Banner Portal
A matemática na formação da professora primária na escola complementar de Passo Fundo – RS
PORTUGUÊS
INGLÊS

Palavras-chave

Formação
Matemática
Ensino normal
Escola complementar

Como Citar

PEREIRA, L. H. F.; MATTÉ, L. G. F.; PRADO, P. do. A matemática na formação da professora primária na escola complementar de Passo Fundo – RS. Zetetike, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e022009, 2022. DOI: 10.20396/zet.v30i00.8667872. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667872. Acesso em: 29 fev. 2024.

Resumo

O presente trabalho trata sobre a Escola Complementar de Passo Fundo/RS, tendo como marco temporal o período entre 1929 até a década de 1960. Relata sua trajetória e, através de indicativos do material inventariado, busca tecer algumas percepções sobre a matemática na formação da professora primária que esta Escola buscava formar. Para tanto, o trabalho pautou-se em pesquisa nos arquivos da Instituição, bem como jornais da época para ir ao encontro dessa intencionalidade. Tendo as Atas de Exames dos anos de 1947 a 1949, como referência, vestígios dos conteúdos estudados foram encontrados. Em Matemática, evidenciou-se, um predomínio da aritmética, com foco na perspectiva a ensinar em detrimento do para ensinar. Não obstante, também foi possível perceber como se deslocou o eixo centralizador das aulas, da professora para os alunos, muito devido aos indícios da presença do ideário da Escola Nova, identificados ao longo do período analisado. Associa-se a essas conclusões o estímulo a outras questões possíveis de estudo em trabalhos futuros.

https://doi.org/10.20396/zet.v30i00.8667872
PORTUGUÊS
INGLÊS

Referências

Bertini, L. F., Morais, R. S. & Valente, W. R. A. (2017). Matemática a ensinar e a Matemática para ensinar: novos estudos sobre a formação de professores. São Paulo: Editora da Física.

Búrigo, E. Z., Fischer, M. C. B & Peixoto, F. A. B. (2014). Saberes matemáticos na escola primária do Rio Grande do Sul: permanências e mudanças nas prescrições dos ensinamentos. In D. A. Costa & W. R. Valente (Org.), Saberes matemáticos: o que, como e por que ensinar? (pp. 149-168). São Paulo: Editora da Física.

Camargo, M. L. W. (2005). Aspectos da trajetória das escolas normais na cidade de Passo Fundo. Dissertação de Mestrado em Educação. Passo Fundo: Universidade de Passo Fundo.

Chervel, A. (1990). História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Revista Teoria e Educação, 2, 177-229.

Cimpa, A. (1987). A estória do Severino e a estória da Severina: um ensaio de Psicologia social. São Paulo: Brasiliense.

Faria Filho, L. M. (2007). Escolarização e cultura escolar no Brasil: reflexões em torno de alguns pressupostos e desafios. In M. L. A. Bencostta (Org.), Culturas escolares, saberes e práticas educativas: Itinerários históricos. (pp. 193-211). São Paulo: Cortez.

Gouvêa, M. C. S. (2002). A construção de um projeto de formação de professores – As escolas normais mineiras no período imperial. In A. A. B. Lopes et al., História da educação em Minas Gerais, Belo Horizonte: FCH/FUMEC.

Hofstetter, R. & Valente, W. R. (2017). Saberes em (trans)formação: tema central da formação de professores (Coleção Contextos da Ciência). São Paulo: Editora Livraria da Física.

Guarnica, A.V.M., & Souza, L. A. (2012). Elementos de história da Educação Matemática. São Paulo: Cultura Acadêmica.

Kneipp, C. B. (1989). História da Escola Complementar de Passo Fundo. Texto digitado, s.p.

Lourenço Filho, M. B. (2001). A formação do professor primário. In M. B. Lourenço Filho (Org.), A formação de professores: da Escola Normal à Escola de Educação. (pp. 29-38). Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais.

Lourenço Filho, M. B. (1978). Introdução ao estudo da escola nova: base, sistemas e diretrizes da pedagogia contemporânea. São Paulo: Melhoramentos.

Louro, G. L. Mulheres na sala de aula. (2007). In M. L. A. Bencostta (Org.), Culturas escolares, saberes e práticas educativas: Itinerários históricos. (pp. 443-481). São Paulo: Cortez.

Morais, R. S. Provas, exames e a Matemática da formação de professores. (2018). In E. Z. Búrigo, J. I. Lima, M. C. A. Oliveira & W. R. Valente (Org.), Provas, exames e história da Educação Matemática. (pp. 77-138). Boa Vista: Editora da UFRR.

O Nacional. (16 de março de 1929). Collegio Complementar. Passo Fundo, p. 1.

O Nacional. (7 de abril de 1932). Assuntos de educação. Passo Fundo, p. 2.

Rheinheimer, J. M. Ensinar e aprender Matemática, ressonâncias da Escola Nova: um olhar sobre a formação de professores no Instituto de Educação General Flores da Cunha (1940 -1955). Dissertação (Mestrado em Ensino de Matemática) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2018. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/179446. Acesso em: 20 de out. de 2021.

Rodrigues, M. H. R. de. (03 de abril de 1932). As novas professoras. Jornal O Nacional, p. 2.

Saviani, D. (2008). História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados.

Tambara, E. A. C. (2016). Cartografia da gênese e consolidação do modelo republicano-castilhista de educação primária no Rio Grande do Sul: o papel do “intelectual operador” Manuel Pacheco Prates (1894 – 1911). In L. S. S. Grazziotin & D. B. Almeida (Org.), Colégios Elementares e Grupos Escolares no Rio Grande do Sul: Memórias e cultura escola - Séculos XIX e XX. (pp. 12-29). São Leopoldo: Oikos.

Tambara, E. A. C. (1998). Profissionalização, escola normal e feminização: magistério sul-rio-grandense de instrução pública no século XIX. Pelotas: História da Educação/ASPHE.

Valente, W. R. (2015). Elementar. In W. R. Valente (Org.), Cadernos de trabalho, v. 1. São Paulo: Editora da Física.

Werle, F. O. C. (2005). Práticas de gestão e feminização do magistério. Cadernos de Pesquisa, 35 (126), 609-634.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Zetetiké

Downloads

Não há dados estatísticos.