonald, H. (1994). The narrative act: Wittgenstein and narratology. Surfaces Revue Életronique, IV. Captured on december 20, 2014. Available at: http://www.pum.umontreal.cal/surfaces/vol4/mcdonald.html. DOI: https://doi.org/10.7202/1064952ar

McDonald, H. (2001). Wittgenstein, narrative theory, and cultural studies. Telos: critical theory of contemporary, 121, 11-53.

Miguel, A. (no prelo). A pesquisa historiográfica sob uma perspectiva wittgensteiniana. In I Encontro Nacional de Pesquisa em História da Educação Matemática - ENAPHEM. Vitória da Conquista, BA. 2012.

Miguel, A. (2005). História, filosofia e sociologia da educação matemática na formação do professor: um programa de pesquisa. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 31, n. 1, p.137- 152, jan/abr.2005. Available at: http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n1/a10v31n1.pdf. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022005000100010

Miguel, A. Percursos indisciplinares na atividade de pesquisa em história (da educação matemática): entre jogos discursivos como práticas e práticas como jogos discursivos. Bolema, v. 35, p. 1-57. Rio Claro (SP): UNESP, 2010.

Ottoni, C. B. Elementos de Arithmetica. 2ª ed. Rio de Janeiro: Eduardo & Henrique Laemmert, 1855. DOI: https://doi.org/10.2307/25527211

Pontes, A. M. S. Compendio de Pedagogia: para uso dos alunos da Escola Normal da Província do Rio de Janeiro. 3ª ed. Nictheroy, 1881.

Soares, F. S. (2011). Professores – autores de compêndios de Matemática no século XIX. Anais eletrônicos do XII CIAEM-IACME. Recife, 2011. Available at: https://xiii.ciaem-redumate.org/index.php/xiii_ciaem/xiii_ciaem.

Wittgenstein, L. (2012). Investigações filosóficas (7a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes; Bragança Paulista, SP: Editora Universitária São Francisco.

Publicado

2022-05-13

Como Citar

FARIAS, K. S. C. dos S. Compêndios de aritmética escolar no corpus teórico das ciências da educação. Zetetike, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e022007, 2022. DOI: 10.20396/zet.v30i00.8667859. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667859. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático